MODA

Azul é a cor mais quente

Nas passarelas, mas também nas unhas e até nos fios de cabelo, fazem sucesso seus tons de cobalto, royal e bebê

Por: Daniela Pessoa

Felipe Fittipaldi
(Foto: Redação Veja rio)

O telefone toca sem parar na central de atendimento ao telespectador da Rede Globo: "Onde eu acho, como eu faço para comprar, quanto custa e qual é o nome daquele esmalte da Giovanna Antonelli?". Nas últimas dez semanas, o vidrinho vem liderando o ranking dos produtos que provocam mais curiosidade na audiência. Nas unhas de Clara, da novela Em Família, exibida no horário nobre das 9 da noite, ele chama atenção pela cor, um azul royal semifosco, que ganhou o nome de Frio na Barriga. Item recé­m-incorporado ao catálogo da Specialittà, é incensado pela atriz: "Tem um tom vibrante e solar, como a mulher carioca". Parceira da empresa de cosméticos na coleção, Giovanna, naturalmente, se derrama em elogios. Mas é fato: o sucesso que essa cor tem feito nas mãos dela e das cariocas em geral evidencia um fenômeno ainda maior no universo fashion: está tudo azul.

João Miguel Júnior/tv globo
(Foto: Redação Veja rio)

Tudo azul nas roupas, nas falangetas dos dedos e, veja só, até nos cabelos ? e olha que estamos falando de gente comum, das ruas da cidade, e não de personagens emperucados de folhetim fantasioso na televisão. Nesse sentido, muita gente tem por inspiração o filme Azul É a Cor Mais Quente, baseado na história em quadrinhos da francesa Julie Maroh. O longa, que esteve em cartaz no circuito alternativo de cinemas, causou alvoroço por conter cenas picantes protagonizadas pelas personagens Adèle e Emma, esta uma misteriosa garota de madeixas azuis. Aos 16 anos, a estudante Yasmim Ouverney, do Lins, também aderiu ao modismo, mas ao seu jeito: "Pintei apenas a metade do comprimento de cada fio. Gosto de ter um estilo diferente", diz ela, elogiando o recente "cabelão azul" da atriz e cantora americana Demi Lovato ? aliás, outras figuras famosas, de lá e de cá, já andaram experimentando o visual, como Katy Perry e Valesca Popozuda.

Subtons como cobalto e bebê vêm colorindo desfiles mundo afora, surgindo nas passarelas quase sempre em looks monocromáticos, que alongam a silhueta. A consultora Renata Abranchs diz que o azul está entre as cores mais vendidas na indústria têxtil, junto do preto e do branco, com a vantagem de ser neutro. "E, segundo a cromoterapia, essa cor proporciona confiança e é indicada em situações como o fechamento de um negócio, de um contrato, além de acalmar e relaxar", afirma Renata, ressaltando que o azul foi destaque no Fashion Rio Verão 2015, realizado no mês passado, na Marina da Glória, com praticamente todos os desfiles pontuados por tons celestes. Resumindo: tem para todos os gostos. E da cabeça aos pés.

Fonte: VEJA RIO