Clique e assine com até 65% de desconto

Resgate histórico para a comunidade da Zona Portuária

Exposição Canteiro Aberto, na igreja de São Francisco da Prainha, apresenta detalhes da obra ao lado de registros pessoais dos moradores do entorno

Por Da Redação Atualizado em 2 jun 2017, 13h00 - Publicado em 19 set 2014, 22h31

Obras de igreja costumam ser famosas pelo tempo que levam para serem concluídas. Não é o caso da reforma que está em curso na antiga igreja de São Francisco da Prainha, na Zona Portuária da cidade: a exposição Canteiro Aberto, instalada em meio ao restauro, uniu os profissionais responsáveis e a comunidade do entorno. Ao lado das fotografias e painéis que materializam a metodologia adotada durante a obra, juntam-se imagens doadas pelas famílias do Morro da Conceição e do bairro da Saúde com registros da vida religiosa da comunidade, como batizados, casamentos e outras festividades. A exibição dessas imagens, que são projetadas na parede do altar principal, tem feito um grande sucesso e comovido os moradores, que se reconhecem como parte integrante da história.

 

A construção, de 1696, vem sendo restaurada pelo programa Porto Maravilha Cultural e deve ficar pronta até o final do ano. A visitação ocorre aos sábados e domingos, das 10h às 16h, até o último fim de semana de julho. A entrada é franca.

São obras emergenciais de escoramento, execução de cobertura provisória e restauro arquitetônico executadas em parceria com a Construtora Biapó, cuja equipe profissional participa ativamente da exposição atuando como monitores e guias de modo voluntário nos fins de semana. Treinados para tirar dúvidas, eles serão responsáveis por receber a população que não tem acesso à edificação há 10 anos. Arquitetos, engenheiros, mestres de obras, museólogos, restauradores, almoxarifes, funcionários da parte administrativa e de segurança e até estagiários ajudam a receber os visitantes e fornecem informações sobre o processo de restauro.

2
2

“Investimos no envolvimento da comunidade no processo de recuperação do patrimônio histórico por acreditar que o acesso ao conhecimento e à educação patrimonial fortalecem a cidadania e os sentimentos de pertencimento das pessoas às suas comunidades e ao seu país”, afirma Manoel Garcia Filho, diretor da Biapó.

O diretor-presidente da Cdurp – Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro, Alberto Silva, destaca a importância da restauração para a revitalização da região portuária. “Fizemos um trabalho que mantém as características originais, mas devolve o imóvel à comunidade completamente reformado e seguro após dez anos interditado.”

“É muito importante o resgate da história que está sendo feito pela exposição com a palestra que conta a história da igreja. A maioria das pessoas não conhece. E as fotos mostrando a comunidade completam esse resgate”, afirma Renileide Silva, estudante de História que visitou a exibição.

3
3

 

Continua após a publicidade

Sobre a igreja

Construída em 1696 pelo Padre Francisco da Motta e doada em testamento para a Ordem Terceira de São Francisco da Penitência em 1704, a igreja é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como monumento artístico. Incendiada em 1710 durante a invasão francesa, ficou em ruínas por alguns anos até que a Ordem Terceira iniciasse um processo de reconstrução, em novembro de 1738. A obra da nova igreja de São Francisco da Prainha ficou pronta em 1740.

 

Continua após a publicidade

SERVIÇO

Exposição Canteiro Aberto

Igreja de São Francisco da Prainha

Endereço: Adro de São Francisco s/n – Saúde

Visitação aos sábados e domingos, das 10h às 16h, até o último fim de semana de julho

Entrada franca

Continua após a publicidade
Publicidade