Clique e assine com até 65% de desconto

Flip começa nesta quarta (29), em Paraty

O evento acontece até o domingo (3) e tem como homenageada a poeta marginal carioca Ana Cristina Cesar, morta em 1983

Por Redação VEJA RIO Atualizado em 5 dez 2016, 11h14 - Publicado em 29 jun 2016, 19h33

Há catorze anos, escritores e poetas do Brasil inteiro se reúnem na região sul do estado do Rio, para aprender, ensinar e transformar palavras em arte. A Flip (Festa Literária Internacional de Paraty) começa nesta quarta (29) e vai até o domingo (3), em edição onde a homenageada é a poeta marginal carioca Ana Cristina Cesar, morta em 1983.

+ Atraso nos salários põe em risco temporada do Theatro Municipal 

Nos destaques da programação está o responsável pelos escritos da homenageada, o também poeta Armando Freitas Filho, que abre a agenda do evento. A nova geração também vai marcar presença na Flip 2016, a primeira mesa reúne as cariocas Marília Garcia e Laura Liuzzi, além da paulistana Annita Costa Malufe, que juntas discutirão a obra de Ana Cristina. Poetas de gerações anteriores, como Heloisa Buarque de Hollanda, também estão na programação. Ela fala nesta quinta (30).

Durante a Flip, a cidade estará tomada pela atmosfera literária. A Casa Cais promove um fluxo entre artistas de língua Portuguesa, em meio à programação. Durante três dias, de quinta (30) a sábado (2), escritores, compositores, poetas, artistas plásticos e cineastas participarão de debates e apresentações gratuitas. Nomes como a jornalista e escritora Pilar del Río, viúva do Nobel de Literatura José Saramago, o cineasta português Miguel Gonçalves Mendes e a cantora e compositora brasileira Marina Lima, já estão confirmados.  

Continua após a publicidade
Publicidade