Clique e assine por apenas 4,90/mês

Regina Duarte rebelde: secretária homenageia Plinio Marcos e Migliaccio

Secretária de Cultura usa suas redes sociais para demonstrar afeto por ator que criticou o Brasil atual e por dramaturgo perseguido pela Ditadura

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 5 Maio 2020, 17h51 - Publicado em 5 Maio 2020, 17h03

Regina Duarte usou seu Instagram pela primeira vez desde que tomou posse como secretária de Cultura, no dia 4 de março, para lamentar publicamente a morte de um artista brasileiro. Depois de ignorar o falecimento de Rubem Fonseca, Moraes Moreira, Daniel Azulay e Aldir Blanc, a atriz postou, nesta terça-feira, um vídeo em homenagem a Flavio Migliaccio, ator que foi encontrado morto em seu sítio, em Rio Bonito, ao lado de uma carta de despedida. Regina usou um trecho da novela “Chiquinha Gonzaga”, na qual sua personagem (Chiquinha) demonstra saudades de Vagalume, interpretado por Migliaccio. Veja abaixo:

 

View this post on Instagram

Amigos que já se foram … #AMIGOS PARA SEMPRE .😉🤝💞💖#chiquinha

A post shared by Regina (@reginaduarte) on

Coronavírus: a despedida emocionada de João Bosco a Aldir Blanc

Continua após a publicidade

Neste mesmo dia, outro gesto de “ousadia”, da leal secretária de Bolsonaro: minutos depois, ela postou uma foto do dramaturgo Plinio Marcos (1935-1999), autor de peças que retratavam o submundo de São Paulo com linguagem forte, muitas vezes chula, e botava em debate temas marginalizados à época (anos 60 e 70), como prostituição, drogas e homossexualidade. Plinio foi duramente perseguido pela Ditadura Militar, teve várias peças censuradas – como na data de estreia de “Navalha na carne”, em 1967. O Teatro Opinião, em São Paulo, foi cercado pela polícia, que impediu a encenação do espetáculo. O post de Regina, repare, inclui até a hashtag #culturainquieta.

View this post on Instagram

#teatropliniomarcos #pliniomarcosautor #teatro 🎭 #cultura🎪🤹‍♀️🎬 #culturainquieta

A post shared by Regina (@reginaduarte) on

Um mundo sob o caos e seus influenciadores digitais

Coincidência ou não os únicos posts “mais à esquerda” de Regina entraram no ar no mesmo diz em que a secretária foi desautorizada pelo governo Bolsonaro. Exonerado da presidência da Fundação Nacional de Artes (Funarte) pela secretária há dois meses, Dante Henrique Mantovani foi reconduzido ao cargo no fim da tarde desta segunda-feira. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União, com a assinatura do ministro chefe da Casa Civil, Braga Netto (o mesmo que assinara a exoneração). O maestro saiu do anonimato ao relacionar o rock a droga, sexo, aborto e satanismo. A agenda de Regina Duarte para hoje prevê um encontro com Jair Bolsonaro em Brasília. Oficialmente, a secretária vai mostrar ao presidente o plano de cultura que elaborou para a pasta.

Para assinar Veja Rio clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade