Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Gilberto Ururahy Por Gilberto Ururahy, médico Especialista em medicina preventiva

Julho Verde: conscientização contra o câncer de cabeça e pescoço

O diagnóstico precoce e o rápido início do tratamento são fundamentais para a cura das doenças

Por Gilberto Ururahy Atualizado em 12 jul 2021, 17h21 - Publicado em 12 jul 2021, 13h14

Julho é o mês escolhido para se lançar um alerta à população sobre os riscos e a prevenção ao câncer de cabeça e pescoço. Assim nasceu o Julho Verde, que tem sua 6ª edição em 2021 e cujo objetivo é a conscientização acerca de um câncer cujos tumores atingem regiões como boca, língua, palato, gengivas, bochechas, amigdalas, faringe, laringe, esôfago e tireoide.

Segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer), este tipo de câncer é o segundo mais frequente entre os homens, atrás somente do câncer de próstata. Já entre as mulheres, é o quinto tipo de câncer mais incidente, ficando atrás de câncer de mama, tireoide, cólon e reto. A doença atinge cerca de 40 mil brasileiros por ano.

Em muitos casos, a doença tem manifestação assintomática, o que exige ainda mais atenção aos sinais do corpo: dificuldade para engolir, manchas brancas na boca, nódulo no pescoço persistindo por mais de duas semanas e mudanças na voz, como rouquidão insistente, são os mais comuns. A doença também pode se manifestar por meio de sinais, como a ferida na boca que não cicatriza, geralmente confundida com aftas.

Cerca de 60% dos casos deste tipo de câncer estão relacionados ao consumo excessivo de álcool e ao tabagismo.  Porém é cada vez mais frequente o diagnóstico da doença em indivíduos jovens (menores que 45 anos), sem a exposição a estes fatores, com tumores originados pelo HPV: são cerca de 41 mil novos casos de câncer de faringe por ano em decorrência do HPV, segundo o Inca. Estudos nacionais apontam que 7% da população pode ter infecção pelo HPV detectada na boca. Em um cenário com 200 milhões de pessoas, estamos nos referindo a 14 milhões de pacientes em potencial.

Algumas sugestões para se evitar o câncer de cabeça e pescoço são: não fumar, evitar o consumo de álcool, ter uma alimentação equilibrada, manter uma boa higiene bucal, usar preservativo na prática de sexo oral, evitar ganho de peso e vacinar-se contra o HPV, tanto meninos (11 a 14 anos) quanto meninas (09 a 14 anos).

Infelizmente, 60% dos casos de câncer de cabeça e pescoço são diagnosticados em fase avançada da doença. O diagnóstico precoce e o rápido início do tratamento são fundamentais para a cura. Quanto mais se retarda o início do tratamento, maior a chance de sequelas para o paciente. Por isso, é fundamental insistir na relevância dos exames preventivos de rotina. Eles são os melhores aliados na busca por mais qualidade de vida. Saúde é prevenção!

Gilberto Ururahy é médico há 40 anos, com longa atuação em Medicina Preventiva. Em 1990, criou a MedRio Check-up, líder brasileira em check up médico. É detentor da Medalha da Academia Nacional de Medicina da França e autor de três livros: “Como se tornar um bom estressado” (Editora Salamandra), “O cérebro emocional” (Editora Rocco) e “Emoções e saúde” (Editora Rocco).

 

Continua após a publicidade
Publicidade