EDIÇÃO DA SEMANA

Histórias Cariocas

Fatos e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Memória da cidade

historias-cariocas-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O comportamento dos cariocas quando vão à praia é o tema central de Um Mergulho no Rio, livro da jornalista Marcia Disitzer, que será lançado no próximo dia 11, na Argumento do Leblon. Especialista em moda, ela apresenta as variadas formas de maiô, biquíni, sunga e calção que fizeram fama (ou vergonha) em nossas areias. O trabalho reúne dezenas de fotos antigas ? ao lado, um grupo de banhistas na Copacabana de 1918 ? e relembra fatos e personagens que ao longo dos anos acabaram entrando para a memória coletiva da orla, como o chamado ?verão da lata?, a tanga de Fernando Gabeira e os mais populares vendedores de mate, biscoito e limonada.

Chofer de bebuns

historias-cariocas-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Você vai a um restaurante, está de carro e sabe que não pode consumir nada alcoólico. Mas se descuida e acaba bebendo mais do que devia. E agora? O caso tem solução. Há dois meses uma empresa do Centro põe à disposição de potenciais multados na Lei Seca choferes apenas para levá-los em casa. O serviço, já implantado em restaurantes como Artigiano, Anna e Pomodorino, todos na Avenida Epitácio Pessoa, em Ipanema, funciona às sextas e aos sábados, com motoristas de terno, gravata, luvas e quepe. O preço varia de 55 a 110 reais. Mas como o chofer volta para a base? Ele retorna na garupa de um dos motoboys de uma equipe paralela, que fica monitorando o intenso vaivém. Tim-tim.

No lugar do crack, o cinema

historias-cariocas-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Coordenado pela atriz Juliana Teixeira, o projeto Curta na Praça, que neste mês comemora cinco anos, já passou por lugares como a Cidade de Deus e outras favelas do entorno da Linha Amarela ? é patrocinado pela Lamsa, administradora da via (a foto é da exibição no Campo Águia de Ouro, em Del Castilho, em 2011). Desta vez o evento, que se inicia neste sábado (1º) e se estende por três semanas, terá como uma de suas bases um largo da Rua Dezoito de Abril, no Parque União. Não ligou o endereço ao lugar? Pois fica justo em frente à recém-instalada cracolândia da entrada da Ilha do Governador. Por isso, os filmes não terão cenas de sexo, tiros, nada disso. Pipoca e refrigerante grátis. Pedras ali, jamais.Engarrafamento de catamarãs

historias-cariocas-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Evento inédito na América do Sul, começa na quinta (6) a Extreme Sailing Series, disputa entre catamarãs, embarcações que têm por característica o uso de dois cascos, em vez de um, o que as torna bastante estáveis. Mesmo assim são barcos ágeis e velozes, que podem atingir 70 quilômetros por hora. Serão quase quarenta provas (a competição seguirá até o próximo domingo), no mar de Copacabana e do Flamengo. O Rio está estreando no campeonato mundial da categoria neste ano, o que também aconteceu com Cardiff, no País de Gales, e a portuguesa Porto. Ainda de calças curtas na modalidade, o Brasil participa da etapa carioca como convidado.

Uma joia para o florista

historias-cariocas-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Esculpidos com delicadeza, e pesando apenas 5 gramas, os brincos de prata ao lado, uma criação de Lívia Canuto, homenageiam Chico das Rosas, saudoso vendedor ambulante que até alguns atrás anos circulava com um grande cesto de flores por bairros como Leblon, Lagoa e o Centro. Sempre muito educado, ele tinha permissão da grande maioria dos donos de restaurante para adentrar o salão e ir de mesa em mesa na tentativa de convencer os cavalheiros a presentear suas damas. A designer o conheceu no bar Jobi, no dia do lançamento da joia, em 2004. O brinco fez sucesso na época e foi comprado por gente famosa, como as atrizes Deborah Secco e Andrea Beltrão. Na semana que vem, Lívia, que festeja dez anos de carreira, relança a peça, à venda por 210 reais exclusivamente em seu ateliê, na Avenida Ataulfo de Paiva.

Fonte: VEJA RIO