História cariocas

Fatos e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Meu dente, minha vida

No horário obrigatório da TV, em galhardetes, em outdoors e em santinhos, não faltam sorrisos na campanha eleitoral. São políticos em busca de votos, tentando mostrar simpatia. Mas será que os dentes estão nos trinques? VEJA RIO pediu ao dentista Marcelo Fonseca, fundador da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética e membro da American Society for Dental Aesthetics, que analisasse fotos dos principais pretendentes ao governo. “Dentista das estrelas”, Fonseca assina o sorriso de artistas como Vera Fischer e Taís Araújo. Confira, ao lado, seus comentários sobre os dentes dos candidatos.

No fundo do mar

Divulgação

Divulgação

historias-cariocas-03.jpg

historias-cariocas-03.jpg

Acaba neste domingo (14), nos jardins do Museu da República, no Catete, a Green Nation Fest. Evento focado em sustentabilidade, tem como charme especial uma série de atividades interativas. Vem sobressaindo o submarino virtual criado pelo arquiteto João Uchôa. Fica dentro de um contêiner e, uma vez instalado numa das seis cadeiras, o visitante tem a sensação de navegar num mar de corais, entendendo assim os perigos decorrentes da poluição das águas. Ao lado, números da atração.

Reggae night

Arte Gabriella Turbiani

Arte Gabriella Turbiani

Olha como é bonitinho o flyer da festa Motoka, que rola na sexta (19) no Teto Solar, em Botafogo. Com o slogan “reggae com amor” e a ideia fixa de resgatar o prazer de dançar colado, os DJs Mauricio Valladares, Calbuque e Marcelinho Dalua vão se revezar nas vitrolas. Sim, nessa night só se toca vinil, no caso Maxi Priest, Gregory Isaacs e Bob Marley. Com as cores do ritmo no console dos discos, o convite (da designer Gabriella Turbiani) traz um detalhe que boa parte da garotada da pista deve desconhecer: aquele botão que selecionava 16 rotações por minuto, 33, 45 ou 78, esta última velocidade usada para os discos pesadões, lembra?

Fotógrafo de rua

Reprodução

Reprodução

A galeria Anexo, em Santa Teresa, tem trazido ao Rio acervos de outras capitais: na primeira edição de seu projeto de intercâmbio, vieram obras da Mezanino, de São Paulo, e agora chegou a vez de Belo Horizonte. O artista visitante é o fotógrafo Rodrigo Albert, da galeria Manoel Macedo. Mineiro, hoje residente no México, ele tem no currículo o Prêmio Nacional Pierre Verger, e retrata figuras anônimas, como este catador de lixo com um quê de carioquice no jeito e no olhar. A mostra começou na quarta (10) e vai até outubro.

Para ver a chegada

ISTOCKPHOTO

ISTOCKPHOTO

Aberto há dois meses no Jockey Club, na Gávea, o restaurante Rubaiyat fica de cara para a pista de corrida. Especialmente quando os cavalos passam pela raia de grama (mais externa), os privilegiados comensais da varanda se levantam, fazem apostas de mentirinha, e as crianças se divertem. Nas últimas semanas, garçons da casa (especializada em cortes bovinos refinados) repararam que os clientes têm levado clássicos binóculos para enxergar mais de perto a disputa. É que a linha de chegada, o ponto alto de todo páreo, fica distante dali, a um ângulo que torna quase impossível saber quem foi o vencedor.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s