Clique e assine por apenas 4,90/mês

Gaspar Family Brew lança a primeira cerveja carioca em lata de 350 ml

O terceiro rótulo da marca será apresentado no Booze Bar, na Lapa, no próximo dia 20

Por Carolina Barbosa - Atualizado em 5 dez 2016, 11h13 - Publicado em 13 jul 2016, 17h22

Na linha das cervejarias artesanais brasileiras Dádiva e Dogma, que comercializam em lata seus respectivos e badalados rótulos Venice Beach (Session India Pale Ale) e Rizoma (Double India Pale Ale), a carioca Gaspar Family Brew apresenta no próximo dia 20, no Booze Bar, a partir das 18h, o terceiro lançamento da marca, que chega ao mercado com uma novidade: será a primeira cerveja artesanal do Rio envasada em lata de 350 mililitros. Trata-se da Brothers, uma Belgian Blond Ale, com 6,5% de teor alcoólico, e notas frutais e condimentadas, marcadas ainda por um caráter maltado no sabor.

+ Excursão leva a cervejarias do interior do estado

A novidade foi criada para o casamento da filha de Marcelo Gaspar, fundador da marca ao lado do filho Tomás, e faz referência à camaradagem carioca, que transforma grandes amigos em membros da família em brothers. Na ocasião, o rótulo estará à venda por R$ 16,90 e o público poderá degustar ainda a Gaspar American Pale Ale (APA) on tap, o pioneiro da cervejaria (R$ 13,90 – 250ml / R$ 21,90 – 500ml).  Para comer, a turma do The Burger Experience prepara no espaço, instalado na Lapa, dois sandubas harmonizando com as cervejas. Para acompanhar a APA, a receita escolhida foi o sanduíche de porco com queijo gouda, chutney especial de manga, pêssego e maracujá com maionese temperada no pão de alho com ervas finas (R$ 25). Faz companhia à Brothers um hambúrguer surpresa (R$ 25), criado para o evento.

O lançamento segue a tendência de envase em lata muito comum nos EUA e na Europa. De acordo com a CraftCans, entidade americana que promove o uso da embalagem pelo setor das artesanais, há atualmente cerca de 550 das mais de 4 000 cervejarias que usam as latas para abrigar cem estilos da bebida, totalizando por lá 2 162 rótulos. Há duas décadas eram apenas vinte nos EUA. No Brasil, desde 2010, as latinhas deram um salto de 11,2 pontos percentuais em sua participação, segundo dados da CervBrasil. O crescimento vertiginoso tem uma explicação: a lata conserva melhor o frescor e outras características sensoriais do líquido, sobretudo se a cerveja não for filtrada e pasteurizada. Dentre outros benefícios, ela ainda evita a foto-oxidação da bebida – conhecida como lightstruck ou “aroma de gambá”- causada pela incidência dos raios UV sobre a cerveja, o que explica a preferência das marcas por garrafas de coloração âmbar, mas, no caso da lata, a proteção é maior, por conta do bloqueio total.

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade