Clique e assine por apenas 3,90/mês

O incômodo silêncio de Regina Duarte: artistas se revoltam

Secretária de Cultura mantém a rotina de ignorar solenemente a morte de brasileiros ligados às artes, irritando cada vez mais seus companheiros de classe

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 7 Maio 2020, 23h00 - Publicado em 7 Maio 2020, 17h35

Com a morte da atriz e radialista Daisy Lúcidi – ela faleceu em decorrência do coronavírus na madrugada desta quinta-feira (7) – , Regina Duarte teve outra oportunidade de se manifestar publicamente sobre a perda de mais um artista brasileiro. Mas a secretária especial de Cultura preferiu manter o silêncio, assim como se calou quando Rubem Fonseca, Moraes Moreira, Luiz Alfredo Garcia-Roza e Aldir Blanc morreram. Uma exceção foi aberta para Flávio Migliaccio, com quem contracenou em “Chiquinha Gonzaga” e “Rainha da Sucata” – e, necessário destacar, a festinha para o amigo foi feita num dia de certo estranhamento com o presidente Jair Bolsonaro, quando, num ato de rebeldia, homenageou também o dramaturgo Plinio Marcos, perseguido pela Ditadura. A filha de Plinio, aliás, pediu para ela apagar a foto.

Coronavírus: ‘Lutou até não ter mais força’, diz bisneta de Daisy Lúcidi

A atitude de Regina, ainda periclitante no cargo, vem irritando seus antigos companheiros de profissão e também personalidades ligadas à cultura. Em entrevistas ou nas redes sociais, atores como Antonio Fagundes, Lima Duarte, Humberto Carrão, Tuca Andrada e Letícia Sabatella já se pronunciaram contra o incômodo silêncio da secretária, assim como a fotógrafa e diretora de arte Mari Stockler e a apresentadora Astrid Fontelle, entre outros. Veja abaixo algumas postagens.

Stories: A opinião de Humberto Carrão Instagram/Reprodução

 

‘Nenhum pesar’: o lamento de Tuca Andrada Instagram/Reprodução

 

‘Oieee…’: Mari Stockler Instagram/Reprodução

Nesta quinta-feira, a secretária usou emojis variados para homenagear o jornalista de direita Caio Coppola, da CNN, que revelou ter testado positivo para a Covid-19 – mesmo vírus que tirou a vida de Daisy Lúcidi e Aldir Blanc. E o post em que festeja Plinio Marcos? Continua lá, apesar dos pedidos da família para que fosse apagado.

Para assinar Veja Rio clique aqui

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade