Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Festivais on-line vão exaltar música negra e periférica no fim de semana

Afromusic terá shows de Jup do Bairro e Izzy Gordon. Já o Mulambo Jazzagrário é dedicado ao resgate das narrativas sonoras marginais

Por Marcela Capobianco 7 abr 2021, 12h52

O fim de semana que se aproxima terá dois festivais on-line dedicados a estilos musicais que, normalmente, não encontram espaço na mídia tradicional. Artistas pretos independentes têm vez na segunda edição Afromusic. Já o Festival Instrumental Mulambo Jazzagrário se autoafirma um projeto político-musical. As programações são 100% gratuitas. Confira os detalhes a seguir.

+ Grupo Corpo comemora 46 anos com exibições de espetáculos no streaming

Afromusic #2.

Jup do Bairro no palco
Jup do Bairro: cantora paulistana de 28 anos ganhou prêmio de revelação na música em 2020 Sérgio Fernandes/Divulgação

Criado há quatro anos, o festival encontrou na internet a única possibilidade de, em tempos de pandemia, realizar sua segunda edição com shows de artistas e bandas pretas que estão alavancando a nova cena independente. A programação também conta com uma série de entrevistas sobre música e sociedade. Totalmente gravada no Teatro de Contêiner, no centro de São Paulo, as atrações vão ao ar entre sexta (9) e domingo (11), sempre às 19h, no canal do YouTube Universo Afromusic.

+ BioManguinhos produz 900 000 doses de vacina por dia

Viajando por ritmos tradicionais, contemporâneos e futuristas, artistas como Jup do Bairro, Gê de Lima, Izzy Gordon, Renato Gama, Biel Lima e Fabriccio são alguns dos convidados que destacam repertório autoral em suas apresentações. O grupo Mental Abstrato, por sua vez, realiza um show em conjunto com a rapper baiana Mana Bella, que nesta versão funde suas rimas aos beats e ao jazz. Já a Banda Nova Malandragem, que celebra o samba-rock clássico em composições instrumentais, convida o ilustre e experiente trompetista Walmir Gil.

Fechando a agenda, Ballet Afro Koteban faz um resgate ancestral com o espetáculo que mescla som e dança a partir de uma pesquisa aprofundada da cultura Malinkê, do oeste da África. E, no ano em que o Carnaval foi cancelado em todo o país, o Bloco Afro Afirmativo Ilu Inã, mostra ao público seu novo MacumBrass.

A programação completa pode ser consultada pelo Instagram – @universoafromusic.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Mulambo Jazzagrário.

Mulheres que integram o grupo Dembaia
Dembaia: grupo composto por cinco mulheres do Lins, Zona Norte, fazem um resgate das tradições africanas, especialmente da música e corpo Divulgação/Divulgação

No sábado (10) e no domingo (11), a música instrumental produzida por artistas suburbanos ganha espaço no Festival Instrumental Mulambo Jazzagrário, também pelo YouTube.

Sua primeira edição aconteceu em 2016, na Zona Oeste do Rio, em homenagem ao ativismo do multi-instrumentista carioca Fernando Grilo, que faleceu precocemente aos 22 anos, no ano anterior, quando viajava para fazer uma parceria com o percussionista Naná Vasconcelos. Grilo influenciou uma geração de músicos, produtores e agitadores culturais da cena música instrumental independente e suburbana.

+ Fechado em 2017, Bar Semente renasce com festival de música na web

O festival pretende ser uma janela de visibilidade para a música instrumental periférica criada e potencializada nos subúrbios do país, que muitas vezes não alcança os grandes centros e a grande mídia, já que o gênero ainda tem fama de elitista, mesmo com a popularização de ritmos como o choro e o samba-jazz.

Entre os nomes que se apresentam no fim de semana estão o pernambucano Amaro Freitas, Carlos Malta, Djalma Corrêa e Mauricio Paizz. Os shows foram gravados no início de março, na Arena Hermeto Pascoal, em Bangu e acontecem a partir das 16h no sábado (10) e no domingo (11). Para assistir, basta acessar o canal do YouTube da Rádio Escada.

A programação completa está no Instagram – @festivalmulambojazzagrario.

Continua após a publicidade
Publicidade