Prazeres da carne

Butiques de carne substituem os antigos açougues

E proliferam na cidade com seu visual arrumadinho e prateleiras repletas de cortes nobres e caros

Por: Fabio Codeço - Atualizado em

felipe-fittipaldi-bbq shop
BBQ Shop, no Leblon: peças separadas por marca, procedência e raça do boi (Foto: Felipe Fittipaldi)

Não basta mais pedir um pedaço de maminha ou picanha. Além do tipo de corte, é preciso decidir a raça do boi, o país de procedência e a marca do frigorífico. Já comuns em metrópoles como Nova York, Paris e Londres, as butiques de carne começam agora a proliferar por aqui. “Acém, patinho e chã, por exemplo, sumiram do cardápio, hoje focado em itens dificilmente encontrados no varejo. É o caso dos cortes da raça japonesa wagyu”, conta o português Gabriel Dias, que investiu 200 000 reais na transformação da sua antiga loja de carnes no sofisticado Açougue Prime, na Cobal do Leblon. É lá, por exemplo, que o chef Felipe Bronze costuma abastecer sua mesa para os almoços em família. Sem falar nos restaurantes de primeira linha, como Antiquarius e Olympe, de Claude Troisgros, também clientes da loja.

Inspiradas nas boucheries francesas, ou nos local butchers americanos, as casas cariocas apostam não apenas na qualidade da carne como também no visual arrumadinho, em que o produto é a grande atração. É o caso da Del Toro e da Praticità, no Recreio, e da Prime, na Barra, empreendimento do apresentador de TV André Marques, que no fim do mês abre uma filial no Leblon. No lugar dos ganchos espetando peças inteiras, vitrines refrigeradas guardam o produto já cortado e embalado, garimpado entre os melhores frigoríficos dos estados de São Paulo e do Rio Grande do Sul e de países como Austrália, Argentina e Uruguai. Afora a matéria-prima de alta qualidade e o vasto leque de produtos temáticos, como utensílios e temperos, a nova geração de açougues usa outra arma para atrair novos clientes: o atendimento personalizado. “Aqui explicamos como é feito cada corte e ensinamos a melhor maneira de prepará-lo”, diz André Boardman, sócio da recém-inaugurada BBQ Shop, no Leblon, que em breve oferecerá workshops e degustações. Ir ao açougue, pelo visto, nunca foi tão divertido. 

Churrasco cinco-estrelas

Destaques à venda nas butiques de carnes

del toro_prime rib
Prime rib: na Del Toro (Foto: Divulgação)

Prime rib: O corte transversal é retirado da costela do boi e vendido com o osso (81 reais o quilo). Del Toro, ☎ 3596-5545.

Picanha red angus: Proveniente de animais da raça britânica, vem do sul do Brasil (155 reais o quilo). Açougue Prime, ☎ 2529-2111.

Red pork: Com alto teorde gordura (25 reais, 300 gramas do short rib), fica suculento quando preparado na brasa. BBQ Shop, ☎ 3081-2196.

Kobe beef: É ultramacio por causa da gordura entre as fibras (97 reais, 350 gramas de contrafilé). Prime, ☎ 3150-1874.

French rack: Conhecido como costeleta de cordeiro, vem do Uruguai (96,90 reais o quilo). Deli Delícia, ☎ 2537-6915.

Fonte: VEJA RIO