COTIDIANO

Pele de gueixa

Cariocas recorrem a novos produtos e tratamentos para tentar ficar com a aparência das asiáticas

Por: Daniela Pessoa - Atualizado em

Divulgação (Camila Pitanga), Zé Paulo Cardeal (Mariana Ximenes), Nana Moraes (Ingrid Guimarães)
(Foto: Redação Veja rio)

Não importa o que dizem as pesquisas mais recentes. Mesmo com estudos que defendem a exposição aos raios solares sem proteção por até trinta minutos diários, para combater uma série de enfermidades, melhorar a absorção do cálcio pelo organismo e reduzir o risco de câncer e de diabetes tipo 2, há um grupo de cariocas que prefere se esconder deles. Circulando sob a proteção de chapéus, lenços e óculos gigantescos (e, em casos extremos, até com luvas), elas têm horror àquela pele tostada e às possíveis pintinhas que venham a surgir. Não à toa, nos consultórios dos dermatologistas, cresce o número de clientes, incluindo celebridades como Mariana Ximenes, Camila Pitanga e Ingrid Guimarães, que chegam com um pedido bem específico na ponta da língua: uma cútis alva e lisa, livre de qualquer sinal ou mancha. "Sou daquelas que, faça chuva ou faça sol, usam sempre protetor solar. Meu sonho é ficar com a pele clarinha, como a de uma gueixa", brinca a atriz Carol Castro.

Invejada por sua textura aveludada e pela tonalidade de porcelana, é justamente a pele das asiáticas a nova referência de beleza por aqui. Além de recomendarem cosméticos de última geração (veja o quadro abaixo), com formulações amplamente usadas na Ásia, os dermatologistas vêm importando uma série de tratamentos. O laser repair é a mais nova sensação e tem entre as adeptas a atriz Natália do Vale. "Em uma única sessão, ele trata manchas e ainda a flacidez", explica a dermatologista Denise Barcelos. Outro lançamento é o laser clear & brilliant, pouco agressivo e recomendado às peles mais sensíveis, por enquanto à disposição em apenas uma clínica na cidade. Já a promoter Carol Sampaio aderiu ao peeling com pasta de carbono, indicado a cada quinze ou trinta dias para clarear inclusive os pelos faciais. É bem mais superficial do que os lasers, mas tem a vantagem de custar quase a metade. Pelos padrões dessas neo-orientais, se alguém quiser aparentar aquele visual dourado, de recém-saída da praia, só haverá uma solução: apelar para cosméticos que simulam o bom e velho sol.

beleza-02-quadro.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO