Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Blocos se unem para reivindicar à Prefeitura um edital de fomento

Entre eles, está o Cordão da Bola Preta, mais antiga agremiação da cidade

Por Heloiza Gomes Atualizado em 5 dez 2016, 11h31 - Publicado em 30 jan 2016, 00h00

Em 1918, ganhou as ruas o Cordão da Bola Preta, cujo nome é inspirado no vestido de uma passante que encantou um dos fundadores: Álvaro Gomes de Oliveira, o popular K. Veirinha. Em 1961, a agremiação entronizou uma Rainha Moma, Rosa Possas, e, três anos depois, lançou a marcha oficial, de Nelson Barbosa e Vicente Paiva, que, hoje, arrasta mais de 1 milhão de pessoas pelas ruas do Centro. Com tamanha popularidade, o cordão uniu-se às ligas de blocos Amigos do Zé Pereira, Sebastiana e Zona B para reivindicar ao governo municipal um edital de fomento. O grupo quer o mesmo privilégio das escolas de samba, que, segundo o presidente da Amigos do Zé Pereira, Rodrigo Rezende, recebem 24 milhões de reais da prefeitura.

+ Saiba quais são os blocos que estreiam no Carnaval de Rua este ano

Publicidade