Continua após publicidade

Cães do ator Jeff Machado, morto em janeiro, foram encontrados desnutridos

Dos oito cachorros da raça Setter que foram levados após o crime, sete foram recuperados, sendo que dois morreram; um continua desaparecido

Por Da Redação
21 set 2023, 17h14

Cinco dos oito cães da raça Setter que pertenciam ao ator Jeff Machado, assassinado em janeiro deste ano, sofreram maus-tratos durante o período em que estavam abandonados. É o que comprovam laudos periciais de uma clínica veterinária apresentados pelos advogados de Jeff, que era apaixonado pela raça. Os cachorros foram levados por Bruno Rodrigues e Jeander da Silva, presos pela morte do ator, cujo corpo foi encontrado em um baú enterrado nos fundos de uma casa na Zona Oeste do Rio. Os animais só foram resgatados em fevereiro, em Campo Grande, por voluntários da ONG Indefesos, e já estão aos cuidados de seus novos tutores.

+ Enquanto brigava com torcedor, Marcos Braz marcou presença na Câmara

Sete dos oito cães foram encontrados, mas dois deles morreram. Um continua desaparecido. Todos receberam nomes de artistas brasileiros, como Miúcha, Nando Reis, Cazuza, Tim Maia, Nara Leão, Vinícius de Moraes e Gilberto Gil, que é o que não foi localizado. Caetano Veloso e Rita Lee morreram, Foi o médico veterinário que já cuidava deles antes do crime, André Meirelles, que fez os exames, cujos resutados foram entregues à Justiça no dia 2 de setembro, pelo advogado Jairo Magalhães.”Setter é a minha versão cachorro, tanto na personalidade como aparência, por isso me tornei protetor da raça no Brasil”, escreveu o ator na legenda de uma foto em que aparecem Nando Reis, Rita Lee e Elis Regina – uma das muitas que postava em suas redes sociais com a matilha.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Segundo as investigações, logo após o assassinato de Jeff, os cachorros foram levados para um terreiro e teriam sido soltos na rua quando Bruno Rodrigues, principal suspeito do crime, abriu o portão do local para que fugissem. Eles ficaram dias nas ruas até serem resgatados pela ONG Indefesos. Cazuza e Vinícius de Moraes foram encontrados nas ruas da região, após serem identificados através de microchip, e levantaram suspeitas de que havia algo errado. Em alguns dias, parentes e amigos de Jeff, com o apoio e o empenho da ONG Indefesos, encontraram os outros cinco. Patricia Triacca, veterinária amiga de Jeff, foi quem encontrou os novos tutores para os animais. Com autorização da família do ator, a guarda foi passada, com o conhecimento que poderia ser temporária, dependendo do rumo que a história tomasse.

Continua após a publicidade

Veja o que dizem os laudos sobre o estado de saúde dos animais:

Vinicius de Moraes, de 8 anos e sete meses
Chegou à clínica veterinária “magro, com muita fome e sede. Ele presentava lesões com sinais de maus-tratos. Realizou exames de sangue, sem alterações. Recebeu cuidados médicos, tosa e banho. Após sua recuperação, foi encaminhado para adoção.

Cazuza, de 7 anos e 25 dias
“Estava muito assustado, com nós nos pelos e lesões na pele compatíveis com abandono e maus-tratos. Estava magro, com fome e sede. Realizou exames de sangue, sem alterações. Foi alimentado e recebeu cuidados médicos”, diz o laudo.

Caetano Veloso, de 8 anos e 4 meses
“Estava com lesões na pele e diversas falhas no pelo, mostrando quadro grave de abandono e maus-tratos. Realizou exames de sangue e imagem que apresentaram processo inflamatório grave e sepse inflamatória. Foi submetido a procedimento de sedação para limpeza da miíase (infestação de larvas de moscas) e internação para tratamento médico”, avaliou o médico. Morreu 24 horas depois.

Continua após a publicidade

Elis Regina, de idade desconhecida
Apresentava “quadro de atropelamento. Realizaram exame de raio-x, sem alteração ortopédica, e exame sangue compatível com processo inflamatório. Apresentava algumas escoriações e pelo com nós compatíveis com abandono e maus-tratos. Ele foi tratado, se recuperou e encaminhando para a um adotante”.

Nando Reis, de 9 anos e 16 dias
Chegou à clínica veterinária “magro, com fome e desidratado. Tinha presença de miíase (caracterizada pela infestação de larvas de moscas) na região da pata. Realizou exames de sangue com alterações decorrentes de infecções e inflamação. Passou por sedação para limpeza da miíase e internação de 72 horas. Após sua recuperação, foi encaminhado para adoção”, segundo o laudo.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.