Clique e assine por apenas 4,90/mês

A história por trás do monumento na entrada do Túnel Novo

Inaugurada há 110 anos, a escultura foi oferecida à cidade pelos portugueses Adriano e Antônio Ramos Pinto, comerciantes de vinho

Por Heloíza Gomes - Atualizado em 9 jan 2017, 21h29 - Publicado em 7 jan 2017, 03h00

Nada de chope. O que fazia sucesso no Rio, no século passado, era o vinho do Porto. Prova disso é o monumento na entrada do Túnel Novo, em Botafogo. Inaugurada há 110 anos, a escultura foi oferecida à cidade pelos portugueses Adriano e Antônio Ramos Pinto, comerciantes da bebida, em agradecimento pelo alto consumo do produto. Mas, apesar da boa intenção, a obra original, composta de anjos nus, desagradou ao então prefeito Pereira Passos (1836-1913), que exigiu um véu moralizante. Feita a sua vontade, a Fonte Ramos Pinto foi inaugurada em 1906, na Glória, de onde saiu, cinquenta anos depois, para o atual local. Agora, a família Ramos luta para mudá-la de lugar de novo por causa da poluição que a atinge.

Publicidade