Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Programinha Carioca Por Raquel Pereira, jornalista e mãe de três Passeios, viagens e rolês em família

BioParque Rio: o que você precisa saber antes de ir ao novo zoológico

São cerca de 1 100 animais de 140 diferentes espécies e uma experiência incrível

Por Raquel Pereira Atualizado em 31 Maio 2021, 19h53 - Publicado em 28 Maio 2021, 21h11

Esqueça o antigo zoológico, aquele que você visitou no Parque da Quinta da Boa Vista até novembro de 2019. Reformado e reaberto ao público em março deste ano, o Zoo está completamente reformulado. Baseado em três importantes pilares – educação, pesquisa e conservação -, o BioParque chama a atenção pelo cuidado e preocupação em cada detalhe. A proposta do lugar é realmente proporcionar aos animais qualidade de vida e oferecer as melhores memórias aos visitantes.

Acompanhados de um guia, que nos deu uma verdadeira aula de educação ambiental (obrigada pela paciência), estivemos lá em meados deste mês. Uma curiosidade é que os animais em idade avançada ou comprometidos por conta de experiências anteriores em circos clandestinos ou tráfico não ficam expostos, e sim, em uma área isolada recebendo o suporte necessário. Legal, né? A gente conta algumas curiosidades abaixo, mas já adianto que é uma experiência e tanto ver cerca de 1 100 animais de 140 diferentes espécies.

Compre com antecedência e pela internet
Por conta da capacidade reduzida, a compra está sendo realizada exclusivamente pelo site. E para evitar filas e aglomerações, os ingressos têm hora marcada com entrada no parque a cada 30 minutos – porém, não há um horário limite para a saída. Se puder, vá em dia de segunda a sexta. Aos sábados e domingos, o local tem ficado bem movimentado. Os ingressos, inclusive, têm se esgotado rapidamente.

Esqueça o relógio
O lugar é enorme e o passeio é extremamente agradável para todas as idades. Reserve pelo menos 3 horas para o tour. Leve lanche (e coma apenas nos lugares sinalizados para isso!), mas se preferir há pontos de alimentação que vendem pipoca, picolé, cachorro-quente e outras delícias. Em breve, um restaurante inaugura por lá. Deixe o parquinho, que fica depois da ponte da savana africana, para o final do circuito. Sabe aquele momento em que acaba a sua energia, mas as crianças ainda têm pique? Com brinquedos bem atrativos, inclusive um esguicho que faz sucesso, o espaço tem banquinhos e mesas.

Piqueniques não estão liberados
No momento, não está permitido nenhum tipo de festa – o que inclui piqueniques. Além disso, bebidas alcóolicas, bolas, bicicletas, skate, patins e carrinhos elétricos também não estão liberados. Ah, animais de estimação domésticos também não são bem-vindos.

É possível ajudar a financiar projetos
Além de todos os benefícios de entrar 30 minutos mais cedo no trajeto, ter acesso ilimitado ao parque durante todo o ano e desconto nas lojas e operações de alimentação, 5% da receita dos sócios são revertidas automaticamente para um programa de pesquisa que busca combater a extinção dos animais que vivem no parque.

Pode alimentar os animais
Na Fazendinha, paga à parte, as crianças podem conhecer a origem de alguns alimentos, como ovos e leite, e ter contato com vacas, pôneis, cabras, galinhas e coelhos. Custa R$20,00 por pessoa e menores de cinco anos têm gratuidade, mas precisam estar acompanhados de um adulto pagante. Fica aberto das 10h às 12h e das 14h às 16h30. Sócios têm o horário das 9h30. Paga-se diretamente no local.

Esse é um plus do passeio. Se você estiver disposto a investir, vale a pena. Por aqui, os pequenos adoraram.

Continua após a publicidade

Não existem jaulas
Verdade. Os ambientes passaram por uma reformulação a fim de oferecer bem-estar aos bichos. Agora há barreiras naturais, como troncos e pedras, nos espaços. Quer um exemplo? O novo recinto dos elefantes é 10x maior do que o antigo, passando de 800m² para 7.700m².

Um intercâmbio na África
A Savana Africana, bem no final do passeio, é um espetáculo. Parece um parque da Disney. Com mais de 13 000 m² e cerca de 10 espécies, é por lá que vivem os hipopótamos Bocão e Tim, por exemplo. E é no rio de 250 metros que vai acontecer, assim que a pandemia der uma trégua, um passeio de barco em meio aos animais. Até o fim do ano, o espaço contará também com zebras, girafas e avestruzes.

É para todos, sim!
Tem piso tátil, rampas, banheiros acessíveis e em breve terá comunicação em LIBRAS.

Serviço

Endereço:
Parque da Quinta da Boa Vista S/N, São Cristóvão

Ingresso:
R$ 39,75 e R$ 19,88 (de 3 a 21 anos, estudantes, idosos e pessoas com deficiência)
R$ 80: programa anual de sócio. É possível incluir até sete dependentes pelo valor de R$ 60 cada

Horários:
Todos os dias, das 9h às 17h com última entrada no circuito às 16h

Estacionamento (em frente ao Restaurante da Quinta):
R$ 25 de segunda a sexta e R$ 30 aos sábados, domingos e feriados
.
.
Siga o Programinha Carioca.

Continua após a publicidade
Publicidade