Continua após publicidade

Com números em alta, Rio volta a registrar mais mortes violentas que SP

Foram 3.388 por aqui em 2023 contra 2.977 do estado vizinho, que tem quase o triplo da população

Por Da Redação
12 mar 2024, 18h47

O Rio de Janeiro voltou a passar o de São Paulo, que tem quase o triplo da população, no número de assassinatos registrados em 2023. Foram 3.388 mortes violentas por aqui, uma média de nove por dia, e 233 a mais que as 3.155 registradas em 2022 (alta de 7,4%). Já no estado vizinho foram 2.977 no mesmo período, 10% a menos que o total de 3.316 de 2022. Os dados – que mostram também que o Rio voltou a ser o terceiro estado com maior número absoluto de mortes violentas -, constam na edição final do levantamento periódico de assassinatos feito pelo Monitor da Violência, uma parceria entre o portal g1, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública e o Núcleo de Estudos da violência da USP.

+ Cultura em alta: estado e prefeitura revitalizam teatros e museus

Feito desde 2017, até 2021 o Rio mantinha-se na frente no número do mortes violentas. Em 2022, pela primeira vez, São Paulo passou a frente. Mas por pouco tempo: a situação voltou se inverter. O levantamento leva em conta homicídios dolosos (incluindo feminicídios), latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais seguidas de morte. Mortes decorrentes de violência policial não entram.

O aumento de 7,4% de assassinatos no Rio de Janeiro vai na contramão do que aconteceu no Brasil em 2023, que teve recuo de 4% nas mortes na comparação com 2022, de 41,1 mil para 39,5 mil. O estado faz parte do grupo de cinco unidades da federação que tiveram alta nas mortes violentas em 2023, ao lado Amapá, Minas Gerais, Maranhão e Pernambuco. Outras 21 tiveram queda, e uma (Ceará), estabilidade. O Rio, entretanto, teve o maior peso entre os cinco estados que tiveram alta – das 654 mortes a mais nesse grupo, 35% (233) aconteceram em terras fluminenses.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Parte do aumento das mortes violentas pode ser explicada por brigas de grupos criminosos pelo controle de territórios na cidade do Rio. Em 2023, a facção Comando Vermelho ampliou os ataques a comunidades dominadas por milícias em Jacarepaguá, na Zona Oeste da cidade. Há também as vítimas de balas perdidas.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.