Clique e assine por apenas 4,90/mês

Festival TOCA celebra a canção brasileira com shows no Centro

Apresentações de artistas novos e consagrados ocupam quatro palcos em quatro dias. Debates e concurso para novas composições completam a programação

Por Carol Zappa - 13 abr 2018, 16h11
Larissa Luz: dobradinha com Elza Soares na Praça Mauá, no sábado (21) David Campbell/Divulgação

A música popular brasileira será celebrada em seus diversos sotaques, linguagens e estilos. Durante quatro dias, a primeira edição do festival TOCA > Toda Canção vai ocupar o Centro com shows inéditos e aclamados, gratuitos e a preços populares, em teatros e ao ar livre, e com debates, performances e um concurso para novas composições. Abrindo os trabalhos, na sexta (20), João Bosco mostra seu novo disco no Teatro Carlos Gomes. A alentada programação musical, concebida com curadoria de Alfredo Del-Penho e Pedro Luís, passa pela Praça Mauá e os teatros Rival e Riachuelo e se estende até o dia 23: o feriado de São Jorge trará o cortejo do Cordão do Boitatá e shows de Almério, 5 a Seco, Pietá e Lívia Mattos. Confira, a seguir, os destaques da semana.

João Bosco: trabalho novo na abertura da programação, na sexta (20) Flora Pimentel/Divulgação

SEXTA (20):

João Bosco. O músico lança o CD Mano que Zuera, que traz parcerias com Arnaldo Antunes e seu filho, Francisco Bosco. Teatro Carlos Gomes. Praça Tiradentes, s/nº, Centro. 19h. R$ 30,00 (balcão) e R$ 60,00 (plateia).

Barca dos Corações Partidos. A companhia teatral carioca, de espetáculos como Auê, estreia como banda musical no show Desancora, com participação de Dani Black. Antes, o ator, cantor e compositor Renato Luciano, integrante da trupe, lança o álbum De Toda Cor. Teatro Rival Petrobras. Rua Álvaro Alvim, 33, Cinelândia. 21h. R$ 50,00.

Continua após a publicidade

SÁBADO (21):

José Miguel Wisnik e Mônica Salmaso. O músico e ensaísta Wisnik divide com Arthur (violão) e Lívia Nestrovski (voz), pai e filha, o show Mortal Loucura. No programa, temas próprios e de nomes da cena paulistana, como Arrigo Barnabé e Arnaldo Antunes. Às 20h30, Mônica Salmaso solta a bela voz nas canções do disco Caipira. Teatro Carlos Gomes. 19h. R$ 30,00 (balcão) e R$ 70,00 (plateia).

Larissa Luz e Elza Soares. Indicada ao Grammy Latino em 2016, a baiana Larissa Luz canta às 20h versos de Território Conquistado, disco sob influência do afropunk. A diva Elza Soares, vencedora do mesmo prêmio, encerra a turnê A Mulher do Fim do Mundo, às 22h. Praça Mauá, 18h. Grátis.

Russo Passapusso: à frente do BaianaSystem, divide o palco com Tom Zé no domingo (22) Daniel Ramalho/Veja.com

DOMINGO (22):

Continua após a publicidade

Alfredo Del-Penho e Joyce Moreno. Curador do evento, músico e pesquisador, Del-Penho antecipa faixas de seu novo trabalho, dedicado à obra de Nei Lopes, na presença do homenageado. Depois, a cantora e compositora revisita seu disco de estreia, Joyce (1968). Teatro Carlos Gomes. 19h. R$ 30,00 (balcão) e R$ 70,00 (plateia).

Tom Zé e BaianaSystem. Às 20h, o tropicalista baiano abre os trabalhos, antes de dar lugar aos conterrâneos liderados por Russo Passapusso, com seu pancadão catártico temperado por dub jamaicano e outros ritmos pulsantes. Praça Mauá, 18h. Grátis.

Publicidade