Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Dia Mundial do Doador de Sangue: Rio lança campanha para aumentar coletas

Serão distribuídos 500 bilhetes unitários do Metrô para facilitar o deslocamento de quem quiser doar. Aplicativo de transporte dará R$ 30 na ida e volta

Por Agência Brasil Atualizado em 14 jun 2021, 17h10 - Publicado em 14 jun 2021, 13h06

O Hemorio lança nesta segunda (14), Dia Mundial do Doador de Sangue, uma campanha para ampliar as doações no estado.

+ Covid-19: Rio tem alta na média de mortes pelo segundo dia consecutivo

A campanha Cada Gota Importa busca reverter a queda nos estoques de derivados de sangue ocorrida devido à pandemia de Covid-19. Segundo o Hemorio, a pandemia provocou uma queda de 30% nos estoques do produto.

Para atender à demanda dos pacientes no estado, é necessário obter pelo menos 300 bolsas de sangue por dia. A média atual é de 210.

+ “Assassino”, diz mãe de Paulo Gustavo sobre quem manda não usar máscara

Além do Hemorio, haverá pontos de coleta em outros cinco locais: BarraShopping, Bossa Nova Mall, Park Shopping, Via Brasil Shopping, Hospital Municipal Lourenço Jorge e Hospital da Criança.

Continua após a publicidade

Quinhentos bilhetes unitários de Metrô serão distribuídos para facilitar o deslocamento de quem quiser doar. E, para evitar aglomerações em transportes públicos, o aplicativo de transporte privado 99 dará R$ 30 nas viagens de ida e mais R$ 30 nas viagens de volta até o local.

+ Covid-19: Cenário atual da pandemia no Rio é de alto risco, alerta Fiocruz

A campanha se estende até o dia 30 de junho. Para doar, é preciso ter entre 16 e 60 anos (menores de idade devem ter autorização), pesar pelo menos 50 kg e estar bem de saúde. Os idosos que já são doadores podem também participar, desde que tenham, no máximo, 69 anos.

É necessário ainda apresentar um documento de identidade oficial com foto. Não é preciso estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes.

Covid-19

Pessoas que tiveram Covid-19 ficam inaptas por 30 dias após a cura. O mesmo acontece com quem chegar de viagens internacionais (não podem doar por 30 dias). Candidatos à doação que tiveram a forma grave da Covid-19 ficam inaptos por um ano após a cura.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Quem tomou as vacinas da Pfizer e AstraZeneca fica inapto por sete dias, enquanto aqueles que receberam o imunizante da CoronaVac ficam impedidos de doar por 48h, mesmo período para aqueles que foram vacinados contra a gripe.

Continua após a publicidade
Publicidade