Transformers — O Último Cavaleiro

Tipos de Gêneros dramáticos: Ação
Veja Rio
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Miguel Barbieri Jr.

(Divulgação/Reprodução)

Pela foto abaixo, dá para ter uma noção: há uma poluição visual gritante em Transformers — O Último Cavaleiro. O diretor Michael Bay, no quinto filme da cinessérie, exagerou em tudo. A estridente trilha sonora tem uma pegada grandiloquente, os efeitos visuais impressionam (no mau sentido) pelo excesso, as atuações beiram a canastrice e, como se não bastasse, o roteiro é muito confuso. Difícil não sair atordoa­do depois de uma sessão com (dispensáveis) duas horas e meia de duração. No fiapo de enredo, e entre dezenas de explosões, Cade Yeager (Mark Wahlberg) tentará salvar a Terra da destruição contando com a ajuda de um lorde inglês (Anthony Hop­kins) e de uma professora de Oxford (Laura Haddock). Vedetes das produções anteriores, Optimus Prime e Bumblebee aparecem pouco e abrem espaço para uma safra de outros robôs. Só com o barulho e a ação incessante, tem-se a certeza de que o jeito de renovar a série para fisgar um público mais novo foi equivocada. Direção: Michael Bay (Transformers — The Last Knight, EUA, 149min). 12 anos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s