Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Daniela Alvarenga Por Daniela Alvarenga, médica, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

10 dicas para não se arrepender da harmonização facial

Cantor Lucas Lucco se arrepende de ter feito tratamento com dentista e tenta desfazer preenchimentos-padrão

Por Daniela Alvarenga Atualizado em 9 out 2020, 16h37 - Publicado em 9 out 2020, 16h35

Olhar-se e não reconhecer os próprios traços. Foi assim que Lucas Lucco se sentiu depois de fazer com um dentista uma série de procedimentos que compõem o tratamento chamado harmonização facial. O cantor contou esta semana, no Fantástico, sobre a experiência ruim e sobre o tratamento de desarmonização, para desfazer o que foi injetado, e retornar ao rosto de sempre.  

Não sou adepta de modismos e nomenclaturas marketeiras, que muitas vezes acabam banalizando e vulgarizando procedimentos técnicos  importantes. Por isso, não faço harmonização facial, esse termo não combina com o que acredito. Cada paciente deve ser avaliado individualmente na consulta com seu médico sobre o que gostariam de melhorar. Dentro da expertise e do conceito de beleza de cada médico, deve-se traçar um plano de tratamento possível, valorizando os pontos positivos e ajustando outros pontos com preenchimentos, tecnologias, bioestimuladores, receita de skincare. No entanto, esta abordagem deve ser sempre sem padronização, sem regras, construindo resultados individuais ao longo do tempo e tentando deixá-lo na sua melhor versão.  Para que não haja arrependimentos, reúno aqui algumas dicas práticas no caso de realização de preenchimentos :

1 – Não escolha um profissional por fotos de antes e depois nas mídias sociais. Podem existir vários truques nessas fotos. Duvide. Milagres não existem. 

2 – Não existe preenchimento barato. Desconfie. O produto bom é caro, a capacitação do médico é contínua e requer muito investimento e a responsabilidade é imensa. 

3 – Saiba e anote sempre o produto que foi utilizado. Peça ao profissional para mostrá-lo e para que retire o lacre na sua frente na hora do procedimento. 

4 – Existem possíveis complicações que precisam ser compartilhadas com o paciente.  

5 – Mais importante do que fazermos o preenchimento é estarmos preparados para conduzir e tratar essas possíveis complicações. A desarmonização não é nada simples. 

Continua após a publicidade

6 – Em caso de turbulência emocional não opte por procedimentos invasivos. Dê preferência aos menos invasivos.  Nessas horas a imunidade tende a cair e as complicações se tornam mais frequentes. Além da chance das expectativas não serem atingidas aumentar. 

7- A associação de técnicas visando a atuar em todas as fases de envelhecimento é o melhor caminho e geralmente traz melhores resultados e mais naturais. Osso, gordura, músculos, ligamentos e pele devem ser abordados. 

8 – Cautela quando o assunto for preenchimento. Tem gente por aí aplicando 50 seringas em uma sessão. Pasmem! Valorize se o seu médico disser NÃO. 

9 – A cirurgia plástica continua tendo a sua indicação. Muitas vezes conseguimos retardar a necessidade cirurgia e entregar o paciente com uma qualidade de pele melhor, possibilitando resultados melhores e mais naturais. 

10 – Dentistas são importantes muito importantes no embelezamento da face. A coloração, tamanho e qualidade dos dentes, o tipo de mordida, o tamanho da gengiva e etc… fazem toda a diferença quando avaliados em conjunto. 

Dito isso, tenha um médico cosmiatra (cuida da beleza), dermatologista e/ou cirurgião plástico  para chamar de seu e se beneficie de todos os avanços que a nossa área proporciona. Construa uma beleza saudável com esse profissional através de um plano individualizado de tratamento. 

 

Continua após a publicidade
Publicidade