Clique e assine por apenas 4,90/mês
Beira-Mar Por Blog Notícias sobre celebridades, famosos, sociedade e pessoas interessantes do Rio de Janeiro

Antônia Fontenelle roda o Brasil com peça e quer lançar biografia

Leia na coluna Beira-mar

Por Daniela Pessoa - 6 Maio 2017, 13h30

Tem gente que acredita que rir é o melhor remédio. Antônia Fontenelle está nesse time. Rodando o Brasil com a peça Sincericídio, a atriz e apresentadora estreia nos palcos do Rio em julho com o espetáculo. “Resolvi me zoar e falar mal de mim mesma. Cansei de acordar com meu nome envolvido em confusões ou de ser rotulada de interesseira”, afirma. “Um dia, o Rodrigo Faro me viu chorando por causa de uma fofoca a respeito da pensão do Marcos Paulo, meu falecido marido, e disse que eu precisava rentabilizar os boatos. É o que estou fazendo”, diz ela, que também está escrevendo uma biografia. “Vou mostrar quem realmente sou, com provas documentais.” Antônia falou a VEJA RIO.

Fofocas “Teve uma vez que fui dormir mãe de família e no outro dia acordei sapatão assassina. Uma notícia dizia que eu era gay e outra que eu havia partido para cima de um deputado num estacionamento.”

Pensão “Esse direito me foi dado após a morte do Marcos Paulo. Não posso abaixar a cabeça. Até a Renata Sorrah, ex-mulher dele, já me ligou dizendo que lamentava a situação, mas que ela não consegue controlar a filha, uma das que brigam comigo no processo.”

Dinheiro “Nunca fui sustentada por homem porque eu nunca quis. Não sou consumista. Primeiro, porque não tenho dinheiro. Segundo, porque não é da minha personalidade. Uma vez, quando Marcos e eu viajamos para Saint-Tropez, ele levou três malas; eu, apenas uma.”

Trabalho “Não me dão grandes oportunidades. Na Globo, sei que eu não piso por causa da Flávia Alessandra, outra ex do Marcos. Mas morrer de fome é que não vou. Se for preciso, viro consultora de imagem, apesar de a minha não ser das melhores.”

Continua após a publicidade

Príncipe encantado “Isso não existe. Assim como não existe homem fiel. As mulheres também andam bem safadas, vão para a noitada beber até vomitar e pegar cinco homens numa noite. Não respeito essas mulheres. Prefiro ser chamada de machista do que de p… .”

LEIA MAIS NA COLUNA BEIRA-MAR DA SEMANA:

+ Atriz Suzana Pires lança linha de joias no embalo da Operação Lava-Jato

+  Junior Lima vai tocar no Rock in Rio e mira carreira internacional com novo projeto

+ Humorista Fernando Ceylão vai apresentar jornal só de notícias boas (e reais) no rádio 

+ Yasmin Brunet comenta episódio da fã que falou mal de seus seios na internet

Continua após a publicidade
Publicidade