Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Coronavírus: ‘Não há necessidade de ampliar restrições’, diz Eduardo Paes

Após reunião com cientistas, prefeito diz que a prioridade agora é intensificar fiscalização; ele reafirmou que lockdown será decretado, "se for necessário"

Por Da Redação 1 mar 2021, 15h08

Eduardo Paes disse, nesta segunda (1), que foi orientado pelos integrantes do comitê científico da Covid-19 a não adotar o lockdown no Rio neste momento. Segundo o prefeito, os especialistas com quem se reuniu – um grupo formado por ex-ministros da saúde, ex-secretários de vigilância em saúde, infectologistas “e gente da Academia” – disseram não ser necessária a ampliação das medidas de restrição na cidade, pelo menos por agora.

Covid-19: idosos a partir de 79 anos serão vacinados até quarta no Rio (3)

“O encaminhamento que recebi é de que devemos manter as restrições que já temos na cidade, intensificando o controle, e acompanhar de perto os números da secretaria de saúde. Não há – neste momento – qualquer necessidade de ampliação das restrições, segundo eles”, escreveu o prefeito em sua conta no Twitter.

Covid: insumos para produzir 12 milhões de doses de vacina chegam ao Rio

Na última sexta (26), a prefeitura divulgou o mais recente boletim epidemiológico, na qual anunciou que três novas cepas do coronavírus foram detectados no Rio. Na ocasião, Paes disse que não excluiria a possibilidade de determinar um bloqueio na cidade, “caso fosse necessário”, leia aqui: Pressionado, Paes agora não descarta lockdown: ‘Farei o que for preciso’ .

Em cerimônia no Cristo Redentor para celebrar o aniversário de 456 anos da cidade, nesta segunda (1), Paes se disse preocupado com o aumento dos casos fora do Rio, e voltou a afirmar que é pautado pela ciência. “Os números do Rio são baixos e não há uma pressão sobre a rede pública. Temos uma diminuição de casos, de internações e de óbitos. Enquanto perdurar esse caso, é o que a ciência mandar, vamos fazer. Hoje mesmo vou conversar com o Comitê Científico porque estou preocupado com o aumento dos casos em outros estados e cidades, e não descarto medida nenhuma”.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade