Clique e assine com até 65% de desconto

Luís Capucho ganha medalha e comemora com série de shows

Compositor também lança livro sobre a recuperação de um coma proveniente de complicações do vírus HIV

Por Redação VEJA RIO Atualizado em 5 Maio 2017, 11h29 - Publicado em 4 Maio 2017, 16h06

Prestes a lançar novo livro, o cantor e compositor Luís Capucho será homenageado nesta sexta (5) com a medalha José Cândido de Carvalho. A láurea é concedida pela Câmara Municipal de Niterói, onde vive o artista, para celebrar os nomes que contribuem para a cultura da cidade. Durante a entrega, Capucho se junta aos músicos paulistanos Vitor Wutzki e Tulio Freitas para uma pequena apresentação às 18h.

Considerado um dos malditos do cancioneiro nacional, com três CDs lançados, Lua singela, Cinema Íris Poema Maldito, o compositor teve esparsas canções gravadas por nomes como Cássia Eller, Clara Sandroni e Marcos Sacramento. Sua estreia se deu no ano de 1996, em uma participação no álbum coletivo Ovo, com a música O Amor é Sacanagem. No mesmo ano entrou em coma por  uma neurotoxoplasmose decorrente de complicações do vírus HIV, que deixaria sequelas com as quais o artista teria que conviver para o resto da vida. As limitações motoras e os problemas de voz decorrentes, acabaram por marcar uma mudança em sua carreira. 

“Minha voz é muito estranha, por causa da minha incoordenação motora. Tenho dificuldade para pronunciar os fonemas e a força que preciso fazer para dizê-los, incham-me as veias do pescoço. Também para que elas saiam é necessária muita concentração e, desse modo, as palavras ficam lentas, explicadas, com a pronúncia exagerada pelo esforço em dizê-las. E embora saiam explodidas, altas, roucas e arranhadas, são sempre minuciosas em sua pronúncia”, explica.

É sobre esta nova e complicada fase que trata seu quatro livro. Publicado pela editora É Selo de Língua, Diário de Piscina revela o funcionamento cotidiano das aulas de natação para recuperação das sequelas motoras com registros diários, que vão de julho de 2000 a abril de 2001. Por conta do lançamento, Capucho ainda faz shows no Espaço Casa Aberta, no sábado (6), às 20h; no dia 10, no Bar Semente, às 21h; e no dia 13, no Escritório, às 22h.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade