Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Sem aglomeração: aplicativo ajuda a mapear ônibus lotados em tempo real

App de mobilidade urbana Quicko ampliou cobertura para ajudar quem depende de transporte público

Por Renata Magalhaes Atualizado em 20 set 2021, 19h21 - Publicado em 20 set 2021, 14h16

Veículos depredados, estações fechadas, acidentes pelo caminho e superlotação – especialmente em tempos de pandemia – são apenas alguns dos problemas vivenciados diariamente pelos cariocas que dependem de transportes públicos para se locomover pela cidade. Para ajudar a driblar essas dificuldades, o aplicativo Quicko lançou uma atualização que promete ser verdadeira “mão na roda”: a ampliação da cobertura de ônibus e demais modais em tempo real.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

O app brasileiro de transporte e mobilidade urbana conta agora também com a função “Aviso de Lotação”, para informar o quão cheio está o veículo. Isso é feito de maneira colaborativa: basta o usuário clicar diretamente no ícone de sua parada de ônibus e dizer que ele está lotado ou até mesmo atrasado.

+ Após cenas de caos na orla, Prefeitura do Rio vai antecipar Operação Verão

O momento é pertinente: diversas linhas foram desativadas, gerando longas esperas para o embarque ou a necessidade de completar o trajeto a pé. “Aliado aos outros recursos do aplicativo, como a possibilidade de traçar diversos trajetos e por vários meios de transporte, os usuários poderão se organizar e tomar decisões com base em cenários mais claros”, afirma Pedro Somma, CEO da startup.

+ Relatório revela que a frota de ônibus do Rio está 40% aquém do exigido

Para se ter uma ideia do sofrido cenário carioca, uma pesquisa recente da PiniOn com mais de 800 cidadãos de diferentes espaços e segmentos sociais mostrou que trânsito (76%) e mobilidade urbana (70%) estavam entre os setes principais destaques negativos, atrás apenas da segurança pública e violência.

Segundo os números da Secretaria Municipal de Transporte do Rio de Janeiro, a frota das empresas de ônibus deveria ter 7.568 carros e tem cerca de 3.000. Além disso, das 493 linhas de ônibus que estavam disponíveis na cidade até junho, 176 não circulam mais. Para chegar ao destino, só com ajuda de aplicativo mesmo.

Continua após a publicidade
Publicidade