Clique e assine por apenas 4,90/mês

Israelense diz ser criador do frescobol e funda museu em Tel-Aviv

Sob o nome de matkot, o jogo é praticado desde os anos 20 na cidade

Por Rafael Sento Sé - 10 jun 2017, 00h02

Depois de os irmãos Wright assombrarem Santos Dumont, mais esta: patrimônio imaterial do Rio, o frescobol é uma febre nas praias de… Tel-Aviv. Sob o nome de matkot, o jogo é praticado desde os anos 20 na cidade israelense e, por lá, ganhou um museu repleto de raquetes, muitas com referência ao Brasil. Fundador da instituição, Amnon Nissim, 72 anos, também conhecido como “Amnon, o Canhão”, garante que a paternidade da versão praiana do tênis é deles. No posto 5, a honraria cabe ao arquiteto Caio Rubens Romero Lyra — e, dependendo da fonte, ao humorista Millôr Fernandes (1923-2012), entusiasta da modalidade que se divertia quando era apresentado como o “inventor do frescobol”.

LEIA MAIS HISTÓRIAS CARIOCAS:

+ Centro budista oferece visita guiada em celebração aos 30 anos

+ Aplicativo de táxi voltado para mulheres tem 80 motoristas no Rio

Continua após a publicidade

+ Moda do cultivo de orquídeas em canteiros se espalha no Rio

+ Exposição de poesia recolhe contribuições via rede social

+ Imagem de John Kennedy no Rio ilustra biografia de Oswaldo Aranha

Publicidade