Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

‘Não admito desrespeito’, diz Romero Britto

Artista plástico, que teve obra espatifada por ex-admiradora, conversou com Pedro Bial mas não quis responder a novas perguntas sobre o episódio

Por Cleo Guimarães 19 ago 2020, 11h33

Você deve ter visto: artista plástico brasileiro radicado em Miami, Romero Britto teve uma obra sua, avaliada em R$ 26 mil, espatifada por uma mulher que foi à sua galeria para um “meet and greet” (encontro para fotos com artistas), e arremessou a peça de porcelana no pé do artista. Esta foi a forma encontrada pela empresária venezuelana Madeleine Sanchéz para protestar contra a maneira desrespeitosa como Britto teria tratado os funcionários de seu restaurante, também em Miami. O vídeo que mostra toda a ação viralizou na internet.

Dia Mundial da Fotografia: livros com o Rio como cenário

Romero já tinha gravado uma entrevista com Pedro Bial e, diante da repercussão do caso, o apresentador pediu uma nova entrevista para que ele contasse sua versão da história. De acordo com Bial, o artista concordou, depois disse que mandaria um depoimento gravado – e assim o fez, sem responder às novas perguntas enviadas pelo apresentador.

‘Quando me chamam de sapatão, abro um sorriso e desmonto a pessoa’, diz Bruna Linzmeyer

Alguns trechos do depoimento de Romero Britto, que foram ao ar no “Conversa com Bial”, nesta terça (18):

“A respeito do vídeo que anda circulando na internet, o incidente ocorreu em 2017, todos podem ver que fui vítima de uma pessoa que foi a uma das minhas galerias e quebrou uma peça que havia ganhado. Uma peça como aquela de porcelana ao quebrar poderia ter causado danos a mim, a ela ou qualquer outra pessoa no local. Nunca presenciei tamanho desrespeito em toda minha carreira.”

Continua após a publicidade

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

“Infelizmente, há pessoas que querem ficar famosas às custas de outras e levam aos extremos.”

“Através de minha arte, meu propósito sempre foi o de levar alegria, amor, esperança a todos. Não admito desrespeito e jamais tive a intenção de desrespeitar alguém.”

“O único fato é que os vídeos divulgados mostram uma pessoa agindo com violência contra um artista. E o tribunal da internet aplaudindo e fazendo apologia ao ódio.

“Como dizem pelo mundo, minha arte desperta um tipo de sentimento positivo, de alegria, e por isso é tão celebrada, seja por bilionários ou pessoas simples. Infelizmente, temos pessoas criticando, lutando contra o sucesso dos outros, ao invés de focarem em encontrar seu próprio sucesso e em uma maneira de ajudar o mundo e ser relevante para a sociedade.”

Veja abaixo o vídeo original, divulgado pela página Miami Problems:

Continua após a publicidade
Publicidade