COMIDA

Comida de índio

Saiba em que casas da cidade é possível provar pratos e ingredientes herdados da culinária indígena

Por: Louise Peres - Atualizado em

É inegável: os pratos que chegam às nossas mesas certamente não seriam os mesmos se não fosse a participação dos índios na nossa história. Baseada principalmente na pesca, na caça e em raízes, a culinária indígena é grande influenciadora da cozinha nacional e responde por vários ingredientes onipresentes na dieta dos brasileiros. Da terra, saíram insumos como a batata, a mandioca e o milho; dos rios, pescados frescos; das florestas, a caça. Compõem ainda o cardápio das tribos invenções como o biju, massa feita de mandioca que você provavelmente já provou em alguma barraquinha, bar ou restaurante da cidade na forma de tapioca e até a moqueca, por seu modo de preparo amplamente utilizado pelos índios. Aproveitando o Dia do Índio, celebrado em 19 de abril, homenageamos esse povo tão importante para nossa cultural com um roteiro de quitutes inspirados e criados com ingredientes típicos das aldeias. Confira abaixo e delicie-se.

Mujica de tambaqui

Palaphita-Kitch.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O manaura Mario de Andrade serve no Palaphita Kitch a tradicional sopa do peixe feita com ervas aromáticas e servida em uma cuia amazônica (R$ 33,50). A localização à beira da Lagoa, com contato com a natureza, torna a experiência completa.

Palaphita Kitch. Avenida Epitácio Pessoa, s/nº - Quiosque 20 ? Parque do Cantagalo, Lagoa, tel. 2227-0837. Todos os dias a partir 18h.

Truta grelhada

oui-oui.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

No restaurante da chef Roberta Ciasca se destaca a truta grelhada coberta de alho poró e amêndoas (R$ 34,50) ? rústica como uma típica iguaria indígena. Para sobremesa, peça a tapioca com baunilha, sopa de morango com balsâmico e crocante de pistache (R$ 18,90).

Oui Oui. Rua Conde de Irajá, 85. Humaitá, tel. 2527-3539. Almoço: segunda a sexta, das 12h às 15h. Jantar: terça a sexta, das 19h30 à 1h. Sábado e feriados, das 20h à 01h30.

Biju de tapioca

bibi-sucos.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O café da manhã ganha um belo reforço com o quitute típico, acompanhado por queijo minas e mel (R$ 10,50). Outra mistura indígena é a de biju com banana e melado (R$ 8,00).

Bibi Sucos Leblon. Avenida Ataulfo de Paiva, 591 ? A, tel. 2259-4298. Domingo a quinta de 8h às 01h, sexta e sábado de 08h às 03h.

Moquequinha do Rio

moquequinha.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Comum na região Norte, o gurijuba é um peixe típico do cardápio dos índios. No Aprazível, ele é servido cozido em molho de leite de coco natural, com pirão de peixe, arroz branco e farofinha de dendê na farinha d?água (81,00).

Rua Aprazível, 62, Santa Teresa, tel. 2508-9174. Terça a sábado,12h/23h (domingo. até 18h).

Minibiju de tapioca

meza-bar.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O prato típico ganha versão petisco no gastrobar Meza Bar. A porção tem pé no nordeste: os pedacinhos de tapioca chegam à mesa carne seca na manteiga de garrafa e com parmesão (R$ 29,00, seis unidades).

Meza Bar. Rua Capitão Salomão, 69, Humaitá, tel. 3239-1951. Domingo a quarta das 18h à 01h, quinta a sábado das 18h às 03h.

Cherne grelhado

guimas.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

No Guimas, o prato com inspiração indígena reúne peixe e purê de batata baroa acompanhado de aspargos frescos (R$56.90).

Guimas. Rua José Roberto Macedo Soares, nº5, Gávea, tel. 2259-7996. Diariamente, do meio-dia à 1h.

Moqueca de banana

espirito-santa-2.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Especializado em gastronomia amazonense, o restaurante Espírito Santa, apresenta um cardápio recheado de referências indígenas. A moqueca de banana (R$37,50) leva a fruta levemente cozida em leves temperos. Experimente também o drinque cuia do pajé (R$18,50), preparado com guaraná, ginseng, catuaba, mirantã, nó de cachorro, cupuaçu, malibu e cachaça artesanal, servido em cuia indígena.

Espírito Santa. Rua Almirante Alexandrino, 264. Largo dos Guimarães ? Santa Teresa, tel. 2507-4840. Diariamente, de 12h à 0h, exceto terças. Domingo, 12h às 22h.

Nhoque de baroa

prado.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O restaurante Prado, especializado em carnes nobres, traz no cardápio o nhoque de baroa ao molho de costela assada e desfiada (R$ 39,00), uma mistura do carro-chefe da casa com a batata baroa, ingrediente tradicional da culinária indígena.

Prado. Praça Santos Dumont, 31, Gávea, tel. 2512-2247.Segundas, quartas e quintas, das 12h às 23h, sextas e sábados, das 12h às 0h; domingos e vésperas de feriados das 12h às 22h (não abre às terças-feiras).

Fonte: VEJA RIO