Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Beco do Becoza Por Juarez Becoza, repórter de gastronomia popular e caçador de botequins

La Joelheria: quando a pandemia vira chance de crescer e aparecer

Após o desespero com o fechamento do comércio, a originalíssima boutique de joelhos de Copacabana usa coragem e criatividade para crescer em plena pandemia

Por Beco do Becoza Atualizado em 7 out 2020, 19h23 - Publicado em 7 out 2020, 19h10

Nesses tempos de pandemia, o que mais tenho visto no ramo da gastronomia popular é bar, restaurante e lanchonete fechando. Ou sofrendo pra se manter vivo, sem saber o dia de amanhã. As exceções, quando aparecem, mesmo as mais ordinárias, já são motivo pra gente comemorar. Uma delas eu visitei essa semana. Com medo de encontrar a loja fechada, na verdade descobri o oposto: a originalíssima La Joelheria, primeira e única casa no Brasil exclusivamente dedicada aos joelhos, inaugurada há cerca de um ano em Copacabana, não só sobreviveu muito bem à pandemia, como encontrou na quarentena uma razão para crescer. E conseguiu.

Quando foi inaugurada, modestamente, escondida numa lojinha de 20 metros quadrados na Figueiredo de Magalhães, o casal de micro-empresários Juliana e Felipe sabiam que tinham uma bela ideia nas mãos. Afinal o joelho – também conhecido como enroladinho de queijo e presunto – talvez seja o salgado mais popular e menos reconhecido Brasil afora. Sempre relegado à categoria menor de petisco de rodoviária, ou salgado de balcão de botequim, o joelho ganhou na loja do casal de cariocas status de finesse – e à altura da gostosura que lhe cabe. Os petiscos ali são feitos com massa de primeira qualidade e recheios muito caprichados: além do clássico queijo com presunto, tem pastrami com queijo brie, parma com queijo meia cura, lombo canadense com gorgonzola, e por aí vai.

Juarez Becoza/Arquivo pessoal

Mas esse não é o assunto deste post. Sobre isso a própria Veja Rio noticiou, na época da fundação. O que chama atenção na La Joelheria é como eles transformaram as vicissitudes da pandemia num trunfo para o sucesso. “Para variar, a pandemia nos pegou quando estávamos começando a nos preparar para abrir uma filial. Ficamos sem saber o que fazer”, conta Juliana, máscara, luva e avental atrás do balcão, ao lado de seus funcionários. Mas logo descobriram. Depois de fechar por um mês, a loja reabriu no fim de abril, operando apenas para take out. E investiram tudo no delivery. Além de marcar presença nas plataformas regulares, criaram seu próprio site, oferecendo promoções, programas de fidelidade, entregas muito rápidas, embalagens de qualidade, e aceitando cartões de todas as bandeiras, sem esquecer tickets refeição e cartões de alimentação. O resultado? A loja bombou. “Já estamos treinando pessoal e procurando loja para abrir nossa primeira filial, na Tijuca. Três meses atrás, não dava pra imaginar que conseguiríamos nos sair tão bem nesse cenário tão difícil”, diz Juliana, com um sorriso que a gente não vê por causa da máscara, mas que dá para imaginar…

Nessa guerra inglória contra a Covid, a criatividade anda marcando os seus pontinhos por aí.

A La Joelheria fica na Rua Figueiredo de Magalhães, 35 e, quase na esquina com a Barata Ribeiro. O site para entregas é http://www.lajoelheria.com.br.

Continua após a publicidade
Publicidade