ROTEIRO DA SEMANA

Teatro

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

ESTREIAS

ABALOU BANGU 2 ? A FESTA, de Flavio Marinho. Depois do sucesso da primeira versão, em 2003, com público superior a 100?000 espectadores, Marinho criou uma continuação da comédia sobre o casal Maria Elvira e Maurício Otavio. Cristina Pereira e Paulo Goulart dão vida aos pais de família que se mudaram para Copacabana e estão prestes a comemorar 40 anos de casados. Eles trocaram a tranquilidade de Bangu pelo agitado bairro da Zona Sul por insistência do filho Felipe, mas este mudou-se para a Barra logo que casou com Monique. No dia da tal festa no apartamento, o elevador do prédio quebra e os quarenta convidados dão desculpas esfarrapadas para não comparecer. Os únicos que honram o compromisso são os vizinhos gays Carlos (Cláudio Galvan) e Sílvio (Luciano Borges). Direção do autor (90min). 12 anos. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9895. → Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui.), R$ 70,00 (sex. e dom.) e R$ 80,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 18 de dezembro. Estreia prometida para sábado (10).

CHICO REI, de Márcio Miranda. Espetáculo de bonecos sobre a história do escravo Chico Rei, que prosperou em plena época de dominação colonial portuguesa. Através de bonecos inspirados na estatuária africana e na estética de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, é narrada a saga do personagem que se torna um herói político e habilidoso, quando reconstrói, simbolicamente, seu reino em meio à repressão e ao preconceito, numa época em que nada era mais valioso do que o ouro. Entre as passagens revividas estão a construção da Igreja do Alto da Cruz e um episódio sobre como Chico Rei teria introduzido o congado no estado de Minas Gerais, com o Reisado do Rosário. Direção do autor (60min). 14 anos. Caixa Cultural ? Teatro Nelson Rodrigues (388 lugares). Avenida República do Chile, 230, Centro. ☎ 2262-8152. ? Carioca. → Sexta (9) a domingo (11), 20h. R$ 15,00. Bilheteria: 13h/20h (ter. a sex.); 15h/20h (sáb., dom. e feriados).

UMA FLAUTA MÁGICA, de Franck Krawczyk, Marie-Hélène Estienne e Peter Brook, adaptação livre de A Flauta Mágica, de Mozart. A nova produção da Compagnie des Bouffes du Nord, que estreou em novembro em Paris, é uma versão musical compactada em 90 minutos da obra original, com 4 horas de duração. Os diálogos em francês são legendados em português, assim como as árias cantadas em alemão, a exemplo da célebre Rainha da Noite. No lugar da orquestra, os pianistas Franck Krawczyk e Matan Porat se revezam para embalar a encenação em que os diálogos dominam a narrativa. Iluminada com um intenso vermelho em boa parte, a montagem é desprovida de cenários e conta com efeitos de luz para a composição de ambientes como o palácio de Sarasto ou a prisão dos amantes Tamino e Pamina. Os nove integrantes do elenco, do qual faz parte o brasileiro Célio Amino, auxiliam nas composições cenográficas com o uso de varas de bambu. Direção de Peter Brook (90min). Livre. Teatro Dulcina (429 lugares). Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro, ☎ 2240-4879. ? Cinelândia. → Quarta a sexta, 20h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 14h (qua. a sex.). Até sexta (9). Estreia prometida para quarta (7).

NEM UM DIA SE PASSA SEM NOTÍCIAS SUAS, de Daniela Pereira de Carvalho. Ao lado do sobrinho, Pedro Garcia Netto, o ator Edson Celulari retorna ao palco na comédia dramática. A dupla interpreta os irmãos Joaquim, de 50 anos, e o caçula Juliano, que se encontram obrigados a sanar suas diferenças de convivência após a morte do pai. Os dois já tinham perdido a mãe anos antes e precisam esvaziar o antigo apartamento da família, desfazendo-se de móveis, objetos, coleção de discos e outras coisas. Enquanto reviram o baú de memórias, a revelação de um fato ocorrido há mais de duas décadas muda os rumos da história. Direção de Gilberto Gawronski (70min). 14 anos. Teatro do Leblon ? Sala Tônia Carrero (200 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta, 18h; sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui.); R$ 60,00 (sex. a dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 30 de outubro. Estreia prometida para sexta (9).

PEQUENA LOJA DE MISTÉRIOS, criação coletiva. Baseado no livro Insignes Detetives ? Personagens Históricos na Ficção Policial, de Ivan G. Maia, o espetáculo encenado por Adriana Maia, Ana Achcar, Flavio Souza, Tiago D?avila e Xando Graça é constituído de duas curtas comédias de suspense. A montagem inaugura o novo Teatro do Espaço Cultural Eletrobras Furnas. Na primeira, William Shakespeare é levado a desvendar um crime misterioso que envolve integrantes de uma trupe de teatro. Na segunda trama, Miguel de Cervantes se vê às voltas com uma acusação que o torna o principal suspeito de um assassinato, enquanto luta pela publicação de seu livro Dom Quixote de La Mancha. Direção de Marcos Vogel (60min). 14 anos. Teatro do Espaço Cultural Eletrobras Furnas (192 lugares). Rua Real Grandeza, 219, Botafogo, ☎ 2528-2794. → Sábado e domingo, 19h30. Grátis. Bilheteria: a partir das 18h (sáb. e dom.). Distribuição de senhas uma hora antes. Até 2 de outubro. Estreia prometida para sábado (10).

POR TELEFONE, de Antonio Fagundes. Inédita no Rio, a comédia romântica escrita pelo ator Antonio Fagundes conta a história de um casal que é acordado, durante a noite, por um telefonema com a notícia de demissão do marido. Os atores Jandir Ferrari e Juliana Teixeira encenam o espetáculo, que aborda questões sobre a decadência da classe média e assuntos contemporâneos, como corrupção, desemprego e relações de trabalho. Direção de Luiz Arthur Nunes (70min). 14 anos. Teatro Vannucci (450 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea, 3º piso (Shopping da Gávea), ☎ 2274-7246. Terça e quarta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 14h30 (ter. e qua.). IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 10 de novembro. Estreia prometida para quarta (7).

TOMMY ? A ÓPERA ROCK, de Pete Townshend, com adaptação de Alexandre Amorim. Traduzido, o musical conta a saga do traumatizado Tommy, que fica cego, surdo e mudo, mas se transforma num campeão de pinball. À frente de um elenco de 22 atores e acompanhados por oito músicos, Igor Guerra e Thadeu Matos dão vida ao protagonista nas fases da infância, da adolescência e adulta. Quando se recupera do trauma ? por testemunhar o assassinato do amante de sua mãe pelo próprio pai ?, catorze anos mais tarde, o rapaz se torna um astro, mas na verdade pretendia ser apenas uma pessoa comum. Direção cênica de Rubens Lima Jr. e musical de Guilherme Borges (60min). 12 anos. UniRio ? Teatro Paschoal Carlos Magno (90 lugares). Avenida Pasteur, 436, Urca. Segunda a quinta, 20h30; sábado, 21h. Grátis. Distribuição de senhas uma hora antes. Até dia 22. Estreia prometida para a segunda (5).

REESTREIAS

✪✪✪✪ A ALMA IMORAL, adaptação do livro homônimo do rabino Nilton Bonder. Clarice Niskier conquistou o troféu de melhor atriz no Prêmio Shell 2007 com o monólogo confessional. Visto por mais de 140?000 pessoas em cinco anos de carreira, o espetáculo, que já foi encenado em 23 cidades brasileiras, está de volta ao Rio. No palco, Clarice, nua quase todo o tempo, faz o papel de si mesma enquanto conversa com o público citando parábolas judaicas e passagens da Bíblia. Uma bela aula sobre a vida. Direção de Amir Haddad (80min). 18 anos. Estreou em 21/7/2006. Teatro do Leblon ? Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui. e sex.) e R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 18 de dezembro. Reestreia prometida para sexta (9).

✪✪✪ NISE DA SILVEIRA ? SENHORA DAS IMAGENS, de Daniel Lobo. No monólogo dramático multimídia, em que se misturam teatro, música e dança, Mariana Terra representa a psiquiatra Nise da Silveira (1905-1999), que revolucionou o tratamento de distúrbios mentais substituindo as sessões de eletrochoque por atividades de pintura e modelagem. A ficha técnica da produção conta com colaboradores de peso como Ferreira Gullar (biógrafo de Nise) e o doutor em literatura Marco Lucchesi, na elaboração do texto. A coreografia é assinada pela bailarina Ana Botafogo e a trilha sonora original foi composta pelo pianista João Carlos Assis Brasil. Direção do autor (90min). 16 anos. Estreou em 11/2/2011. Centro Cultural Correios (200 lugares). Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Quinta a domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (qui. a dom.). Até 23 de outubro. Reestreia prometida para sexta (9).

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪✪ ATO DE COMUNHÃO, de Lautaro Vilo, com tradução de Amir Harif. O monólogo dramático rendeu a seu intérprete, Gilberto Gawronski, a indicação ao Prêmio Shell 2011 de melhor ator. O texto do dramaturgo argentino é baseado na história real de um crime bárbaro, cometido na Alemanha, em 2001, por Armin Meiwes. O assassino ficou conhecido como ?O Canibal de Rotemburgo?, após matar o engenheiro de computação Bernd Jürgen Brandes, de 42 anos. Amparado em recursos de internet e projeções de vídeo de Jorge Neto, o ator narra em primeira pessoa três momentos na vida de Meiwes: sua festa de aniversário de 8 anos, a cerimônia fúnebre da mãe em sua juventude e, já adulto, o fatídico encontro marcado pela internet, com consequências bizarras. Recomenda-se prudência a pessoas impressionáveis, porque a narrativa contém situações de violência descritas detalhadamente. Direção de Gilberto Gawronski e Warley Goulart (55min). 18 anos. Estreou em 5/4/2011. Teatro Gláucio Gill ? Café do Gláucio (40 lugares). Praça Car­deal Arcoverde, s/n°, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Sábado e domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sáb. e dom.). Até domingo (11).

FERIADO DE MIM MESMO, de Santiago Nazarian, com adaptação de Fabiano de Freitas. Drama. Versão teatral do livro homônimo de Nazarian sobre a história do jovem tradutor Miguel. Ele vive numa rotina em que estimulantes, antidepressivos e moderadores de apetite limitam o perigoso conflito entre sanidade e loucura. De comportamento solitário, o rapaz trabalha em casa, não tem amigos nem conhece os vizinhos. De repente o cotidiano doméstico o surpreende com objetos mudados de lugar, recados roubados na secretária eletrônica e o aparecimento de roupas molhadas que não são suas. No elenco estão Leonardo Corajo, Mauricio Lima e Renato Carrera. Direção de Fabiano de Freitas (75min). 16 anos. Estreou em 19/8/2011. Espaço Sesc ? Sala Multiuso (50 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (11).

✪✪✪ O FILHO ETERNO, de Cristóvão Tezza, com adaptação de Bruno Lara Resende. Inspirado por uma experiência pessoal, a convivência com o filho mais velho, Felipe, portador da síndrome de Down, o paranaense Cristovão Tezza escreveu o romance vencedor de oito prêmios literários, entre eles o Jabuti. Na adaptação da obra para o palco, em forma de monólogo dramático, o diretor Daniel Herz e o ator Charles Fricks repetem o feito do autor: combinam alguma crueza, lirismo e pungente sinceridade. Apoiado em cena apenas por uma cadeira, Fricks preserva a trama distante da pieguice. Seu personagem divide com o público inseguranças, descobertas e pequenas conquistas. Trata-se de uma história dura, mas, fiel ao original, de desfecho redentor (75min). 12 anos. Estreou em 3/6/2011. Oi Futuro Flamengo (71 lugares). Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Sexta a domingo, 19h30. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 11h (sex. a dom.). Até domingo (11).

O HOMEM, A BESTA E A VIRTUDE, de Luigi Pirandello, com tradução de Marcus Caruso. Escrita em 1919 pelo dramaturgo italiano Pirandello (1867-1936), a comédia tem concepção cênica da atriz Débora Duboc, que interpreta a Senhora Perella, a protagonista. Foi Fernanda Montenegro quem deu vida à mesma personagem em 1962 na primeira montagem brasileira do espetáculo. Acompanhada pelos atores Gabriel Miziara, Fernando Fecchio, Thiago Adorno e Rogério Santos, ela encena a história da mulher de um capitão de navio, o Senhor Perella, que viaja constantemente. Como há muito tempo a esposa não desfruta plenamente sua vida conjugal, encontra carinho no professor particular de seu filho. Direção de Marcello Lazzaratto (80min). 10 anos. Estreou em 2/8/2011. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9895. → Terça e quarta, 21h30. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 15h (ter. e qua.). IC. Grátis para estudantes e professores da rede pública. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até quarta (7).

A MORTE DO PATO ? UMA FÁBULA URBANA, de Renato Carrera. Suspense e terror são os ingredientes do drama inspirado no universo das histórias em quadrinhos. Na trama, Cecília Hoeltz (Sibila), Cris Larin (Marta), Lucas Gouvêa (Rerói) e Henrique Pedroso (homem sem rosto) interpretam personagens de meia-idade que se encontram após um incidente em uma metrópole destruída. Direção do autor (80min). 16 anos. Estreou em 13/8/2011. Teatro Gláucio Gill (104 lugares). Praça Car­deal Arcoverde, s/n°, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Sábado a segunda, 21h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sáb. a seg.). Até segunda (5).

✪✪✪ TIM MAIA ? VALE TUDO, O MUSICAL, de Nelson Motta. Adaptação da biografia Vale Tudo ? O Som e a Fúria de Tim Maia, realizada pelo autor do livro e pelo diretor do musical, João Fonseca. O papel-título é interpretado pelo jovem ator Tiago Abravanel na produção que repassa a trajetória do artista dos 12 aos 55 anos. Em diferentes épocas, ele atendia pelos nomes Sebastião Rodrigues Maia (1942-1998), Tião Marmiteiro e, finalmente, Tim Maia. Completam o elenco Izabella Bicalho, Lilian Valeska, Pedro Lima, André Vieri, Bernardo La Roque, Reiner Tenente, Evelyn Castro, Pablo Ascoli, Anna Carbatti e Leticia Pedroza. No palco, são onze números executados ao vivo por uma banda com seis músicos ? Cássio (teclado), Leandro Vasques (baixo), Bezaleel (sax tenor), Marcelo Rezende (guitarra), Josias Franco (trompete) e Tiago Silva (bateria) ?, levando sucessos como Do Leme ao Pontal, Azul da Cor do Mar e Não Quero Dinheiro (180min, com intervalo). 14 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro Carlos Gomes (685 lugares). Praça Tiradentes, 19, Centro, ☎ 2232-8701. Quinta a sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 40,00 (qui., sex. e dom.) e R$ 50,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 11h (qui. e sex.); a partir das 14h (sáb. e dom.). Até domingo (11).

✪✪✪✪ UM VIOLINISTA NO TELHADO, de Joseph Stein, Sheldon Harnick e Jerry Bock, com versão de Claudio Botelho. Apesar do que sugere o título, o musical não conta a história de um instrumentista performático. O texto de Stein, basea­do em contos judaicos de Sholem Aleichem, trata do processo de expulsão dos judeus da Rússia no início do século passado. Ambientada na fictícia aldeia de Anatevka, no interior da Rússia, a obra gira em torno do leiteiro Tevye e da dona de casa Golda, dando duro para criar as cinco filhas. Acompanhados por uma orquestra com dezessete músicos, José Mayer e Soraya Ravenle interpretam os protagonistas à frente de um elenco de 43 atores-cantores. A superprodução conta com versões de Janice Botelho para as coreografias originais de Jerome Rob­bins, nove trocas de cenário de Rogério Falcão e 160 figurinos criados por Marcelo Pies. Direção geral de Charles Möeller e direção musical de Marcelo Castro (130min, com intervalo). 5 anos. Estreou em 20/5/2011. Teatro Oi Casa Grande (926 lugares). Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon. ☎ 2511-0800. Quinta e sexta, 21h; sábado, 17h30 e 21h30; domingo, 15h e 19h. R$ 40,00 a R$ 120,00 (qui. e sex.); R$ 60,00 a R$ 150,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: 15h/20h (ter.); 15h/21h (qua. a sex.); 12h/21h30 (sáb.); 12h/19h (dom.). Cc: todos. Cd: todos. IC. Estac. no Shopping Leblon (R$ 5,00 por uma hora). Até dia 11.

EM CARTAZ

A OLHO NU, de Duda Gorter. Tragicomédia interpretada por Rose Abdallah e Marcello Melo. A peça propõe ao público uma reflexão sobre como agir em situações-limite. Ela (nome da personagem feminina) acorda de um pesadelo sentindo-se frágil e desamparada, sem ânimo para seguir sua rotina. Perplexa com a violência do mundo ao seu redor, decide romper com tudo e voltar-se para dentro, criando um novo universo, supostamente mais seguro e harmonioso do que a chamada realidade. Há também em cena um homem que a provoca e a obriga a interagir com o mundo exterior. Direção da autora (50min). 14 anos. Estreou em 19/4/2011. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (462 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Sábado, 18h; domingo, 17h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 9 de outubro.

ADOREI O QUE VOCÊ FEZ, de Carole Greep, com tradução de Clara Carvalho. A comédia com Marcia Cabrita, Marcos Breda, Luiz Guilherme e Naura Schneider fez duas temporadas em São Paulo e atraiu mais de 30?000 espectadores. Recheado de ironia, o espetáculo conta a história de dois casais de amigos que estão para se ver pela primeira vez após um longo período. Um dos pares, formado por Marie (Márcia) e Pedro (Breda), é sofisticado e bem-sucedido financeiramente. Já Carlos (Guilherme) e Carol (Naura) levam uma vida mais modesta e com menos preocupações consumistas. O reencontro inspira momentos de sarcasmo e atritos. Direção de Alexandre Reinecke (90min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Teatro Fashion Mall ? Sala 2 (296 lugares). Estrada da Gávea, 899, 2º piso, São Conrado, ☎ 3322-2495. → Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui. e sex.) e R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 8,00 por duas horas). Até 30 de outubro.

BENT, de Martin Sherman, com tradução de Luiz Fernando Tofanelli. Depois de temporadas no Rio em 2005 e em 2008, com os mesmos Gustavo Rodrigues (Rudy) e Augusto Zacchi (Max) nos papéis principais, a montagem volta ao circuito. Bent é uma das muitas palavras pejorativas usadas na Europa para designar um homossexual. O drama se passa na Alemanha nazista, antes da II Guerra Mundial. Os homossexuais Max e Rudy são presos e enviados a um campo de concentração, condenados a trabalhos forçados. Rudy é morto durante a transferência e Max se liga a outro prisioneiro, Horst. Completam o elenco Augusto Garcia, Breno Pessurno, Miro Marques, Henrique Manoel Pinho, Vinicius Vommaro, Evandro Manchini. Direção de Luiz Furlanetto (60min). 16 anos. Estreou em 1º/9/2005. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Segunda e terça, 21h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 15h (seg. e ter.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até dia 27.

OS CAPANGAS, de Paula Rocha, Rodrigo Candelot e Saulo Rodrigues. Os apertos e as aventuras de três atores desempregados que dividem um conjugado em Copacabana são o tema desta comédia. Saulo Rodrigues (eventualmente substituído por Aldo Perrota), Rodrigo Candelot e Igor Paiva interpretam os Amigos 1, 2 e 3, respectivamente. Eles encaram trabalhos como estátua viva, personagem de pegadinhas e dublê num filme do Stallone, entre outras alternativas para pagar as contas. Completam o elenco Charles Paraventi e Mário Hermeto, que se desdobram em vários papéis. Direção de Rubens Camelo (80min). 14 anos. Estreou em 26/4/2011. Teatro Candido Mendes (133 lugares). Rua Joana Angélica, 63, Ipanema, ☎ 2267-7295. Sexta e sábado, 23h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. e sáb.). Até 8 de outubro.

✪✪✪ DEPOIS DO FILME, de Aderbal Freire-Filho. Após uma década sem representar, Aderbal assina a direção e estrela o monólogo dramático que inaugura o Teatro Poei­rinha, das atrizes Andréa Beltrão e Marieta Severo. O espetáculo gira em torno de Ulisses, papel já vivido pelo ator no longa-metragem Juventude (de 2008, em coautoria com Domingos Oliveira e Paulo José), que, com o fim do filme, precisa se confrontar novamente com a vida real. No palco, o filme Juventude torna-se, na verdade, uma lembrança que ele confunde com outra realidade (70min). 14 anos. Estreou em 13/5/2011. Teatro Poeirinha (70 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Até dia 25.

✪✪✪ DOIDAS E SANTAS, de Regiana Antonini, inspirada no livro homônimo de Martha Medeiros. Nesta comédia romântica é contada a história da psicanalista Beatriz (Cissa Guimarães), de seu marido, Orlando (Giusep­pe Oristânio), e da filha adolescente Marina (Josie Antello, que encarna ainda os papéis da tia Berenice e da avó Elda). Após vinte anos, o casamento acaba, a mulher independente se lança à vida e engata um romance com um jovem. Depois de curtir adoidado, Beatriz é procurada por Orlando e muda seus planos. Direção de Ernesto Piccolo (95min). 12 anos. Estreou em 1º/5/2010. Teatro Vannucci (450 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea, 3º piso (Shopping da Gávea), ☎ 2239-8545. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.), R$ 80,00 (sáb.) e R$ 70,00 (dom.). Bilheteria: a partir das 14h30 (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 18 de dezembro.

✪✪✪✪ EMILINHA E MARLENE ? AS RAINHAS DO RÁDIO, de Julio Fischer e Thereza Falcão. O musical conta a trajetória de sucessos, a partir de 1949, da cantora carioca Emilinha Borba (1923-2005) e da rival paulistana Marlene, de 87 anos, interpretadas pelas atrizes Vanessa Gerbelli e Solange Badin, respectivamente. Com mais de cinquenta canções executadas ao vivo, o espetáculo revisita os sucessos, as dificuldades e as vidas pessoais das duas artistas, que mantinham numerosos fãs-clubes. Completam o elenco Stella Maria Rodrigues, Ângela Rebello, Rosa Douat, Cristiano Gualda, Luiz Nicolau, Ettore Zuim, Mona Vilardo e Cilene Guedes, acompanhados pelos músicos Affonso Neto (bateria), Clay Protásio (baixo), Jonas Corrêa (trombone), Eduardo Santana (trumpete) e Gabriel Gabriel (saxofone). Direção cênica de Antonio de Bonis e direção musical de Marcelo Alonso Neves (150min, com intervalo). Livre. Estreou em 4/8/2011. Teatro Maison de France (352 lugares). Avenida Presidente Antônio Carlos, 58, Centro, ☎ 2544-2533. Quinta e sexta, 19h30; sábado, 20h30; domingo, 18h30. R$ 60,00 (qui. e sex.) e R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Estac. c/manobr. (R$ 10,00). Até 11 de dezembro.

ESCOLA DE MULHERES, de Molière. Celebrando 21 anos de carreira, Oscar Magrini protagoniza a comédia clássica do dramaturgo francês ao lado de Monique Alfradique, Cláudio Andrade, Beto Nasci e Patricia Vilela. A trama gira em torno de Arnolfo (Magrini), um homem com mais de 40 anos que se considera exímio conhecedor das traições conjugais e dos motivos que levam a esses comportamentos. Para não sofrer a dor insuportável da traição, ele ?adotou? a menina Inês (Monique), que na época tinha quatro anos. Mas seus planos correm o risco de ir por água abaixo porque Inês, já com 18 anos, apaixona-se pelo jovem Horácio (Cláudio), filho de seu amigo Oronte (Nasci). Direção de Roberto Lage (90min). 12 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Vermelha (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 70,00 (sex. e dom.) e R$ 80,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até dia 25.

EU TE AMO, de Ar­naldo Jabor. Remontagem do drama adaptado no ano passado pelos cineastas Lírio Ferreira e Rosane Svartman. Desta vez, Alexandre Borges retorna aos palcos após nove anos de afastamento para encenar com Juliana Martins a versão tea­tral da obra lançada nas telas em 1981 e vertida para o palco seis anos depois. A dupla de atores interpreta o casal Paulo e Maria, que deseja se amar, mas, ao mesmo tempo, teme essa entrega recíproca. Uma curiosidade: a última peça de Borges foi Eu Sei que Vou Te Amar, também de Jabor, encenada ao lado da mulher, Julia Lemmertz. Direção de Lírio Ferreira e Rosane Svartman (75min). 16 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (462 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.) e R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 2 de outubro.

FATOR RH, de Karen Liberman. É a própria autora quem interpreta o monólogo cômico ambientado em um departamento de recursos humanos. A protagonista é gerente de RH de uma empresa, e o espetáculo acontece durante uma entrevista de emprego. Ela se dirige aos integrantes da plateia como se eles fossem candidatos à tal vaga. Direção de Maria Clara Guim (60min). 12 anos. Estreou em 12/8/2011. Casa de Cultura Laura Alvim ? Espaço Rogério Cardoso (60 lugares). Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2015. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: 16h/21h (ter. a sex.); 15h/21h (sáb. e dom.). IC. Até 2 de outubro.

✪✪ GAROTOS, de Leandro Goulart. Nesta comédia de temática adolescente, cinco jovens retratam as aventuras e desventuras de um homem desde seus dez anos de idade. Assuntos como virgindade, drogas, sexualidade, perdas, paixões, família, traição e gravidez, entre outros, são encenados por rostos conhecidos na TV. Gabriel Chadan, Ivan Mendes, José Loreto, Caio Bucker e Rael Barja (substituindo temporariamente Ícaro Silva) dão vida ao alter ego de Goulart em quadros que variam do humor a poesia. Apesar das boas intenções, a montagem peca pelo excesso de expressões chulas e de gestos obscenos durante os diálogos. Direção cênica de Afra Gomes e Leandro Goulart, e musical de Isadora Medella (60min). 14 anos. Estreou em 16/10/2010. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sábado, 19h; domingo, 18h30. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (sáb. e dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 22 de dezembro.

O IDIOTA ? PRIMEIRO DIA, de Fiódor Dostoièvski. Em um cenário concebido pela artista plástica Suzana Queiroga, no Parque das Ruínas, os atores Bruna Brignol, João Lucas Romero, Natacha Gaspar, Pedro Emanuel, Sergio Santoian e Yasmin Garcez encenam o drama. A trama relata a trajetória do príncipe Míchkin, de 27 anos, que retorna a Petersburgo após permanecer vários anos em um sanatório na Suíça para tratar da sua epilepsia. Direção de Fábio Ferreira (90min). 14 anos. Estreou em 5/8/2011. Centro Cultural Parque das Ruínas (60 lugares). Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2252-1039. Sexta a domingo, 19h. R$ 16,00. Bilheteria: a partir das 18h (sex. a dom.). Até dia 25.

✪✪✪ INBOX, de Clarice Falcão e Gregório Duvivier. Ambientado na internet, o drama aborda a relação virtual entre uma famosa escritora chamada Clara e um fã que, sob o pseudônimo John, passa a assediá-la obsessivamente usando mensagens de correio eletrônico. Ao lado da atriz Maria Eduarda, Gregório encena a trama sobre a evolução desse relacionamento ? a autora, fragilizada por uma crise conjugal e criativa, é levada a rever seu casamento e a vida profissional. Direção de Bel Garcia (60min). 12 anos. Estreou em 30/7/2011. Centro Cultural Justiça Federal (142 lugares). Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550. → ? Cinelândia. Sexta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até dia 18.

✪✪✪ O INCRÍVEL SEGREDO DA MULHER-MACACO, de Saulo Sisnando. Fundadores da Cia. Os Surtados, do sucesso Surto, Rodrigo Fagundes e Wendell Bendelack superam as expectativas mais otimistas com essa comédia de suspense. Mais madura em cena, e apoiada por um caprichado texto de besteirol de Sisnando, a dupla se desdobra em seis personagens na trama de mistério. Ambientada em Hollywood, a ação se passa na mansão da família Stanwyck Mac Graw, proprietária do decadente Halley Newton Metrocolor International Incorporated Studios. O sobrenome pomposo e a quilométrica razão social da produtora de cinema são pronunciados em inglês macarrônico e velozmente, garantindo as gargalhadas. A trama começa com o assassinato da mulher-macaco ? moça adotada pelos Stanwyck Mac Graw que só revela sua estranha metamorfose na idade adulta. O corpo é encontrado pela governanta Agatha e por um visitante, o senhor Lockwood, repórter disfarçado da revista Famous and Infamous Hollywood Gossip Magazine. A partir daí, são reconstituídos os hilariantes fatos que levaram ao desfecho trágico. Direção do autor (80min). 12 anos. Estreou em 6/8/2011. Teatro Candido Mendes (133 lugares). Rua Joana Angélica, 63, Ipanema, ☎ 2267-7295. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Até 9 de outubro.

✪✪✪ INVERNO DA LUZ VERMELHA, de Adam Rapp. Um triângulo amoroso e as consequências que podem surgir do encontro entre as três partes movem este drama do autor americano. Em uma noite no Red Light District, o Bairro da Luz Vermelha, em Amsterdã, os amigos e turistas David (André Frateschi) e Matheus (Rafael Primot) têm contato com a mesma mulher, a prostituta Christine (Marjorie Estiano). Um ano depois ela os reencontra e o público percebe como a experiência influenciou o comportamento de cada um dos envolvidos. A produção conta com cenários de Daniela Thomas, figurinos de Cássio Brasil e iluminação de Maneco Quinderé. Direção de Monique Gardenberg (110min). 16 anos. Estreou em 18/3/2011. Teatro Fashion Mall ? Sala 1 (450 lugares). Estrada da Gávea, 899, 2º piso, São Conrado, ☎ 3322-2495. → Sexta e sábado, 21h30; domingo, 19h30. R$ 50,00 (sex.) e R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 8,00 por duas horas). Até dia 25.

✪✪✪✪ A LUA VEM DA ÁSIA, de Campos de Carvalho. Foi o próprio ator Chico Diaz quem adaptou para o palco o romance homônimo de Walter Campos de Carvalho (1916-1998) para apresentar seu monólogo de estreia. No texto repleto de humor cáustico e com tinturas surrealistas, é contada, em forma de diário, a trajetória de um homem incomum em busca de um entendimento e justificativas perante a vida (e a morte), desafiando com muita ironia a lógica do mundo. Fantasioso, o personagem a princípio deixa o leitor em dúvida sobre onde realmente está (uma prisão, um hospício e um campo de concentração são algumas possibilidades) e a veracidade de seus relatos de viagens, mas, ao fim da sessão, não resta a menor dúvida sobre a lucidez de suas observações a respeito do comportamento humano. Direção de Moacir Chaves, com a supervisão dramatúrgica de Aderbal Freire-Filho (80min). 14 anos. Estreou em 6/1/2011. Teatro Sesi (350 lugares). Avenida Graça Aranha, 1, Centro, ☎ 2563-4163. → Sexta a domingo, 19h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 12h (sex. a dom.). TT. Até dia 25.

MUITA MULHER PRA POUCO MUSICAL, de Aurora Dias e Menelick de Carvalho. Primeira montagem do Grupo Teatral As Sadomusicistas, formado por cinco atrizes-cantoras que se conheceram no curso de pós-graduação em teatro musicado da UniRio. Nesta comédia musical, Aline Carrocino, Ana Luisa Leite, Aurora Dias, Marcela Dias e Tatiana Sobral mostram versões para o português de números de alguns espetáculos apresentados recentemente nos circuitos nova-iorquinos da Broadway e off-Broadway. Acompanhadas pelo ator Rafael de Castro e pelos pianistas Guilherme Borges e Luiz Eduardo Domingues, as atrizes revisitam canções originais de produções como The Last Five Years, Avenue Q e The Wild Party. Direção cênica de Claudia Ricart e musical de Dani Calazans (60min). Livre. Estreou em 8/4/2010. Teatro Candido Mendes (133 lugares). Rua Joana Angélica, 63, Ipanema, ☎ 2267-7295. Quinta, 21h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 14h (qui.). Até 6 de outubro.

NA ROTINA DOS BARES, de Marcos França. Interpretado por Antonio Pedro Borges, Édio Nunes, Sheila Matos, Letícia Medella e pelo próprio França, o musical pretende contar a história do Rio, voltando no tempo, de 1976 a 1930, da perspectiva das mesas de tradicionais botequins cariocas. Entre as 25 canções do repertório estão clássicos como Conversa de Botequim (Noel Rosa e Vadico), Memórias do Café Nice (Artúlio Reis e Monalisa) e Camisa Listrada (Assis Valente). O ponto de partida para a narrativa é o fechamento do primeiro Bar Lamas, em 1976, para a construção do metrô. São relembrados também episódios passados em lugares históricos, a exemplo do Cassino da Urca, da Casa Vilarino, do Cabaré Apolo, do Bar Veloso e do Beco das Garrafas, com personagens como Nássara, Carmen Miranda, Aracy de Almeida e Tom Jobim. Direção de Ana Paula Abreu (90min). 12 anos. Estreou em 3/9/2011. Teatro Sesc Ginástico (513 lugares). Avenida Graça Aranha, 187, Centro, ☎ 2279-4027. → Quinta a domingo, 19h. R$ 20,00 (qui., sex. e dom.) e R$ 30,00 (sábado). Bilheteria: a partir das 13h (qui. a dom.). Até 2 de outubro.

✪✪✪ NA SELVA DAS CIDADES, de Bertolt Brecht. Escrito em 1921, o oitavo drama de Bertolt Brecht (1898-1956) é considerado um de seus textos mais enigmáticos. No palco, Daniel Dantas, Inez Viana, Marcelo Olinto e Maria Luisa Mendonça estão à frente do elenco que encena a trama ambientada em Chicago, no ano de 1912, e que tem a ação centrada na violenta relação entre o comerciante malaio de madeira Schlink e o jovem George Garga, que se recusa a vender sua consciência, apesar de uma polpuda oferta. Direção de Aderbal Freire-Filho (140min). 16 anos. Estreou em 11/8/2011. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro I (175 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Quarta a domingo, 19h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 10h (qua. a dom.). Até 9 de outubro.

✪✪✪ NOVECENTOS, de Alessandro Baricco. Interpretado por Isio Ghelman, o monólogo dramático conta a história de um exímio pianista de 32 anos que jamais pisou em terra firme. Nesta fábula, cujo título é o sobrenome criado para o protagonista, um bebê recém-nascido é abandonado dentro de uma caixa de papelão, sobre um piano de cauda do navio Virginian ? em 1900. O marinheiro que encontra o menino resolve adotá-lo e batizá-lo de Danny Boodmann Novecentos. Direção de Victor Garcia Peralta (60min). Livre. Estreou em 18/6/2011. Midrash Centro Cultural (50 lugares). Rua General Venâncio Flores, 184, Leblon, ☎ 2239-1800. → Sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 18h (sáb. e dom.). Até 30 de outubro.

POR POUCO, de Samuel Benchetrit, com tradução de Jacqueline Laurence. Comédia assinada pelo elogiado dramaturgo contemporâneo e cineasta francês sobre os idosos Paul e Jules, que se rebelam contra a morte iminente e saem pelo mundo atrás de uma justificativa para tudo por que passaram. No palco, os atores Ilvio Amaral, Maurício Canguçu, Flávia Fernandes e Wolney Oliveira encenam a história dos dois protagonistas, que se conhecem no hospital onde estão internados e, ao receber a notícia de que lhes restam poucos dias de vida, resolvem fugir. Direção de Ary Coslov (90min). 10 anos. Estreou em 4/8/2011. Teatro Poeira (130 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537- 8053. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 (qui. e sex.) e R$ 40,00 (sáb. e dom.). Bi­lheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Até dia 25.

✪✪✪ ROSA, de Martin Sher­man. Debora Olivieri está à frente do monólogo dramático escrito pelo americano Martin Sherman (autor da aclamada peça Bent, de 1979) e traduzido por Manuel Mendes Silva. A personagem-título é uma senhora judia octogenária que, durante o período de luto judaico conhecido como shivah, relembra a sua vida. O jorro de memórias começa em sua infância em Yultishka, pequena cidade ucraniana, e chega até os dias de hoje, em Miami Beach, já nos Estados Unidos, onde viria a se radicar. Direção de Ana Paz (80min). 12 anos. Estreou em 3/6/2011. Teatro do Leblon ? Sala Tônia Carrero (200 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Terça e quarta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (ter. e qua.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 12 de outubro.

✪✪✪ TANGO, BOLERO E CHA CHA CHA, de Eloy Araújo. Edwin Luisi celebra quarenta anos de carreira com a remontagem desta comédia. Ele encarna a transexual Lana Lee, personagem que um dia se chamou Daniel, foi casado com Clarice (Alice Borges) e é pai de Denis (Johnny Massaro). Dez anos depois de abandonar a família, ele volta para casa como Lana, para explicar seu sumiço e apresentar o marido, Peter (Carlos Bonow), com quem mora na França. Graças a uma série de confusões provocadas pela empregada Genevra (Carolina Loback), o filho vai sabendo aos poucos detalhes sobre a nova vida do pai. Direção de Bibi Ferreira e Paulo Afonso de Lima (120min). 14 anos. Estreou em 18/3/2010. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Azul (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 70,00 (qui., sex. e dom.) e R$ 80,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até dia 25.

TANTO POR FAZER, de Tessy Callado e Rosário Nascimento e Silva. Atriz e coautora, Tessy sobe ao palco com Simone Franco para encenar a comédia sobre duas amigas que se reencontram após muitos anos, mas em situações bastante distintas. Eva (Simone) escolheu investir na carreira e, ainda sem filhos, procura engravidar. Maria (Tessy) é uma dona de casa e mãe de família que deseja agora arrumar um emprego. Num curto espaço de tempo, as duas são levadas a trocar duras verdades e revelações insuspeitadas. Direção de Carlos Cardoso (60min). 14 anos. Estreou em 2/9/2011. Sesc Rio Casa da Gávea (80 lugares). Praça Santos Dumont, 116, Gávea, ☎ 2239-3511. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 17h30 (sex. a dom.). Até 9 de outubro.

A VARANDA DE GOLDA, de William Gibson. No monólogo dramático, Rosane Gofman interpreta a primeira-ministra de Israel Golda Meir (1898-1978). A trama se passa durante a Guerra do Yom Kippur, em 1973, quando a líder política lutava para conseguir a ajuda dos Estados Unidos ? na ocasião, o apoio americano era a única esperança de sobrevivência do estado de Israel. Direção de Ary Coslov (80min). 12 anos. Estreou em 11/8/2011. Solar de Botafogo (180 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, ☎ 2543-5411. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h30. R$ 50,00 (qui. e dom) e R$ 60,00 (sex. e sáb.). Bilheteria: 15h/21h (ter. a dom.). IC. Até dia 25.

✪✪✪ VELHA É A MÃE!, de Fabio Porchat. Louise Cardoso comemora a marca de 40?000 espectadores em 180 apresentações após ano e meio da trajetória desta comédia. No palco, ela encarna uma mulher de 70 anos com aparência de 50, conquistada graças a muitas plásticas, Botox e horas a fio na academia. Apesar do corpo enxuto, seu marido a troca por outra. A senhora será confortada pela filha Alice, uma solteirona de 39 anos (Ana Baird). Em meio a ataques de fúria, a mãe só se interessa por uma coisa: a idade de sua substituta. Direção de João Fonseca (70min). 12 anos. Estreou em 16/1/2010. Teatro Clara Nunes (527 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 3º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9696. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 70,00 (sex. e dom.); R$ 80,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 30 de outubro.

✪✪✪ VOCÊ PRECISA SABER DE MIM, de Pedro Bricio, Jô Bilac, Rodrigo Nogueira, Vitor Paiva, Henrique Tavares e Emanuel Aragão. Comédia dramática. Na montagem em que o número de autores corresponde ao dobro do elenco, formado por Gisele Fróes, Luiza Mariani e Alexandre Nero, é contada a história de um homem que começa a reconstituir a história de sua família ao encontrar cartas deixadas por sua bisavó. Direção de Jef­ferson Miranda (110min). 14 anos. Estreou em 14/8/2011. Espaço Tom Jobim ? Galpão das Artes (70 lugares). Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico, ☎ 2274-7012. Sábado e domingo, 18h; segunda, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 14h (sáb. a seg.). IC. Estac. grátis. Até 3 de outubro.

HUMOR

✪✪✪ COMÉDIA EM PÉ, de Claudio Torres Gonzaga, Fábio Porchat, Fernando Caruso, Léo Lins e Paulo Carvalho. Munido apenas de microfone, o quinteto apresenta monólogos de humor com fatos do cotidiano. Direção dos autores (90min). 14 anos. Estreou em 10/1/2007. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Quarta e quinta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (qua. e qui.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 15 de dezembro.

COMO É QUE PODE?, de Gabriel Louchard e Mauricio Rizzo. No monólogo cômico, Louchard mescla quadros de stand-up comedy com números de mágica, apoiado por recursos de vídeo, efeitos de iluminação e aparelhos de ilusionismo. O espetáculo interativo inclui piadas com base no título do show, levando ao público reflexões sobre, entre outras coisas, o que teria levado a seleção a perder todos os pênaltis na Copa América. Direção de Leandro Hassum (60min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Teatro dos Grandes Atores ? Sala Vermelha (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sexta e sábado, 23h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até 29 de outubro.

FORA DO NORMAL, de Fabio Porchat. Um dos integrantes do quinteto Comédia em Pé, o ator, diretor e roteirista apresenta o espetáculo-solo de humor focado em situações cotidianas e crítica política. Direção do autor (60min). 14 anos. Estreou em 15/1/2010. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Sexta e sábado, 23h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até dia 24.

LENTE DE AUMENTO, de Leandro Hassum. Monólogo de humor escrito e protagonizado por Hassum, o espetáculo lança um olhar divertido sobre situações cotidianas. Dividida em três partes, a montagem traz um convidado diferente a cada apresentação, que pode ser um mágico, um mímico ou uma banda. Direção de Daniela Ocampo (75min). 12 anos. Estreou em 6/10/2008. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h30. R$ 70,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até 28 de dezembro.

MAU HUMOR, de Lucília de Assis. A crise econômica, a violência urbana e o stress para pagar as contas são as bases do monólogo cômico interpretado por Carmen Frenzel. Ela dá vida a uma mulher em constante estado de tensão que desabafa com a plateia sobre várias razões para o seu mau humor, levando os espectadores a refletir de maneira engraçada sobre situações do cotidiano. Direção da autora (60min). 14 anos. Estreou em 9/8/2011. Teatro Miguel Falabella (456 lugares). Avenida Dom Helder Câmara, 5332, 2º piso (NorteShop­ping), Cachambi, ☎ 2595-8245. Terça e quarta, 18h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 14h (ter. e qua.). IC. Estac. R$ 4,50 (por quatro horas). Até dia 28.

SERGIO MALLANDRO SEM CENSURA, de Sergio Mallandro. Em seu espetáculo-­solo, o humorista conta trechos de sua história profissional, desde a estreia na televisão como calouro de Silvio Santos, passando por participações nos programas de Xuxa e Chico Anysio e por suas atuações no cinema. Direção de Mary Leão (60min). 14 anos. Estreou em 8/1/2010. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sexta e sábado, 23h. R$ 70,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por cinco horas). Até dia 24.

Fonte: VEJA RIO