ROTEIRO DA SEMANA

Teatro

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

ESTREIAS

CABARÉ LEBRÃO, de Rodrigo Murat. Ambientada no Leblon, essa comédia dramática conta a história do casal Eusébio e Júlia Lebre, dos anos 40 aos dias atuais. Ao longo desse período, os protagonistas presenciaram as metamorfoses ocorridas naquele pedaço da cidade: as obras de urbanização no canal do Jardim de Alah, a destruição da Favela do Pinto, o surgimento do Baixo Leblon e a transformação de calçadas e areias do bairro em campo de atuação dos paparazzi. Toda a ação se passa na residência da família Lebre, que oferece saraus semanais a artistas, intelectuais e políticos. Nos intervalos da cantoria, os convidados discutiam, entre outros assuntos, as repercussões do golpe de 64 e da Guerrilha do Araguaia. Direção de Paulo Reis (90min). 18 anos. Teatro Café Pequeno (100 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, ☎ 2294-4480. Sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h30. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sex. a dom.). TT. Até dia 27. Estreia prometida para sexta (4).

O HOMEM DO ROSTO SEM FACE, de Tetê Medina. Atriz, escritora e artista plástica, Tetê subirá ao palco para apresentar este monólogo dramático de próprio punho. Em suas falas, ela pretende provocar reflexões sobre a condição humana nestes tempos de pós-modernidade. Trata-se de um grito de socorro da personagem, que teme ser aniquilada por uma nova época histórica. Direção da autora (60min). Livre. Academia Brasileira de Letras ? Teatro Raimundo Magalhães Junior (280 lugares). Avenida Presidente Wilson, 203, Castelo, ☎3974-2500. ? Cinelândia. Quinta (4), 15h30. Grátis. www.academia.org.br

A JAVANESA, de Alcides Nogueira. Inspirado na canção La Javanaise, do compositor francês Serge Gainsbourg, o ator Leopoldo Pacheco, sozinho em cena, conta uma história de amor que levou três décadas para se concretizar. Ele interpreta os papéis de um homem e de uma mulher que se conhecem aos 25 anos, têm um breve romance, se separam e só voltam a se reencontrar três décadas depois. Ele a chama de Javanesa porque ela está sempre cantarolando La Javanaise. Direção de Marcio Aurelio (70min). 14 anos. Teatro Dulcina (45 lugares). Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro, ☎ 2240-4879. ? Cinelândia. → Quarta e quinta, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: 14h/19h (qua. e qui.). Até dia 24. Estreia prometida para quarta (2).

MULHERES SONHARAM CAVALOS, de Daniel Veronese. Primeira montagem no Rio do premiado texto do dramaturgo argentino, este drama tem tradução da atriz e produtora teatral Letícia Isnard. Ela também sobe ao palco, juntamente com Analu Prestes, Elisa Pinheiro, Isaac Bernat, José Karini e Saulo Rodrigues, para encenar o enredo de três irmãos com suas respectivas esposas e os ressentimentos, desconfianças, segredos e desejos reprimidos em torno dessa família. O que desencadeia o conflito é o encerramento de um negócio familiar, a cargo de um dos irmãos. Logo que o fato é comunicado a todos, surgem revelações devastadoras que desestruturam completamente o clã e conduzem a um inesperado final. Direção de Ivan Sugahara (90min). 14 anos. Teatro Poeirinha (60 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Até 18 de dezembro. Estreia prometida para sábado (5).

NAMÍBIA, NÃO!, de Aldri Anunciação. Nesta comédia dramática, Anunciação e Flávio Bauraqui dão vida aos primos André e Antônio, respectivamente. Ambientado no ano de 2016, o espetáculo aborda questões como o drama dos refugiados, o raciscmo e as desigualdades financeiras e educacionais. Direção-geral de Lázaro Ramos, estreando na função, e direção musical de Arto Lindsay (60min). 16 anos. Teatro Oi Futuro Ipanema (124 lugares). Rua Visconde de Pirajá, 54, 2º piso, Ipanema, ☎ 3201-3000. ? General Osório. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 15h/21h (ter. a dom.). Até dia 22.

UM PORTO PARA ELIZABETH BISHOP, de Marta Góes. Vencedora do Prêmio APCA de melhor atriz em 2001 pelo papel da escritora Elizabeth Bishop (1911-1979), Regina Braga remonta este monólogo dramático no ano em que se celebra o centenário de nascimento da poeta norte-americana. No espetáculo, a atriz interpreta a personagem dos 40 aos 69 anos, período em que a vencedora do prêmio Pulitzer de Poesia de 1956 viveu no Brasil, com endereços no Rio, em Petrópolis e em Ouro Preto, entre as décadas de 50 e 60. Ao longo dos relatos, há referências ao relacionamento de Elizabeth com o grande amor de sua vida, a paisagista Lota Macedo Soares (1910-1967), que, entre outras realizações, foi uma das responsáveis pela construção do Parque do Flamengo. Direção de José Possi Neto (90min). 14 anos. Solar de Botafogo (180 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, ☎ 2543-5411. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 (sex.) e R$ 40,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: 15h/21h (ter. e qua.); a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Até 11 de dezembro. Estreia prometida para sexta (4).

A PANTERA, de Camila Appel. Os atores Bruno Autran e Silvia Lourenço interpretam este drama de estreia da autora, que é filha da escritora Leilah Assumpção. Ele propõe uma reflexão sobre a convivência nos relacionamentos. Na trama, um casal de noivos se encontra preso num supermercado às vésperas do casamento. Diante da situação, eles acabam num confronto por vezes agressivo e ainda precisam lidar com uma pantera que os espreita. Ao longo da encenação, eles questionam se vale a pena levar adiante uma relação por pura acomodação ou se é melhor enfrentarem o desgaste de romper o compromisso e seguirem sozinhos. Direção de Marco Antônio Braz (70min). 14 anos. Sesc Tijuca ? Teatro II (40 lugares). Rua Barão de Mesquita, 539, Tijuca, ☎ 3238-2100. Sexta a domingo, 19h. R$ 16,00. Bilheteria: a partir das 19h (sex. a dom.). Até dia 27. Estreia prometida para sexta (4).

THE INFERNAL COMEDY - CONFISSÕES DE UM SERIAL KILLER, de Michael Sturminger. Considerado um dos principais atores de Hollywood, John Malkovich é o astro deste monólogo dramático. A trama é baseada na história real do assassino em série austríaco Jack Unterweger. Enquanto cumpria a pena por homicídio nos Estados Unidos, ele escreveu uma autobiografia que se tornou um best-seller em 1984. Transformado em celebridade literária, com participações em diversos talk-shows da TV, conquistou da Justiça o benefício da liberdade vigiada, mas acabou fugindo do FBI. Foi preso em 1992 e, dois anos mais tarde, condenado pelo estrangulamento de nove prostitutas em Viena, Graz, Praga e Los Angeles. Ele acabou cometendo suicídio em sua cela, em 1994. A encenação de Malkovich é entremeada por números das sopranos Kirsten Blaise e Marie Arnet, que entoam composições de Beethoven, Haydn, Weber, Vivaldi e Mozart, sob acompanhamento da Musica Angelica Baroque Orchestra, com regência de Martin Haselböck. Direção do autor (105min). 14 anos. Theatro Municipal do Rio de Janeiro (2?361 lugares). Praça Floriano, s/nº, Centro, ☎ 2332-9191/9005, ? Cinelândia. Quarta (2), 20h30. R$ 100,00 a R$ 2?400,00. Bilheteria: 10h/18h (seg. a dom.). IC. Ma­nobr.

ZÉ KETI: EU SOU O SAMBA, de Maria Helena Kühner. Autor de sucessos como Máscara Negra, A Voz do Morro e Opinião, o compositor Zé Keti (1921-1999) tem suas nove décadas de nascimento celebradas com este musical. Os atores Sérgio Menezes, Rodrigo Candelot e Sanny Alves encenam os episódios da diversificada trajetória do artista, cujo repertório de sambas de morro e das escolas da samba chamou a atenção de intelectuais e artistas de teatro, cinema e TV principalmente nas décadas de 60 e 70. Acompanham o elenco os instrumentistas Josimar Monteiro (direção musical e violão 7 cordas), Humberto Araújo (sopros), Danilo Negreiros (cavaquinho), Luciano Rodrigues (percussão) e Alex Almeida (percussão). Direção de Sérgio Fonta (90min). Livre. Sesc Tijuca (259 lugares). Rua Barão de Mesquita, 539, Tijuca, ☎ 3238-2100. Sexta a domingo, 20h. R$ 16,00. Bilheteria: a partir das 19h (sáb. e dom.). Até 18 de dezembro. Estreia prometida para sexta (4).

REESTREIAS

DE PERTO, ELA NÃO É NORMAL!, de Suzana Pires. Intérprete da jornalista Marcela Coutinho na novela Fina Estampa, a atriz e autora celebra os cinco anos de carreira de seu monólogo cômico com uma única apresentação, que servirá para a gravação do DVD da montagem. No palco, Suzana interpreta dez personagens inspiradas em histórias contadas por algumas de suas amigas e conhecidas. Ela se desdobra nos papéis de diversos tipos de mulheres: casada, intelectual, gostosona, fashion, de atitude, bem-sucedida, liberal, espiritualizada e infantil. Direção de Flávio Rocha (60min). 16 anos. Estreou em janeiro de 2006. Vivo Rio (2?000 lugares). Avenida Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo, ☎ 2272-2900. Domingo (6), 20h. R$ 25,00 a R$ 100,00. Bilheteria: 12h/21h (seg. a qua.). Cc: M e V. Cd.: R e V. Estac. c/manobr. (R$ 12,00 antecipado e R$ 15,00 na hora). IR. www.vivorio.com.br.

O MEU SANGUE FERVE POR VOCÊ, de Pedro Henrique Lopes. Nesta comédia musical embalada por pérolas do cancioneiro brega, a exemplo de Alma Gêmea e Conga Conga Conga, é descrito o enredo do quadrilátero amoroso formado pela virginal Creuza Paula, o canalha Fernando Sidnelson, a mulher da vida Sandra Rosa e o bom moço Elivandro. No elenco estão Ana Baird, Cristiana Pompeo, Pedro Henrique Lopes e Victor Maia. Direção coletiva dos atores e direção musical de Marcelo Eduardo Farias (70min). 12 anos. Estreou em 11/3/2010. Teatro Dulcina (45 lugares). Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro, ☎ 2240-4879. ? Cinelândia. → Sexta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: 14h/19h (sex. a dom.). Até 20 de dezembro. Reestreia prometida para sexta (4).

UM NÚMERO, de Caryl Churchill, com tradução de Pedro Neschling e Vitória Frate. Drama. O espetáculo da elogiada dramaturga inglesa ? que estreou com sucesso em 2002 no Royal Court Theatre, em Londres, interpretado por Michael Gambon e Daniel ?007? Craig ? ganha montagem nacional com Pedro Paulo Rangel e Pedro Osório. O primeiro interpreta o duro Salter e o segundo se desdobra nos papéis de seu filho, Bernard, e os clones do jovem. É em torno do rapaz que a trama gira. Após um exame médico, ele descobre que não é o filho natural de seu suposto pai. Ele pressiona Salter e ouve a confissão de que, realmente, seu primeiro herdeiro morreu em um acidente e, para suportar a perda, ele pedira aos geneticistas que gerassem um novo garoto com base nos embriões armazenados em laboratório. O que ninguém sabia era que os especialistas em reprodução haviam criado outros bebês idênticos. Direção de Pedro Neschling (60min). 12 anos. Estreou em 23/9/2011. Centro Cultural Justiça Federal (142 lugares). Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550. → ? Cinelândia. Sexta a domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 4 de dezembro. Reestreia prometida para sexta (4).

A PENA E A LEI, de Ariano Suassuna. Escrita em 1959 pelo autor paraibano, a montagem dessa tragicomédia musical celebra os quarenta anos do Movimento Armorial. Concebida por Suassuna, tal iniciativa visava a criar arte erudita com base na cultura popular nordestina, englobando música, dança, teatro, literatura de cordel e cinema. Acompanhados pelos instrumentistas Jéssica Siúscu (violino e rabeca) e Márcio Rangel (violoncelo), o elenco ? integrado por Alice Motta, Carlos Albuquerque, Enildo Dellatorre, Fabio Gozzi, Fabio Steinberger, Flávio Ferreira, Henrique Lancaster, Márcio Aguena, Nilson Quirino e Sandro Maciel ? encena a história que se baseia na disputa dos homens por bens materiais e mulheres. Durante a competição, uns enganam outros, em um vale-tudo no qual prevalece o conhecido jeitinho brasileiro. Direção de Jorge Ferreira Sorriso (90min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Centro Cultural Parque das Ruínas (60 lugares). Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2215-0621. Sábado e domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 18h (sex. a dom.). Até dia 27. Reestreia prometida para sábado (5).

✪✪✪ PTERODÁTILOS, de Nicky Silver. Vencedora em três categorias do Prêmio Shell, em quatro do Prêmio APTR e em uma do Prêmio Bravo de Cultura, a comédia com tradução, adaptação e direção de Felipe Hirsch fará duas sessões populares. No cenário concebido por Daniela Thomas, o ator Marco Nanini se alterna nos papéis do executivo Artur e de sua filha Ema. A trama envolve a família do presidente de banco, que é casado com a dona de casa alcoólatra Grace (Mariana Lima). A rotina do lar é perturbada pela volta do filho mais velho Todd (Álamo Facó) e pelos preparativos para o casamento da caçula com o namorado Tom (Felipe Abib). Não ajudam a aliviar o ambiente o súbito desemprego do chefe da família e a descoberta de uma ossada no porão da residência onde eles moram (80min). 16 anos. Estreou em 3/9/2010. Galpão Gamboa (100 lugares). Rua da Gamboa, 279, Gamboa. ☎ 2516-5929. → Sábado (5), 22h; domingo (6), 20h. R$ 5,00 (moradores da região) e R$ 20,00. Bilheteria: 10h/18h (seg. a sex.) e a partir das 10h (sáb. e dom.).

ÚLTIMA SEMANA

A CONFISSÃO, de Stephen Belber. O texto do drama psicológico inspirou o longa Tape, dirigido por Richard Linklater em 2001, com Ethan Hawke, Robert Sean Leonard e Uma Thurman no elenco. Na versão teatral brasileira, encenada pelo também cineasta Walter Lima Jr., sobem ao palco Isabel Guerón, Silvio Guindane e Angelo Paes Leme. Eles dão vida aos amigos de colégio Amy, Vince e Jon, que se reencontram depois de dez anos de afastamento. Um assunto mal resolvido vem à tona, trazendo ressentimentos e acusações em meio à tensão sexual. Aos poucos, cada um é provocado a revelar segredos, deixando aflorar sua verdadeira natureza (80min). 14 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro Maria Clara Machado ? Planetário da Gávea (124 lugares). Rua Padre Leonel Franca, 240, Gávea, ☎ 2274-7722. Sexta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até domingo (6).

OBITUÁRIO IDEAL, de Rodrigo Nogueira. Comédia dramática que aborda um casal na faixa dos 30 anos que, anestesiado pela banalização da violência no dia a dia e na mídia, se desprende de seus sentimentos mais genuínos. Ao lado de Maria Maya, Nogueira entra em cena para apresentar a trama sobre uma enfermeira e um professor de matemática que passam a frequentar enterros de desconhecidos só para chorar. Isso mesmo. Por meio do pranto, esses ?carpideiros? conseguem entrar em contato com emoções há muito perdidas e assim começam a redescobrir um ao outro. Direção de Rodrigo Nogueira e Thiare Maia, com supervisão de Bel Garcia e João Fonseca (70min). 12 anos. Estreou em 22/10/2011. Espaço Sesc ? Teatro de Arena (280 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até domingo (6).

UÃNUÊI, de Graziella Moretto e Pedro Cardoso. Acompanhados ao piano por Dudu Trentin, Graziella e Cardoso apresentam esta comédia de improviso. O espetáculo é dividido em duas sessões de aproximadamente meia hora cada uma. Na primeira, a dupla cria uma história baseada em um tema sugerido pelo público. Na segunda parte, são os atores que propõem o enredo da ação. Direção dos autores (60min). 12 anos. Estreou em 17/9/2011. Teatro O Tablado (150 lugares). Avenida Lineu de Paula Machado, 795, Lagoa, ☎ 2239-0229. → Sábado e domingo, 20h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir de 15h (sáb. e dom.). IC. Até domingo (6). www.otablado.com.br.

EM CARTAZ

✪✪✪ ABALOU BANGU 2 - A FESTA, de Flavio Marinho. Continuação da comédia sobre o casal Maria Elvira e Maurício Otavio, que fez sucesso em 2003. Cristina Pereira e Paulo Goulart dão vida aos pais de família que se mudaram para Copacabana e estão prestes a comemorar quarenta anos de casados. Eles trocaram a tranquilidade de Bangu pelo agitado bairro da Zona Sul por insistência do filho Felipe, mas este se mudou para a Barra assim que se casou. No dia da tal festa no apartamento, os convidados dão desculpas esfarrapadas para não comparecer. Os únicos que honram o compromisso são os vizinhos gays Carlos (Cláudio Galvan) e Sílvio (Luciano Borges). Direção do autor (90min). 12 anos. Estreou em 10/9/2011. Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9895. → Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui.), R$ 70,00 (sex. e dom.) e R$ 80,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 18 de dezembro.

✪✪✪✪ A ALMA IMORAL, adaptação do livro homônimo do rabino Nilton Bonder. Clarice Niskier conquistou o troféu de melhor atriz no Prêmio Shell 2007 com este monólogo confessional. Visto por mais de 140?000 pessoas em cinco anos de carreira, o espetáculo, que já foi encenado em 23 cidades brasileiras, está de volta ao Rio. No palco, Clarice, nua quase todo o tempo, faz o papel de si mesma enquanto conversa com o público citando parábolas judaicas e passagens da Bíblia. Uma bela reflexão sobre a vida. Direção de Amir Had­dad (80min). 18 anos. Estreou em 21/7/2006. Teatro do Leblon ? Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 50,00 (qui. e sex.) e R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 18 de dezembro.

✪✪ A AURORA DA MINHA VIDA - UM MUSICAL BRASILEIRO, de Naum Alves de Souza. Vencedor dos prêmios Molière e APCA de melhor autor em 1981 com esse texto, o dramaturgo e diretor celebra as três décadas do espetáculo transformando-o em comédia musical. A adaptação adicionou trinta números à produção original, com letras inéditas de Naum e partituras criadas por Marcos Leite (1953-2002) e Roberto Gnattali. Apesar de enriquecer a montagem, as canções deixaram a peça demasiadamente longa. No palco, oito talentosos atores-cantores ? Ana Velloso, André Dias, Ester Elias, Helga Nemeczyk, José Mauro Brant, Thelmo Fernandes, Vera Novello e Victor Maia ? apresentam a trajetória de um grupo de estudantes de um colégio tradicional, do 1º ano à formatura no antigo ginásio (hoje, ensino fundamental). Direção do autor (120min). 12 anos. Estreou em 13/10/2011. Teatro Sesc Ginástico (513 lugares). Avenida Graça Aranha, 187, Centro, ☎ 2279-4027. → Quinta a domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 13h (qui. a dom.). Até 18 de dezembro.

✪✪✪ BEATLES NUM CÉU DE DIA­MANTES, de Charles Möeller e Claudio Botelho. Sucesso de público e vencedor do Prêmio Shell, o musical sem texto conta com poucos elementos cênicos ? apenas cadeiras, malas e guarda-chuvas ? e dez atores: Alessandra Verney, Chris Penna, Fabrício Negri, Gottsha, Jonas Hammar, Jules Vandystadt, Marya Bravo, Pedro Sol, Rodrigo Cirne e Tatih Köehler. Acompanhados pelos músicos Delia Fischer (piano), Lui Coimbra (violoncelo) e Hammar (percussão), eles contam uma história apenas entoando sucessos dos Beatles, a exemplo de Help, Lucy in the Sky with Diamonds e Let It Be. Direção dos autores (90min). 10 anos. Estreou em 4/3/2010. Teatro Clara Nunes (527 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 3º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2274-9696. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.); R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 14h (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 18 de dezembro.

C?EST LA VIE, de Marcelo Rubens Paiva, com prólogo do roteirista Bráulio Mantovani. Comédia dramática baseada em relatos de atendentes do disque-denúncia colhidos em pesquisa feita pela atriz Ester Jablonski e Guilherme Siman. No palco, Ester dá vida à solitária professora de francês aposentada Olga. Conhecida pelos funcionários do DD como ?Andorinha? ? apelido escolhido para não se identificar ?, ela liga todas as tardes para o serviço de informações sobre crimes. Aos poucos, o cotidiano dela se entrelaça com o do atendente do DD Homero (Adriano Garib), que se interessa em conhecer Olga, mas é alertado para evitar o contato pelo chefe do setor, Lúcio (Zemanuel Piñero), já que é proibido extrapolar os limites do contato telefônico com os informantes. Direção de Gilberto Gawronski e Luis Fernando Philbert (80min). 12 anos. Estreou em 21/10/2011. Sesc Rio Casa da Gávea (80 lugares). Praça Santos Dumont, 116, Gávea, ☎ 2239-3511. Sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 30,00 (sex.) e R$ 60,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 17h30 (sex. a dom.). Até 18 de dezembro.

✪✪✪ CHOPIN & SAND: ROMANCE SEM PALAVRAS, de Walter Daguerre. Terceira temporada carioca do drama romântico já visto por mais de 15?000 espectadores. Encenado em prosa e música, o espetáculo é baseado na obra do compositor Frédéric Chopin (1810-1849) e na troca de correspondência entre ele e a escritora francesa George Sand (1804-1876), com quem teve um longo relacionamento. Acompanhados ao piano por Linda Bustani, Marcelo Nogueira e Françoise Forton representam o casal singular, considerado a perfeita união dos mais queridos artistas dos salões parisienses entre os anos de 1831 e 1849. Direção de Jacqueline Laurence (90min). 14 anos. Estreou em 23/02/2011. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (462 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Sexta e sábado, 18h; domingo, 17h. R$ 60,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 18 de dezembro.

DEUS É UM DJ, de Falk Richter. Montado em mais de vinte países, o drama mais famoso do autor alemão ganha tradução de Annette Ramershoven, em parceria com o diretor da montagem, Marcelo Rubens Paiva. Os atores Marcos Damigo e Maria Ribeiro encenam a história de um casal de jovens artistas contratado por uma galeria de arte para viver dentro de um cubo cercado de câmeras. Na casa-galeria, eles trabalham em um ousado projeto que mistura suas próprias histórias à arte que produzem como DJ e VJ (80min). 16 anos. Estreou em 14/10/2011. Oi Futuro Flamengo ? Cubo (40 lugares). Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Quinta a domingo, 20h. R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 11h (qui. a dom.). Até dia 13.

✪✪✪ DOIDAS E SANTAS, de Regiana Antonini, inspirada no livro homônimo de Martha Medeiros. Esta comédia romântica aborda a vida da psicanalista Beatriz (Cissa Guimarães), de seu marido, Orlando (Giusep­pe Oristânio), e da filha adolescente Marina (Josie Antello, que encarna ainda o papel da tia Berenice e o da avó Elda). Após vinte anos, o casamento acaba. A mulher, agora independente, se lança no mundo e engata um romance com um jovem. Depois de curtir adoidado, Beatriz é procurada por Orlando e muda seus planos. Direção de Ernesto Picco­lo (95min). 12 anos. Estreou em 1º/5/2010. Teatro Vannucci (450 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea, 3º piso (Shopping da Gávea), ☎ 2239-8545. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.), R$ 80,00 (sáb.) e R$ 70,00 (dom.). Bilheteria: a partir das 14h30 (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até 18 de dezembro.

✪✪✪✪ EMILINHA E MARLENE - AS RAINHAS DO RÁDIO, de Julio Fischer e Thereza Falcão. O musical conta a trajetória de sucessos, a partir de 1949, da cantora carioca Emilinha Borba (1923-2005) e da rival paulistana Marlene, de 87 anos, interpretadas pelas atrizes Vanessa Gerbelli e Solange Badin, respectivamente. Com mais de cinquenta canções executadas ao vivo, o espetáculo revisita os hits, as dificuldades e a vida pessoal das duas estrelas, que mantinham numerosos fãs-clubes. Completam o elenco Stella Maria Rodrigues, Ângela Rebello, Rosa Douat, Cristiano Gualda, Luiz Nicolau, Ettore Zuim, Mona Vilardo e Cilene Guedes, acompanhados por cinco músicos. Direção cênica de Antonio de Bonis e direção musical de Marcelo Alonso Neves (150min, com intervalo). Livre. Estreou em 4/8/2011. Teatro Maison de France (352 lugares). Avenida Presidente Antônio Carlos, 58, Centro, ☎ 2544-2533. Quinta e sexta, 19h30; sábado, 20h30; domingo, 18h30. R$ 60,00 (qui. e sex.) e R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Estac. c/manobr. (R$ 10,00). Até 11 de dezembro.

✪✪✪ EU TE AMO, de Ar­naldo Jabor. Remontagem do drama encenado no ano passado pelos cineastas Lírio Ferreira e Rosane Svartman. Desta vez, Alexandre Borges está no elenco, retornando aos palcos após nove anos de afastamento. Ele atua com Juliana Martins nesta versão tea­tral da obra lançada nas telas em 1981 e transposta para o palco seis anos depois. A dupla de atores interpreta o casal Paulo e Maria, que deseja se amar, mas, ao mesmo tempo, teme essa entrega recíproca. Uma curiosidade: a última peça de Borges foi Eu Sei que Vou Te Amar, também de Arnaldo Jabor, em que contracenou com sua mulher, Julia Lemmertz. Direção de Lírio Ferreira e Rosane Svartman (75min). 16 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro do Leblon ? Sala Marília Pêra (462 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 60,00 (qui. e sex.) e R$ 70,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até dia 27.

✪✪✪ O FILHO ETERNO, de Cristóvão Tezza, com adaptação de Bruno Lara Resende. Indicado ao Prêmio Shell de Teatro em três categorias ? melhor ator (Charles Fricks), iluminação (Aurélio de Simoni) e direção de movimento (Marcia Rubin) ?, o monólogo dramático traz os corajosos relatos de Tezza, em seu livro homônimo, sobre a convivência com o filho mais velho, Felipe, portador da síndrome de Down. Apoiado em cena apenas por uma cadeira, Fricks preserva o enredo distante da pieguice. Seu personagem divide com o público inseguranças, descobertas e pequenas conquistas até o desfecho redentor. Direção de Daniel Herz (75min). 12 anos. Estreou em 3/6/2011. Teatro do Leblon ? Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Terça e quarta, 21h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (ter. e qua.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 7,00 por três horas). Até 14 de dezembro.

O JARDIM, de Leonardo Moreira. Indicado em três categorias na edição paulista do Prêmio Shell (autor, direção e cenário), o drama montado pela Cia. Hiato, de São Paulo, transcorre em três épocas distintas. Na primeira parte, que se passa na década de 30, o casal interpretado por Thiago Amaral e Fernanda Stefanski resolve se separar logo após realizar o sonho da casa própria. Na seguinte, já no fim dos anos 70, duas irmãs (vividas por Luciana Paes e Maria Amélia Farah) internam o pai (o ator Edison Simão) em um asilo. Por fim, em 2011, uma mulher e a empregada (Aline Filócomo e Paula Picarelli, respectivamente) registram em um vídeo os cômodos da residência onde outros integrantes da família da patroa viveram e desfiam suas memórias. Direção do autor (90min). 14 anos. Estreou em 28/10/2011. Caixa Cultural ? Teatro de Arena (226 lugares). Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Quinta a domingo, 19h30. R$ 12,00. Bilheteria: 10h/20h (qui. a dom.). Até dia 13. Haverá sessão extra na quarta (2), às 19h30.

JULIA, de August Strindberg. A diretora Christiane Jatahy adapta o clássico Senhorita Julia, escrito pelo dramaturgo sueco no século XIX. Como toque contemporâneo, acrescentou à encenação uma câmera de cinema, que projeta imagens e amplia o olhar do espectador sobre a narrativa. Julia Bernat e Rodrigo dos Santos interpretam os jovens Julia e Jean no drama sobre um amor impossível. Ela é uma moça de 17 anos, filha de um rico empresário, que se apaixona perdidamente pelo motorista da família. O espetáculo retrata uma única noite em que os dois personagens se espelham um no outro, provocando sentimentos de admiração e ódio. Direção da adaptadora (60min). 18 anos. Estreou em 21/10/2011. Espaço Sesc ? Mezanino (98 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2547-0156. → Quarta a sexta, 21h; sábado, 18h e 21h; domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qua. a dom.). Até dia 13.

MICROSCÓPERA CARIOCA, de Roberto Bürgel. Nova comédia musical do compositor indicado ao Prêmio Shell de 2010 pela trilha do espetáculo No Piano da Patroa. Acompanhados por quatro instrumentistas, os cantores líricos Carolina Faria (meio-soprano), Chiara Santoro (soprano), Daniel Soren (baixo-barítono) e Marcelo Sader (tenor) encenam a montagem formada por quatro histórias: O Desejo, a Paixão e a Tragédia, Os Desenganos, O Ciúme e A Comédia de Todos os Amores. Ambientadas no Rio nos anos de 1890, 1920, 1950 e 1980, respectivamente, as tramas foram livremente inspiradas em obras de Artur Azevedo (1855-1908), João do Rio (1881-1921), Nelson Rodrigues (1812-1980) e Mauro Rasi (1949-2003). Direção de Lena Horn (80min). 14 anos. Estreou em 7/10/2011. Teatro Sesi (350 lugares). Avenida Graça Aranha, 1, Centro, ☎ 2563-4163. → Quinta a domingo, 19h30. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 12h (qui. a dom.). TT. Até dia 27.

✪✪✪✪ PALÁCIO DO FIM, de Judith Thompson. Baseado em relatos verdadeiros, o drama da autora canadense conta as histórias de três personagens na Guerra do Iraque, em monólogos intercalados. O título faz referência à sede da câmara de tortura do ditador Saddam Hussein (1937-2006), que funcionava no antigo Palácio Real, em Bagdá. No primeiro conto, Minhas Pirâmides, Camila Morgado faz uma interpretação histérica de Lynndie England, oficial do Exército americano acusada na Corte Marcial por ter humilhado prisioneiros nus em Abu Ghraib. No texto Colinas de Horrowdown, Antonio Petrin representa em tom de fina ironia o cientista inglês David Kelly. Ele era um respeitado inspetor de armas afastado pelo governo britânico depois de afirmar numa entrevista à BBC a ausência de um arsenal de destruição em massa no Iraque. Na terceira performance, Instrumentos de Angústia, Vera Holtz apresenta um dos melhores desempenhos de sua carreira, no testemunho da ativista iraquina Nehrjas Al Saffarh, integrante do Partido Comunista. Direção de José Wilker (70min). 14 anos. Estreou em 13/10/2011. Teatro Poeira (130 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537- 8053. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 40,00 (qui. e sex.) e R$ 50,00 (sáb. e dom.). Bi­lhe­teria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Até 4 de dezembro.

AS POLACAS - FLORES DO LODO, de João das Neves. Este drama relata a saga das jovens judias prostitutas do Leste Europeu que emigraram para cá no século XIX e ficaram conhecidas como polacas. A trama gira em torno de Esther e Celina, desde a juventude até a maturidade, abordando a dura convivência nos bordéis cariocas, a violência da polícia e dos cafetões, o preconceito social e a rejeição dos filhos, entre outras agruras. No elenco de treze atores estão nomes como Ivone Hoffman, Gillray Coutinho e Wilson Rabelo. Direção do autor (105min). 16 anos. Estreou em 20/10/2011. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro I (175 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Quarta a domingo, 20h. R$ 6,00. Bilheteria: a partir das 10h (qua. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. TT. Até 18 de dezembro.

QUEDA LIVRE, de Nick Hornby. Adaptação realizada a seis mãos por Isabel Falcão, Isabel Mello e Luisa Arraes do romance Uma Longa Queda, escrito pelo inglês conhecido por seus romances deliciosamente pop. O drama ambientado em uma noite de Natal mostra quatro pessoas que se encontram por acaso no topo de um edifício com o mesmo objetivo: se jogar lá de cima. Luisa, também autora, entra no palco com Bruno Padilha, Marina Vianna e Gustavo Falcão para encenar a ação que levanta reflexões sobre o tabu do suicídio. Direção de Bernardo Jablonski e Fabiana Valor (60min). 16 anos. Estreou em 21/10/2011. Espaço Sesc ? Sala Multiuso (80 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até dia 13.

✪✪✪ TIM MAIA - VALE TUDO, O MUSICAL, de Nelson Motta. Adaptação da biografia Vale Tudo ? O Som e a Fúria de Tim Maia, realizada pelo autor do livro e pelo diretor do musical, João Fonseca. O papel-título é interpretado pelo jovem ator Tiago Abravanel, na produção que repassa a trajetória do artista dos 12 aos 55 anos. No palco, são onze números executados ao vivo por uma banda com seis músicos, num repertório que inclui emocionantes interpretações para sucessos como Do Leme ao Pontal, Azul da Cor do Mar e Não Quero Dinheiro. Completam o elenco Izabella Bicalho, Lilian Valeska, Pedro Lima, André Vieri, Bernardo La Roque, Reiner Tenente, Evelyn Castro, Pablo Ascoli, Anna Carbatti e Leticia Pedroza (180min, com intervalo). 14 anos. Estreou em 5/8/2011. Teatro Oi Casa Grande (926 lugares). Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon, ☎ 2511-0800. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 40,00 a R$ 100,00 (qui. e sex.); R$ 50,00 a R$ 120,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: 15h/20h (ter.); 15h/21h (qua. a sex.); 12h/21h30 (sáb.); 12h/19h (dom.). Cc: todos. Cd: todos. IC. Estac. no Shopping Leblon (R$ 8,00 por duas horas). Até 18 de dezembro.

Fonte: VEJA RIO