Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como estão as festas infantis durante a pandemia

Pais e profissionais precisam se reinventar em meio ao isolamento social

Por Núbia Trajano 25 nov 2020, 14h28

Entre balões customizados, painéis arredondados, arranjos, bolos e doces decorados, e os parabéns feitos pelo zoom, celebrar a vida de um jeito diferente entraram no “novo normal”. Sem poder organizar uma típica festa infantil, com data marcada, brincadeiras e aglomerações foi preciso agir rápido e se arriscar em novas tendências na área. Os famosos “Kits festas” ou “Kit papelaria” são algumas das apostas para não deixar a data especial passar em branco.

+Flamengo: um ano do título da Copa Libertadores da América 

Devido ao isolamento social as crianças foram obrigadas a encarar uma nova realidade: sem escolas presenciais, encontrar com os amigos e passeios. A mudança acarretou no aumento da ansiedade e o estresse. A fim de trazer um alívio em meio a pandemia, Manoela Rangel Teixeira, massoterapeuta, mãe da Anaflor Rangel, de 5 anos, preparou um aniversário inusitado para a filha.

“A decoração foi mais simples e compacta do que nos anos anteriores, mas com o tema que ela escolheu. O que acrescentamos foi mais amor e aconchego, ela se sentiu muito especial tendo atenção total só pra ela. Teve pula-pula e alguns vídeos que os familiares e amigos mandaram. Além da cartinha especial que a irmã escreveu para ela”.

+Justiça autoriza retorno de aulas presenciais em Niterói 

Para a Priscila Vieira, proprietária da empresa Sonhos em Papel, responsável por criar kits de papelaria nas festas de aniversário, como topper de bolo, bandeirolas, pôsteres no tema da festa, a Pandemia trouxe mudança positivas. Ela acredita que além da felicidade estampada nos rostos das crianças, seja uma realização dos pais e as pessoas que preparam a comemoração.

“As coisas agora são mais poket, simples de serem feitas, já que são os próprios clientes que montam. Muitas vezes enviamos o Kit pelos correios ou fazemos a entrega, mas sem entrar na casa ou local da festa. Tem uma lembrancinha que eu faço muito, uma marmitinha decorada, na qual as pessoas colocam o bolo e o docinho e enviam para os convidados, para terem um bolo na hora do parabéns. A papelaria tem muitas opções e com um mesmo tema você pode fazer coisas diversas”, explicou Priscila.

Continua após a publicidade

Segundo Mariana Machado, proprietária da empresa MGM Locações, que é responsável por locações de mesas e artigos para variados tipos de festa,  houve um aumento significativo no número de festas, o que chegou a triplicar na demanda pelo “kit só um bolinho”. Entre cacho de balões, louças e personagens, Mariana acredita que a gratidão aflorou no período de pandemia.

+Coronavírus: ocupação de leitos de UTI chega a 97% no Rio 

“Nosso estilo de atendimento ao cliente é o que difere das outras empresas. Como sou decoradora, dou sugestão no número de doces e louças, monto a decoração até a cliente gostar. Sem precisar sair de casa e com uma decoração linda, a partir de uma decoradora profissional. Eu sempre falei que o tamanho da festa está na nossa cabeça e isso se fez muito presente durante o isolamento. As crianças ficavam enlouquecidas com uma festa super pequenininha, super felizes. Chego a me emocionar”, diz Mariana.

+Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui  

 

*Núbia Trajano, estudante da PUC-Rio

 

Continua após a publicidade
Publicidade