Metrô

TCE afirma que Linha 4 pode não ficar pronta até Olimpíadas

De acordo com relatório, existe "risco alto" de obras não serem concluídas a tempo

Por: Agência Brasil

Obras metrô Barra
Metrô: construção da Linha 4 tem custo estimado de R$ 8,4 bilhões (Foto: Divulgação)

Entre as 13 obras para as Olimpíadas Rio 2016 sob responsabilidade do governo do estado do Rio de Janeiro, três foram consideradas com alto risco de não serem concluídas até o evento: a Linha 4 do Metrô (liga Ipanema à Barra da Tijuca), implantação do tronco coletor Cidade Nova, que evita o lançamento de esgoto na Baía de Guanabara, e a recuperação ambiental do Complexo Lagunar da Baixada de Jacarepaguá. A conclusão é do relatório da auditoria feita pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ).

O presidente do tribunal, Jonas Lopes de Carvalho Junior, disse que o levantamento foi feito entre agosto e dezembro de 2014 e o documento, preparado no primeiro semestre deste ano. “A gente fez uma análise. Até dezembro, foi um trabalho de campo. Depois, a equipe veio para o tribunal a fim de juntar todas as informações e produzir o relatório. Então, este é o mais recente”, explicou. De acordo com Jonas Lopes, as obras estão lentas e o risco é alto de não ficarem prontas. Ele ressaltou que a obra do Complexo Lagunar de Jacarepaguá não ficará pronta para as Olimpíadas.

Dos 52 projetos específicos para os Jogos, chamados de Matriz de Responsabilidades, três estão a cargo do governo do estado e compreendem a reforma e adequação do Estádio de Remo da Lagoa, do Parque Aquático Júlio Delamare e de quadras de aquecimento da Arena Maracanãzinho. Na área de políticas públicas e plano de legado, o governo do Rio de Janeiro é responsável por dez das 27 obras. Entre elas, reforma de estações de trem, implantação de ecobarreiras e complementação de esgotamento sanitário. Segundo ele, todas as obras somam US$ 231 milhões de recursos do estado, além do investimento privado.

A Linha 4 do metrô, que, segundo Lopes, é importante para a mobilidade urbana durante o evento, apresenta alto risco de não ficar concluída. “O metrô é uma obra de R$ 8,4 bilhões e é crucial para a mobilidade urbana na época das Olimpíadas e Paralimpíadas. A gente espera que consiga resolver, mas achamos com um risco alto de não conseguirem realizar.”

A Secretaria de Estado de Transportes foi procurada, mas não respondeu a reportagem até a publicação da matéria. No início do mês, o governo estadual anunciou que as obras da Linha 4 chegariam com um mês de antecedência ao Jardim de Alá. Está mantida a previsão de inauguração para julho de 2016.

A Secretaria de Estado de Ambiente informou que a obra do tronco coletor da Cidade Nova já tem empresa contratada e o canteiro está sendo montado. Com as licenças da prefeitura protocoladas, foi ordenado o início dos trabalhos próximo ao Canal do Fundão. Quanto ao Complexo Lagunar de Jacarepaguá, a secretaria disse que, em dois meses de limpeza, foram retirados 105 toneladas de resíduos das áreas de mangue. Na Lagoa do Camorin, foi feita a proteção de 4,5 mil metros de mangue.

Fonte: VEJA RIO