Clique e assine por apenas 4,90/mês

Covid-19: PM reforça patrulha para evitar saques a farmácias e mercados

'Passamos a ter atenção a esta possibilidade. Não podemos ficar no gabinete esperando o problema acontecer', diz porta-voz da Polícia Militar

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 1 abr 2020, 18h52 - Publicado em 1 abr 2020, 12h30

Em tempos de ruas desertas por causa do coronavírus, a Polícia Militar passou a reforçar o patrulhamento em áreas próximas a farmácias e supermercados do estado para evitar ataques ao comércio. “Passamos a ter atenção à possibilidade de saques”, diz o porta-voz da PM, coronel Mauro Fliess. Ele explica que a decisão foi tomada no último dia 23, quando o serviço de inteligência da corporação detectou ameaças à segurança deste tipo de estabelecimento. “Percebemos a necessidade de manter este policiamento ostensivo até hoje, e temos uma proximidade maior com os gerentes, para estarmos próximos em caso de emergência”, diz.

Covid-19: bares e restaurantes criam soluções para pagar funcionários

Bancos, que também continuam funcionando, já contavam com um esquema especial de segurança – a PM, aliás está usando agora a expertise adquirida neste tipo de policiamento. VEJA RIO apurou que um dos motivos para o reforço policial em lojas de produtos de primeira necessidade, como mercados e farmácias, são possíveis ações movidas pelo desespero causado pela fome e pela falta de remédios.

Coronavírus: ator diz como é fazer parte do grupo AAA, o mais vulnerável

“A gente não pode ficar no gabinete esperando acontecer o problema para tentar resolver, temos que pensar antes”, diz o coronel. “Estamos atuando como manda a Constituição, preventivamente”.

+ Para receber a Veja Rio em casa, é só clicar aqui.

Continua após a publicidade
Publicidade