GRÁTIS

É de graça no feriado

Listamos 15 atrações gratuitas neste 7 de setembro no Rio. Aproveite!

- Atualizado em

recomendadanca.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

ESPECIAL

TOCA-LIVROS. Cinco especialistas participam do evento dedicado à música brasileira. Na terça (6), Marcelo Fróes conversa sobre sua obra Jovem Guarda - Em Ritmo de Aventura. No dia seguinte, às 17h, José Ramos Tinhorão aborda o livro A Música Popular Brasileira. Em seguida, às 19h30, a vez é do autor de O Samba de Sambar do Estácio, Humberto Franceschi. Na quinta (8), às 19h30, o escritor convidado é Zuza Homem de Mello ? para falar do seu A Era dos Festivais. Na sexta (9), no mesmo horário, encerra a programação Carlos Calado, autor de Tropicália ? A História de uma Revolução Musical. Caixa Cultural (176 lugares). Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2262-5483. Terça (6), 19h30, quarta (7), 17h e 19h30, quinta (8), 19h30, sexta (9), 19h30. Grátis.

CRIANÇAS

ESPAÇO CULTURAL DA MARINHA. No prédio central, os pequenos podem conhecer a galeota imperial de dom João VI. No cais, ficam atracados o Submarino-Museu Riachuelo, o Navio-Museu Bauru e a Nau dos Descobrimentos. Completam o programa passeios de barco pela Baía ou até a Ilha Fiscal, além de peças e oficinas infantis no fim de semana. Avenida Alfred Agache, s/nº, Praça Quinze, ☎ 2233-9165. 12h/17h (ter. a dom.). Grátis. Estac. Passeios para a Ilha Fiscal (90 pessoas): 12h30, 14h e 15h30 (qui. a dom.). R$ 10,00. Passeio no rebocador Laurindo Pitta, pela Baía de Guanabara: 13h15 e 15h15 (qui. a dom.). R$ 10,00. Espetáculo infantil De Volta para o Passado: 14h30 e 16h (sáb. e dom.). Grátis. Oficina de arte para crianças: 15h (sáb. e dom.). Grátis.

EXPOSIÇÃO INTERATIVA DE TAPETES TRIDIMENSIONAIS. Conhecido pela técnica de narração que inclui o uso de tapetes coloridos, o grupo Costurando Histórias está completando dez anos de atividades. Sua trajetória é relembrada na mostra de doze tapetes com cenários e personagens costurados que podem ser manipulados pelas crianças. Nos sábados e domingos, o grupo apresenta-se em duas sessões. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Terça a domingo, 12h às 19h (narração de histórias sáb. e dom., 15h e 17h, com 35 senhas distribuídas uma hora antes de cada sessão). Grátis. Até domingo (11).

EXPOSIÇÕES

FERNANDO BOTERO. Personagens rechonchudos e bem-humorados povoam a obra de Fernando Botero, 79 anos. Nascido na cidade de Medellín, o consagrado pintor vive em Paris há quatro décadas, mas não se desliga da terra natal. Episódios trágicos da história recente de seu país inspiram a mostra Dores da Colômbia, com 36 desenhos, 25 pinturas e seis aquarelas de temática bem diferente da que o tornou um dos mais caros pintores do planeta. O autor de divertidas interpretações para Mona Lisa, de Leonardo Da Vinci, e O Casal Arnolfini, de Jan van Eyck, aproximou-se mais, nos trabalhos desta individual, do estilo dramático de Guernica, de Pablo Picasso, ou da série de gravuras Desastres da Guerra, de Francisco Goya. No lugar das usuais figuras bonachonas, as 67 obras que vão ocupar a Caixa Cultural trazem cenas violentas repletas de vítimas de conflitos políticos que envolvem guerrilheiros, paramilitares e forças do governo."Este é um conjunto artístico importante do ponto de vista dos direitos humanos", afirma Denise Carvalho, diretora da Aori Produções Culturais, responsável pela vinda da exposição ao Brasil. Doadas por Botero ao Museu Nacional da Colômbia, as telas de cores vibrantes podem impressionar crianças e adultos suscetíveis a imagens fortes. Alguns dos quadros mais impactantes têm grandes formatos, a exemplo de Morte na Catedral (1,96 por 1,32 metro) e de O Desfile, um enterro coletivo representado em 1,92 por 1,26 metro. Fernando Botero. Caixa Cultural ? Galeria 3. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-7666, ? Carioca. → Terça a sábado, 10h às 22h; domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 30 de outubro. A partir de terça (6). www.caixacultural.com.br.

BRUNO MIGUEL. Carioca de 30 anos, o artista plástico tem se destacado por sua pesquisa poética bem particular, voltada para a presença da pintura na paisagem através da propaganda em outdoors. Na individual que leva seu nome, Miguel exibe 23 pinturas ? em que utiliza como suporte caixas de molduras doadas por Carlos Zilio, de quem foi assistente por cinco anos ?, uma série de quinze móveis-paisagens, um vídeo e três obras da série Kitsch Pôsteres ? A Zoation Architecture History. R$ 6 000,00 a R$ 10 000,00. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaribe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até dia 30. A partir de terça (6). www.lucianacaravello.com.br.

FRANZ WEISSMANN [1911-2005]. Expoente do neoconcretismo, o escultor tem seu centenário de nascimento lembrado na mostra que reúne 76 obras. Curador do acervo, Max Perlingeiro selecionou trabalhos emblemáticos, a exemplo de Cubo Vazado, exibido na Bienal de São Paulo de 1953, e criações menos conhecidas, além de maquetes. Completam a exposição peças assinadas por artistas que tiveram importante participação na trajetória de Weissmann, como Quirino Campofiorito (1902-1993), seu professor de desenho, Auguste Zamoyski (1893-1970), professor de escultura, e Alberto da Veiga Guignard (1896-1962), criador da Escola do Parque, em Belo Horizonte, que o convidou para ser professor. Amilcar de Castro (1920-2002), um dos alunos do artista na instituição mineira, comparece com uma obra. Pinakotheke Cultural. Rua São Clemente, 300, Botafogo, ☎?2537-7566. Segunda a sexta, 10h às 18h; sábado e feriados, 10h às 16h. Grátis. Até 3 de dezembro. A partir de terça (6).

✪✪✪ ANNA BELLA GEIGER. Em atividade desde os anos 50, Anna Bel¬la está no rol dos mais importantes nomes das artes plásticas no Brasil. Na retrospectiva batizada Circa MMXI, ela exibe sessenta trabalhos em variados suportes produzidos em diferentes épocas. No acervo, com curadoria assinada pela própria artista, entram desenhos de telhados de Nova York, feitos em 1954, e telas da série Pier & Oceans, da década de 80, além de obras raramente exibidas de sua fase visceral, a exemplo das pinturas Órgão Ocidental, Tronco e Garganta. Arte Sesc ? Mansão Figner. Rua Marquês de Abrantes, 99, Flamengo, ☎ 3138-1343, ? Flamengo. → Terça a sábado, 12h às 20h; domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até dia 30.

✪✪✪ CADU. Paulistano radicado no Rio, Carlos Eduardo Felix da Costa ou, simplesmente, Cadu, tem variada produção focada em instalações, esculturas, vídeos e objetos constituídos de mecanismos que envolvem tecnologia. Na individual Entardecer no Ano do Coelho, o curador Fernando Cocchiarale surpreende o público apresentando quatro pinturas de grandes formatos no salão central da galeria. As telas abstratas são integrantes da série Nantucket Island ? nome da ilha no estado americano de Massachusetts que inspirou Herman Melville a escrever Moby Dick. A paleta de cores alude aos tons do mar e das algas. Nos espaços adjacentes estão três instalações, dois vídeos e um objeto característicos da linguagem plural de Cadu. Galeria Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2017, ? General Osório. Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até 2 de outubro.

✪✪✪ I AM A CLICHÉ ? ECOS DA ESTÉTICA PUNK. Mostra de 150 obras, entre fotos, fotocolagens e instalações, produzidas por doze importantes artistas selecionados pela francesa Emma Lavigne, curadora do Centro Georges Pompidou, em Paris. Andy Warhol é representado por quatro exemplares de seus conhecidos Screen Tests (testes de câmera): em um vídeo, retrata silenciosamente os cinco membros do conjunto Velvet Underground, entre eles Lou Reed. Também integram a exposição doze fotografias da americana Patti Smith, elevada a musa e poetisa do punk quando lançou o disco Horses, em 1975, feitas por Robert Mapplethorpe. Há ainda 44 imagens ? impróprias para menores de 14 anos ? da série Arthur Rimbaud em Nova York, feitas por David Wojnarowicz em 1978, em que modelos com máscaras do poeta Rimbaud (1854-1891) são retratados em cenas eróticas. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 2 de outubro.

✪✪✪ MESTRES DA GRAVURA NA COLEÇÃO DA FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL. Parte do acervo de 20 000 gravuras da Real Biblioteca de Portugal, trazido para o Rio em 1810 por ordem de dom João VI, um tesouro composto de 171 obras está exposto nos Correios. Bem organizada, a mostra exibe os trabalhos de oitenta artistas europeus, separados por ordem cronológica e em oito coleções ? alemã, holandesa, italiana, francesa, flamenga, inglesa, espanhola e portuguesa. Lupas oferecidas aos visitantes permitem que se verifiquem os detalhes e o bom estado de conservação dos exemplares produzidos entre os séculos XV e XIX. Dois mestres que justificam sobejamente a visita são Rembrandt (1609-1669), presente com doze obras, e Francisco Goya (1746-1828), representado por nove imagens da série Os Provérbios, a exemplo da bela Modo de Voar. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até dia 18. www.correios.com.br.

PANORAMAS: A PAISAGEM BRASILEIRA NO ACERVO DO IMS. Mostra com 313 trabalhos, entre gravuras, desenhos e pinturas produzidos de 1820 a 1920 por artistas como o inglês Charles Landseer e os alemães Rugendas e Von Martius. Fotografias completam o acervo. A lista inclui imagens oitocentistas do suíço Georges Leuzinger e do francês Augusto Stahl, além de um belo flagrante de Marc Ferrez: Jardim da Glória com Avenida Beira-Mar à Esquerda e Entrada da Barra, de 1906. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎?3284-7400. →Terça a sexta, 13h às 20h; sábado, domingo e feriados, 11h às 20h. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 13 de novembro. www.ims.com.br.

✪✪✪✪ QUEREMOS MILES ? MILES DAVIS, LENDA DO JAZZ. Mostra com 450 itens ? fotografias, instrumentos, roupas, documentos, capas de discos e partituras ? pertencentes ao trompetista Miles Dewey Davis III (1926-1991). Montada pela Cité de la Musique, em Paris, onde estreou em 2009, a exposição, que já passou por Montreal, no Canadá, traz ao Rio um rico panorama da trajetória do artista, da infância na cidade natal, East St. Louis, no estado de Illinois, até a morte, aos 65 anos. No acervo estão, entre outras curiosidades, o manuscrito original da música Nem um Talvez, de Hermeto Pascoal, que tocou com Miles no álbum Live-Evil, de 1970, uma jaqueta criada pelo figurinista Gianni Versace e telas pintadas pelo músico. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até dia 28.

VALÉRIE BELIN. Fotógrafa francesa, Valérie tem produção caracterizada por trabalhos que se aproximam das pinturas hiper-realistas. Em 2008, exibiu na coletiva Demi-Verités ? Meias Verdades, no Oi Futuro Flamengo, um conjunto de retratos de mulheres que provocavam estranhamento pela dificuldade de se distinguir se as personagens eram humanas ou bonecas. Agora, na individual O Ser e o Aparecer, com curadoria de Adon Peres e de Evangelina Seiler, são apresentados exemplares em grandes formatos das séries Black-Eyed Susan ? de figuras femininas retratadas à moda dos anos 50, com os rostos circundados por flores ?, Fisiculturistas 1, Vintage Cars e uma ampliação monumental de uma das fotografias do conjunto Ballroom Dancers. Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. → Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 6 de novembro. www.fcfb.rj.gov.br.

TEATRO

TOMMY ? A ÓPERA ROCK, de Pete Townshend, com adaptação de Alexandre Amorim. Traduzido, o musical conta a saga do traumatizado Tommy, que fica cego, surdo e mudo, mas se transforma num campeão de pinball. À frente de um elenco de 22 atores e acompanhados por oito músicos, Igor Guerra e Thadeu Matos dão vida ao protagonista nas fases da infância, da adolescência e adulta. Quando se recupera do trauma ? por testemunhar o assassinato do amante de sua mãe pelo próprio pai ?, catorze anos mais tarde, o rapaz se torna um astro, mas na verdade pretendia ser apenas uma pessoa comum. Direção cênica de Rubens Lima Jr. e musical de Guilherme Borges (60min). 12 anos. UniRio ? Teatro Paschoal Carlos Magno (90 lugares). Avenida Pasteur, 436, Urca. Segunda a quinta, 20h30; sábado, 21h. Grátis. Distribuição de senhas uma hora antes. Até dia 22. Estreia prometida para a segunda (5).

DANÇA

KIROV BALLET ? GALA. Leia em Veja Rio Recomenda. Direção de Yuri Fateiv (160min, com intervalos). Livre. Theatro Municipal do Rio de Janeiro (2?361 lugares). Praça Floriano, s/nº, Centro, ☎ 2332-9191/9005, ? Cinelândia. Segunda (5), 20h30 (ingressos esgotados). Quinta da Boa Vista. Quarta (7), 17h30. Grátis.

Fonte: VEJA RIO