Clique e assine por apenas 7,90/mês

Crise da água inspira fantasias em blocos de Carnaval no Rio

Os protestos bem-humorados também aparecem em letras de samba

Por Redação Veja Rio - 14 fev 2020, 12h22

A crise na qualidade da água oriunda da Estação de Tratamento do Guandu, da Cedae, que atinge nove milhões de moradores do Rio e da Região Metropolitana, está roubando a cena no Carnaval deste ano. As referências (uma crítica bem-humorada à quantidade de substância geosmina encontrada no líquido, que alteraram seu gosto, cheiro e aparência) inspiram fantasias e sambas em blocos de rua pelos quatro cantos da cidade.

+Águas passadas não movem a geosmina

+“O que é que ainda precisa acontecer para a gente fazer uma guerra?”

fantasia água
No Bloco Desliga da Justiça teve até cena de luta entre os foliões fantasiados de Água Mineral Minalba e a turma fantasiada de Cedae Instagram/ruadafoto_cintia/Reprodução

A letra do samba do bloco Imprensa que eu Gamo, que desfilou no último fim de semana, fazia alusão à crise na água no trecho “povo vai tomando no Guandu”. Já o Xupa mas não baba, que sai neste sábado (15), em Laranjeiras, o tema também é a água, com versos que criticam a qualidade do líquido que chega às torneiras.

Publicidade
A substância geosmina, produzida pelas algas, também inspirou looks Facebook/Reprodução

Em diversas lojas cariocas, a exemplo do complexo da Saara, no Centro, pode-se comprar fantasias já prontas. Foliões criativos, no entanto, preferem confeccionar seus trajes do zero. Pelo visto, a água é a estrela da folia do Carnaval 2020!

Fantasia Cedae
No Bloco Me Esquece, foliões criticam a Cedae, mostram líquido com coloração alterada e posam ao lado de um cocô Fernando Maia/Riotur

 

 

Publicidade