EXPOSIÇÕES

Do baú de dom João VI

Mostra reúne 171 gravuras de oitenta artistas europeus produzidas entre os séculos XV e XIX

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

Jaime Acioli/ Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Parte das 20?000 gravuras da Real Biblioteca de Portugal sobreviveu ao grande terremoto de Lisboa, de 1755. Esse acervo ainda resistiu à pilhagem dos soldados de Napoleão Bonaparte, que invadiu o país após a transferência da corte portuguesa para o Brasil, em 1808. Ciente da cobiça do general francês pelas riquezas das nações conquistadas, dom João VI determinou que fosse escondida a coleção de livros e obras de arte. Dois anos e outros percalços depois, o príncipe regente providenciou o transporte do tesouro para o Rio e fundou por aqui, com as peças que atravessaram o Atlântico, a Real Biblioteca. Agora, 171 desses trabalhos serão expostos na mostra Mestres da Gravura na Coleção da Fundação Biblioteca Nacional.

Curadora da exposição, a historiadora Fernanda Terra teve estreito contato com milhares de exemplares do conjunto histórico durante a pesquisa iconográfica para a produção de dois títulos da escritora Lilia Schwarcz ? O Livro dos Livros da Real Biblioteca e A Longa Viagem da Biblioteca dos Reis. Ela selecionou produções de oitenta gravadores. Realizadas entre os séculos XV e XIX, serão exibidas por ordem cronológica. A mais antiga, Os Quatro Anjos do Apocalipse, foi criada em 1496 pelo alemão Albrecht Dürer (1471-1528). ?Há várias peças não datadas que podem ser anteriores a ela, como Jesus Cristo Descendo ao Limbo, assinada pelo italiano Andrea Mantegna (1431-1506), quarenta anos mais novo que Dürer?, ressalva a curadora. Entre os itens mais recentes estão obras da série Os Provérbios, do espanhol Francisco Goya (1746-1828), como Disparate Ridículo. Também merecem destaque trabalhos do holandês Rembrandt (1606-1669), a exemplo de A Leitora, e do italiano Piranesi (1720-1778), autor de Le Carcere d?Invenzione.

Mestres da Gravura na Coleção da Fundação Biblioteca Nacional. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 18 de setembro. A partir de quinta (28). www.correios.com.br.

Fonte: VEJA RIO