Clique e assine por apenas 4,90/mês
Fabiano Serfaty Por Fabiano M. Serfaty, clínico-geral e endocrinologista, MD, MSc Saúde, prevenção, tratamento, dieta, bem-estar, tecnologia, inovação médica e inteligencia artificial com base em evidências científicas

Segundo estudo, aromaterapia pode causar problemas hormonais

Pesquisa apresentada em congresso de endocrinologia, em Chicago, indica que os óleos utilizados no tratamento podem não ser tão inocentes

Por Fabiano Serfaty - 23 mar 2018, 14h27

Um estudo apresentado nesta semana, no ENDO 2018, 100ª reunião anual da Sociedade Americana de Endocrinologia em Chicago, no estado americano de Illinois, demonstrou que os óleos utilizados na aromaterapia podem não ser tão inocentes quanto se pensava.

De acordo com a pesquisa clínica, os produtos químicos contidos nos óleos utilizados para o tratamento, como lavandas e o “tea tree oil”, parecem ser disruptores endócrinos, ou seja, eles interferem na ação dos hormônios em nosso corpo.

O estudo apresentado demonstrou a ligação entre o crescimentos anormal da mama crescimento em meninos (conhecido como ginecomastia pré-púberal) e a exposição a estes tipo de produtos, conhecidos como “essencial oils” nos Estados Unidos.

Por lá, os óleos tornaram-se populares como alternativas para o tratamento médico, de higiene pessoal, produtos de limpeza, e para aromaterapia. No entanto há que se tomar cuidado, pois a lavanda e o “tea tree oil” podem ser encontrados em itens como  sabonetes, loções, perfumes, shampoos e até detergentes.

Continua após a publicidade

Vale lembrar que o estudo não é motivo para desespero, mas para uma atenção maior acerca dos produtos que utilizamos no dia a dia. Busque sempre um profissional que possa te orientar a cuidar da sua saúde.

Publicidade