Continua após publicidade

Que prejuízo! Cabos furtados da Light têm a extensão da Ponte Rio-Niterói

A concessionária diz que foram registradas 105 ocorrências de furto de cabo nos quatro primeiros meses de 2024

Por Redação
15 Maio 2024, 13h09

Dois roubos volumosos de cabos, incluindo as rede da Light e do Metrô, causaram transtornos na cidade, com a paralisação do sistema de transportes, na manhã de terça (14). De madrugada, cerca de 12 criminosos armados entraram na subestação de energia da concessionária em Colégio, na Zona Norte, fizeram funcionários reféns por quase quatro horas e levaram cerca de 160 metros de cabos. O sistema parou em 16 estações da Linha 2, da Pavuna à Cidade Nova, e a suspensão das viagens por cerca de uma hora afetou a rotina de 30 mil pessoas.

+ Justiça dá 5 dias para Castro esclarecer situação financeira da SuperVia

O outro roubo foi interceptado pouco depois por policiais na Avenida Augusto Severo, na Glória, quando criminosos tentavam furtar, por volta das 5h, com machado e outros equipamentos, 300 quilos de cabos de cobre da rede da Light. Almir Santos Silva, Italo dos Santos Silva, Cristiano Vitor de Paula, Vagner Dias Firmino e Ainah Taimah de Azevedo Pinheiro foram presos em flagrante. Os cabos recuperados foram avaliados em R$ 9 mil.

Compartilhe essa matéria via:

Furtos de cabos viraram rotina, e neste ano o Metrô já registrou mais sete casos. A subestação de energia de Colégio, que fica ao lado da favela Para-Pedro, é cercada por arame e avisos sobre a presença de fios de alta tensão. Segundo um funcionário, os bandidos forçaram a porta e convenceram as vítimas a permitir o acesso, dizendo que não fariam nada contra elas.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

A Light, por sua vez, informa que foram registradas 105 ocorrências de furto de cabo nos quatro primeiros meses deste ano. O número aponta aumento de 164% em comparação ao mesmo período do ano passado. O prejuízo em 2024 chega a R$ 1,7 milhão. Os 12.845 metros de cabo roubados, se fossem esticados, cobririam praticamente toda a extensão da Ponte Rio-Niterói. Centro, Copacabana e Ipanema aparecem no topo do ranking de furtos, seguidos por Barra da Tijuca, Recreio e Anil, na Zona Oeste.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.