Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Morador ilustre: filhote de pica-pau-rei é atração em parque do Rio

Parecido com o famoso protagonista do desenho animado, o bichinho habita a Reserva Ecológica Serra do Tangará, em Piraí, que retomará as visitas em outubro

Por Carolina Barbosa 25 ago 2021, 17h55

Vejam só que gracinha: essa lindeza da foto acima é um filhote de pica-pau-rei (Campephilus robustus), de apenas 2 meses de vida, uma das diferentes espécies da Reserva Ecológica Serra do Tangará, em Piraí, na região sul fluminense. Toda manhã, o bichinho deixa o ninho com seus pais (nas fotos abaixo) em busca de alimento – no caso, larvas de insetos – e retorna ao anoitecer.

+As rotas etílicas despontam como opção turística no interior do Rio

Apesar de lembrar o famoso protagonista do desenho animado, esse pica-pau não é da mesma espécie. “Em comum, são da mesma família e dependentes de florestas bem conservadas para sobreviver”, explica o biólogo e diretor da reserva Jovani Monteiro. O especialista ainda entrega um hábito comum da ave: “tamborilar” o tronco ovo das árvores. “O som alcança grandes distâncias e serve para comunicação e delimitação de território”, esclarece.

Pica-pau pai
Pica-pau pai: atração também na Reserva Ecológica Serra do Tangará Jovani Monteiro/Divulgação

Dona de uma bela plumagem, a ave é a maior da espécie no Brasil, encontrada apenas na Mata Atlântica. Como restam apenas 12% da cobertura original deste bioma por aqui, não é muito fácil achar – e registrar – a fofura, já que eles habitam remanescentes florestais bem preservados. Eis o que faz deste pica-pau-rei um alvo cobiçado de observadores e fotógrafos de aves. “O registro do ninho da espécie é ainda mais difícil, pois ela nidifica no oco de árvores e estes ocos são mais comuns em árvores mais antigas, o que é cada vez mais difícil de ser encontrado devido ao desmatamento. Assim, tivemos muita sorte de poder acompanhar todo o processo de reprodução da espécie”, conta Jovani.

Mamãe pica-pau: família unida no parque natural
Mamãe pica-pau: família unida no parque natural Jovani Monteiro/Divulgação

Em tempo, o grande parque natural vai retomar as atividades de observação dos pássaros em 2 de outubro. A visitação ocorrerá sempre aos fins de semana, entre 6h e 17h, com agendamento prévio pelo e-mail institutoserradotangara@gmail.com ou pelo telefone (24) 99942-4414. Além de admirar as aves, a criançada pode participar de ações de plantios de muda. O passaporte, com alimentação (café da manhã e almoço), sai a R$ 120,00 (com entrada gratuita até os 10 anos). A atração fica na Rodovia Presidente Dutra, Santa Amália, Piraí.

Continua após a publicidade

+Águas passadas: as histórias da Baía de Guanabara e suas transformações

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

 

 

 

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade