Clique e assine por apenas 4,90/mês

Três atrações imperdíveis na mostra de Abraham Palatnik

Em "A Reinvenção da Pintura", artista mostra porque se tornou o pioneiro da arte cinética no Brasil

Por Renata Magalhães - 25 fev 2017, 12h00

 

Abraham Palatnik
Foto: Vicente de Mello Vicente de Mello

w-282. O interesse pela arte cinética, que tornou o artista pioneiro nessa técnica, também influenciou obras bidimensionais.
A série W apresenta belas telas abstratas feitas com ripas de madeira cortadas a laser e coloridas por tinta acrílica.

Abraham Palatnik
Foto: Vicente de Mello Vicente de Mello

Objeto Cinético em Processo. Na série iniciada em 1964 pelo potiguar Abraham Palatnik, hastes e fios metálicos movem-se de forma lenta, acionados por motores ou ímãs, propagando pelo ambiente uma sonoridade bem peculiar. Ideia bem-vinda, a presença de ferramentas espalhadas na base reforça o que o título sugere e dá pistas sobre a confecção do trabalho.

Abraham Palatnik
Foto: Vicente de Mello Vicente de Mello

Aparelho Cinecromático, 1969. Um dos grandes destaques da exposição é a série de quatro obras, elaboradas com motores e luzes, que travam um diálogo com a pintura e cuja movimentação amplia as noções de escultura. Vale avisar que temporizadores desligam cada aparelho por quarenta minutos, após quinze de funcionamento. Só é possível ver um por vez.

› CCBB. Rua Primeiro de Março, 66, Centro. Quarta a segunda, 9h às 21h. Grátis. Até 23 de abril.

Continua após a publicidade
Publicidade