Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Covid-19: Prevista para março, vacinação pode ser antecipada, diz secretário

O plano deverá imunizar 3,5 milhões de pessoas inicialmente, com cronograma dividido em quatro fases

Por Carolina Barbosa Atualizado em 11 dez 2020, 12h33 - Publicado em 11 dez 2020, 12h32

Em audiência na Assembleia Legislativa (Alerj), o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves, anunciou nesta quinta (10) detalhes do plano de vacinação contra o novo coronavírus elaborado pelo governo do Rio, que deverá imunizar 3,5 milhões de pessoas inicialmente.

Dividido em quatro fases, de acordo com o público-alvo, o cronograma pode ser antecipado, segundo o secretário. “A nossa previsão é começar a campanha em março. A princípio vamos usar a vacina produzida pela AstraZeneca e ela deve chegar ao Rio em janeiro. Se isso acontecer, vamos começar a campanha de vacinação ainda no primeiro mês do ano, mas o Ministério da Saúde trabalha com a previsão de entrega para março. Por isso, temos esses dois cenários possíveis”, disse ele.

+Rio começa a montar plano de vacinação para Covid-19

Profissionais de saúde, idosos acima de 75 anos ou com 60 que vivam em asilos e instituições psiquiátricas e a população indígena integram a primeira etapa, com 1,032 milhão de doses. A segunda deve contemplar mais 1,5 milhão de pessoas entre 60 e 74 anos. Na terceira fase entram em cena 763 000 portadores de comorbidades, a exemplo de diabetes e hipertensão. Destinada a 239 000 fluminenses,  a quarta fase contemplará professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e presidiários.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Segundo o governo estadual, até o próximo dia 20 chegam oito milhões de agulhas e seringas e outro lote com o mesmo montante no Rio.

Continua após a publicidade
Publicidade