Continua após publicidade

Museus do Rio celebram o dia dos povos indígenas com mostras e oficinas

Atividades incluem de tradições dos povos originários a trabalhos de artistas indígenas contemporâneos como Denilson Baniwa e Zahy Tentehar

Por Kamille Viola
Atualizado em 19 abr 2023, 19h04 - Publicado em 19 abr 2023, 17h31

Aldeia Maracanã

A aldeia urbana, localizada no prédio antigo do Museu do Índio, tem programação especial neste fim de semana e no próximo. O espaço recebe oficinas de temas como miçangas e plantas medicinais, entre outros. No sábado (22), a cantora Kae Guajajara se apresenta, às 20h. Domingo (23), às 18h, é a vez do monólogo O Sonho de Caipora, com Dário Jurema. A programação completa está no Instagram @tekohawmarakana.

Av. Rei Pelé, 1051, Maracanã (entrada pelo portão verde de grade ao lado do antigo Museu do Índio). 1kg de alimento a R$ 45,00 (o preço varia com a atividade).

A Casa de Bambas

O ONG promove ao longo do ano o  projeto Indígenas: Arte e Cultura dos Nativos do Brasil, que conta com diversas atrações. No domingo (23), a partir das 14h, o espaço irá abrigar uma oca, que poderá se visitada pelo público. A cerimônia de inauguração contará com apresentações culturais e trará o ritual do Toré, do povo Pankararu, que envolve música, dança, espiritualidade e brincadeira. Na ocasião, Ana Kariri comanda uma roda de conversa sobre a importância da visibilidade da cultura indígena.

Continua após a publicidade

Estrada Porto Velho, 199, fundos, Cordovil. Dom. (23), 14h/20h. Grátis.

Museu de Arte Moderna

Terceira mostra do programa Supernova, plataforma do MAM para a produção de arte contemporânea, Aqui Estamos, da artista visual Uýra, reúne trajetórias de indígenas em diáspora pelo território nacional. São oito obras que iniciam um trabalho de mapeamento e interconexão entre personagens que estão na luta por suas terras originárias, como a própria artista, e/ou em contextos urbanos. As histórias são contadas por meio de áudios, imagens e narrativas.

Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo. Qua. a dom., 10h/18h. Dom., 10h/11h, visitação exclusiva para pessoas com deficiência intelectual. Contribuição sugerida: R$ 10,00 a R$ 20,00. Ingressos pelo site do MAM. Até 28 de maio.

Continua após a publicidade

Museu do Amanhã

O museu atualmente abriga a exposição Nhande Marandu — Uma História de Etnomídia Indígena, com curadoria de Anápuáka Tupinambá, Takumã Kuikuro, Trudruá Dorrico e Sandra Benites, e que traça um panorama da comunicação dos povos indígenas mostrando expressões do passado até os dias de hoje com o uso de tecnologias digitais. A mostra reúne fotos, programas de TV, filmes, artes visuais, acervos de rádios e livros.

Praça Mauá, 1, Centro. Ter. a dom., 10h/18h. R$ 15,00 a R$ 30,00. Até 30 de abril. Ingressos pelo Sympla.

Museu do Pontal

Nesta sexta (21), às 16h, o educador indígena José Urutau Guajajara traz ao Museu do Pontal a Roda de Maraca com cantos indígenas e pintura corporal com biotinta de jenipapo. No sábado (22), às 10h, o arte-educador e músico Luizão Santos realiza a vivência Influência dos Cantos e Danças Indígenas na Cultura Popular Brasileira, em que serão abordados folguedos como o carimbó, dança tradicional do Pará. Às 16h, a artista multimídia Ana Silva Kariri vai ensinar aos pequenos a como desenvolver pinturas a partir da composição de tintas naturais, feitas com plantas como jenipapo e carvão. No domingo (23), às 16h, é a vez do público conhecer mais sobre as histórias e os cantos dos Puri, acompanhados de instrumentos de bambu, com Dauá Puri.

Avenida Celia Ribeiro da Silva Mendes, 3300, Barra. Qui. a dom., 10h/18h (último acesso às exposições às 17h30). Grátis a R$ 80,00 (contribuição sugerida). Ingressos pelo Sympla.

Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro

Nesta sexta (22), o espaço recebe a partir das 10h o projeto Bibliomala Conta Aldeia de Histórias, com contação de histórias em homenagem aos povos indígenas do Brasil, mediada pela escritora Eliza Morenno. Além disso, a exposição de longa duração do local conta com o espaço Terra Indígena Rio de Janeiro, em que o artista Denilson Baniwa, convidado pelo museu, realizou intervenções em gravuras de Rugendas e apresentou textos em português, guarani e inglês ilustrados por sua obra Terra Indígena RJ.

Continua após a publicidade

Estrada Santa Marinha, s/nº, Gávea. Qui. a dom., 9h às 16h. Grátis.

Museu Histórico Nacional

No centenário do espaço, a mostra Îandé — Aqui Estávamos, Aqui Estamos traz um olhar renovado sobre a trajetória dos povos originários brasileiros, desde antes da chegada dos portugueses até os dias atuais. Dividida em dois grandes eixos, Arqueologia e Povos Originários, a mostra apresenta importantes objetos etnográficos, como o tacape do líder indígena Tibiriçá, além de obras recentes de artistas contemporâneos, como Denilson Baniwa, um dos curadores da exposição, e Diakara Desana.

Museu Histórico Nacional. Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro. → Qua. a sex., 10h/17h. Sáb. e dom., 13h/17h. Grátis.

Continua após a publicidade

Sesc Copacabana

A arista visual e atriz Zahy Tentehar, do povo Tentehar-Guajajara, está em cartaz com a exposição Zexakaw, palavra do idioma ze’eng eté que em português significa “espelho”. Trata-se de uma instalação artística que entrelaça linguagens plásticas, estéticas e audiovisuais. Uma das experiências do trabalho é a exibição de uma das obras de videoarte de Zahy, o filme Karaiw a’e wá (“Os civilizados”), em que há uma reflexão sobre uma suposta presença civilizada e sua decadência humana. “Como descendente daqueles que que foram enganados sobre sua imagem, lhes devolvo os espelhos como presentes para que se vejam de forma consciente e reflitam sobre o que são e estão, sobre suas imagens refletidas, neste presente movimento entre passado e futuro”, diz a artista.

Rua Domingos Ferreira, 160, galeria. Ter. a dom., 10h/9h. Grátis. Até 28 de maio.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.