CONSUMO

Casamentos alternativos

Casais deixam de lado os casórios tradicionais para apostar em celebrações originais, marcadas pelo toque pessoal dos noivos. Do celebrante à decoração, tudo é personalizado

Por: Louise Peres - Atualizado em

Jann La Pointe Photography
(Foto: Redação Veja rio)

Esqueça salões suntuosos, recepções grandiosas e as mesmas decorações pasteurizadas de sempre. Nos últimos tempos, muitos casais que decidem trocar alianças e fazer juras de amor diante de família e amigos querem bem mais do que uma grande festa. Eles apostam nos casamentos alternativos, celebrações intimistas que fogem do tradicional por reunirem, em todos os aspectos, a personalidade e o toque pessoal dos noivos. Do estilo da cerimônia às lembrancinhas, tudo é escolhido a dedo para traduzir a essência e a história dos pombinhos. ?Somos uma geração que já pode enxergar o casamento não como uma instituição falida, mas como a celebração de um amor que já existe, já funciona. Muitos inclusive já moram juntos. Se é para celebrar, que seja com a nossa cara?, explica a jornalista Manoela Cesar, autora do blog Colher de Chá Noivas. Depois de organizar seu próprio casamento, em 2009, ela criou o site para ajudar e inspirar noivas na produção de casórios criativos. ?Eu fiz meu casamento inteiro sozinha, procurando serviços na internet e contratando fornecedores que fariam as coisas do meu jeito?, conta ela.

A tendência de personalizar e transformar os casamentos em comemorações com a cara do casal vem de fora. Nos Estados Unidos e na Europa, é comum que jardins e construções históricas sejam os cenários de enlaces cuidadosamente planejados com a participação dos noivos. Com a onda pegando por aqui, saem de cena as casas de festa e ganham espaço jardins, sítios e espaços ao ar livre. Em vez de centenas de convidados, uma lista selecionada de amigos e parentes íntimos, ligados à história do casal. No mobiliário, peças de valor pessoal como louças da família e fotografias antigas incrementam a decoração, feita de modo a ressaltar o caráter único de cada união. ?Eu procurei serviços tão personalizados que acabei tendo que ser meu próprio fornecedor em tudo de papelaria, dos convites às plaquinhas decorativas das mesas?, conta a designer Vanessa Destri, que se casou em 2012 em pleno Dia de Finados. Como era a única data disponível na Capela Santa Ignez, na Gávea, a carioca e o noivo Fabrício decidiram brincar com a efeméride. Espalharam caveirinhas por todos os elementos decorativos do casório ? até os noivinhos, pintados como mortos-vivos. O resultado foi uma comemoração criativa e moderninha, com a cara deles.

Lif
(Foto: Redação Veja rio)

Criar um casório original não se restringe à parte estética da coisa. Até a cerimônia, comumente formal e monótona, ganhou a identidade do casal. ?Se há um cuidado tão grande em personalizar o casamento inteiro, por que o momento da união precisa ser tão fechado e formatado??, questiona a celebrante Ilana Reznik, que há um ano e meio deixou a função de redatora publicitária para redigir e realizar cerimônias personalizadas, feitas sob medida para os pombinhos. ?Misturo músicas à história deles, a algo que signifique tudo o que eles construíram e estão dispostos a dividir com todas as pessoas queridas que estão ali?, explica ela.

Marina Lomar
(Foto: Redação Veja rio)

Personalizar um casamento, no entanto, exige dedicação e muita pesquisa. O envolvimento com o casório é muito maior, e uma das principais provas disso é a participação intensa não apenas da noiva, mas também do noivo nos preparativos. ?O Geovane quis ajudar em tudo. Até na escolha da toalha da mesa ele opinou?, lembra orgulhosa Marianne Lopes, que se casou no dia 27 de janeiro deste ano em numa charmosa cerimônia diurna evangélica, ao ar livre, no sítio Meio do Mato, no interior do Rio.

Jann La Pointe Photography
(Foto: Redação Veja rio)

Cuidar pessoalmente de cada detalhe, para ela, também fez toda a diferença no valor investido para realizar seu grande sonho. ?Gastaria 50% a mais se não tivesse pesquisado e me esforçado tanto. E valeu demais a pena?, garante Marianne, que teve nos sites e blogs de casamento grandes aliados para preparar o grande dia.

Fonte: VEJA RIO