Clique e assine por apenas 4,90/mês

Antonia Pellegrino: “Seguiremos fazendo cinema, atentos e fortes”

Roteirista de Democracia em Vertigem escreve desabafo para Veja Rio com críticas ao governo: "Querem transformar o Brasil no Irã"

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 10 fev 2020, 15h12 - Publicado em 10 fev 2020, 12h46

Uma das roteiristas de Democracia em Vertigem, filme de Petra Costa que disputou o Oscar de melhor documentário neste domingo (9), Antonia Pellegrino escreveu um desabafo. Ela fala sobre a sensação de vitória mesmo sem levar a estatueta (e com o governo fazendo campanha contra o longa), e da dificuldade em fazer cinema no Brasil atual.

Imensamente feliz: é assim que me sinto. Aqui, com tantas pessoas incríveis e corajosas. Foi uma vitória. “Democracia em Vertigem” mostrou pro mundo o processo de destruição que a democracia brasileira vem vivendo. E foi no momento em que mataram Marielle Franco que cruzamos a linha da barbárie. “Quem mandou matar Marielle” é uma pergunta que precisa ser feita, e respondida. Temos hoje um governo miliciano, que odeia a cultura, a informação, a ciência e a arte. Um governo que quer transformar o Brasil no Irã. E o Rio de Janeiro está na vanguarda deste projeto obscurantista. Mas nós vamos lutar. O nosso projeto é outro. É democrático, inclusivo, competente, solar e criativo. E Vamos levá-lo adiante com alegria, responsabilidade, criatividade. E daqui, do tapete vermelho, a gente diz que seguiremos fazendo cinema, atentos, fortes e com união. Viva o cinema brasileiro! Viva o nosso “Democracia em Vertigem”.

Publicidade