Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Barbara Burgos Por Barbara Burgos, astróloga

Quatro planetas retrógrados e aumentando – mais um capítulo da história

O aumento de planetas em movimento retrógrado no céu promoverá uma revisão geral. Começará a ficar claro como o dia o que não tem mais lugar no novo mundo

Por Barbara Burgos Atualizado em 18 Maio 2020, 19h27 - Publicado em 17 Maio 2020, 15h52

Hoje vou contar uma estória. Uma estória que está fazendo história. E quando seus netos lerem sobre a gente, lá na frente, espero que compreendam o tamanho da desconstrução que tivemos que passar para poder chegar ao final do túnel. O túnel agora ainda tem pouquíssimas luzes e alguns espaços no acostamento onde podemos parar para descansar um pouco. Coletivamente, começamos a atravessá-lo em 2018, quando a conjunção Saturno-Plutão já começava a surtir efeitos. Um céu de extremos, onde de um lado havia o extremismo de opiniões mundiais, e do outro, quedas e máscaras caindo por todos os lados.

Em Janeiro de 2020, esta conjunção ganhou um auxílio. Jupiter veio se juntar e escancarou todas as bordas e fronteiras, transformando uma questão que estava viva em determinados locais, em uma questão de todos nós. Muita confusão, incerteza, medo, uma tempestade coletiva se anunciou. Mas em qual barco você está navegando? Se você está lendo isto, é sinal de que está não só vivo, como tem conexão, provavelmente um teto, alguma comida na geladeira e, se Deus quiser, alguém para segurar a sua mão. Então vem comigo aqui para o próximo capítulo:

No momento temos quatro planetas retrógrados no céu. Em Junho, serão cinco. Em Setembro, serão seis. Falei de Vênus no último artigo então já se sabe que é tempo de revisão. Com este caminhão retrogradando mês após mês, a revisão é GERAL. A nível mundial, quem estava vivendo no velho sistema está precisando rever seus conceitos. Alguns bancos e instituições financeiras baixaram taxas de juros na cobrança de dívidas. Parece natural, mas há quem não está se mexendo. E quem não está se mexendo, vai dançar. Quem está resistindo e impossibilitando negociações, não encontrará espaço em um mundo que prezará pela parceria, a solução conjunta e as ações coletivas. Do mesmo jeito, relações afetivas endurecidas, sem espaço para o fluir, igualmente se dissolverão. Pode ser efeito da quarentena, do stress, mas astrologicamente é a quebra de paradigmas que a tríplice conjunção propõe a a retrogradação de planetas deixa muito claro e ativo.

Por isso, o que for extremo ficará ainda mais extremo a ponto de quebrar. Estamos no período de desconstrução, o que nos deixa muito vulneráveis, desconfortáveis, mas é desta gasolina que precisamos para avançar no túnel, em direção ao que e a quem seremos.

Confie em sua bússola interna: há caminho para todos. Uma boa pista é olhar onde Urano está transitando no seu mapa. Ele pode estar sendo inconveniente, abrupto, ou pode estar simplesmente apontando o dedo e dizendo “vai por ali!”. De todo modo é este moço que está segurando a lanterna. Honre a sua bagagem, experiência e tempo de casa, e sigamos.

Boa notícia: Jupiter RX voltará a fazer sextil com Netuno durante este período, indicando claramente as primeiras luzes da cura. Mais sobre isso no post sobre a Lua Nova no dia 22 de Maio.
Beijo, até breve

Continua após a publicidade

Publicidade