Clique e assine com até 65% de desconto

Obra de Guimarães Rosa ganha os palcos em duas montagens teatrais

As peças Riobaldo, em cartaz no Sergio Porto, e A Hora e Vez, com temporada no Poeirinha, usam o escritor mineiro como ponto de partida

Por Marcela Capobianco Atualizado em 9 mar 2020, 10h46 - Publicado em 6 mar 2020, 12h00

A obra do escritor mineiro João Guimarães Rosa, sempre atual, inspira dois monólogos em cartaz na cidade

A Hora e Vez. Estrelada pelo ator Rui Ricardo Dias, a peça da Cia. do Sopro tem como ponto de partida o conto A Hora e Vez de Augusto Matraga. Um violento fazendeiro cai numa emboscada e é dado como morto. Ao ser salvo, ele se volta para a religiosidade e vive o conflito entre vingança e penitência pelos erros que cometeu (55 min). 16 anos. Teatro Poeirinha. Rua São João Batista, 104, Botafogo. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 60,00. Até 12 de abril.

A Hora e Vez: o ator Rui Ricardo Dias adaptou o livro e encena o espetáculo Águeda Amaral/Divulgação

Riobaldo. Adaptação de Grande Sertão: Veredas, a montagem aborda as paixões e as relações amorosas do jagunço que se torna dono de terras. Ao rememorar Diadorim, Nhorinhá e Otacília, o protagonista reflete sobre Deus e o diabo e conclui: viver é muito perigoso. Amir Haddad assina a direção. Texto e atuação a cargo de Gilson de Barros (70 min). 16 anos. Teatro Sergio Porto. Rua Humaitá, 163, Humaitá. Sex. a dom., 20h. R$ 40,00. Até 30 de março.

 

Continua após a publicidade
Publicidade