Continua após publicidade

Conheça os efeitos da ocitocina, o hormônio do abraço

Ele é liberado na corrente sanguínea pelo hipotálamo, localizado na região central do cérebro

Por Fernanda Thedim
Atualizado em 5 dez 2016, 11h10 - Publicado em 30 jul 2016, 01h00

Ele é liberado na corrente sanguínea pelo hipotálamo, localizado na região central do cérebro. De acordo com um estudo da Universidade Médica de Viena, na Áustria, seus efeitos estão associados ao combate do stress, do medo e da ansiedade. Ele ajuda a relaxar o corpo, diminui a pressão arterial e promove o bem-estar. Conduzida pelo neurofisiologista Jürgen Sandkühler, a pesquisa concluiu: quanto mais abraços, melhor.

+ Hotel Sheraton oferece esportes aquáticos

+ Centro de Meditação Kadampa Rio de Janeiro reabre em Botafogo

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te
oferecer.
Receba VEJA e VEJA RIO impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.