Clique e assine por apenas 4,90/mês

Com tradução, russas assistem ao vídeo da repórter assediada

Reações ao vídeo refletem quadro machista do país

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 21 jun 2018, 19h23 - Publicado em 21 jun 2018, 18h26

Três mulheres russas foram escolhidas pelo jornal O Globo nas ruas de São Petersburgo para assistirem ao vídeo em que uma repórter do país é assediada com palavras de baixo calão por torcedores brasileiros durante a Copa do Mundo. Apesar do episódio não ter tido muita repercussão no país do mundial devido à pouca popularidade do Facebook, as meninas já tinham escutado falar do acontecido.

Uma das mulheres que opinaram sobre o caso disse que o episódio não passou de “uma confusão de idiomas”, garantindo que a reputação dos brasileiros no país está preservada. Outra mulher chegou a dizer que a culpa seria da própria repórter. “Por que ela estava ali com eles? Ela deveria saber com quem está andando”, disse.

Segundo a tradutora, a tom da fala das russas não era de absolvição aos brasileiros, mas também não aliviavam a profissional.

Publicidade