Clique e assine por apenas 4,90/mês

Dia útil para a batucada

Edição especial do Samba do Trabalhador anima a segunda (2) no Clube Renascença

Por Rafael Cavalieri - Atualizado em 5 dez 2016, 13h38 - Publicado em 4 jun 2014, 19h29

Uma canção gaiata de Darcy da Mangueira, gravada por Martinho da Vila em 1992, começa pelo verso “Na segunda-feira, eu não vou trabalhar” e segue na toada da preguiça até domingo. Moacyr Luz pegou a deixa – e aproveitou o título da música – para criar o Samba do Trabalhador, animada roda no clube Renascença que está comemorando seu nono ano de existência. Funciona assim: na segunda, tradicional dia de folga dos músicos, às 16h30, horário em que muita gente ainda está trabalhando, a batucada começa e avança pela noite. A capacidade máxima de 800 espectadores é testada a cada semana por um monte de gente cantando junto, entre outras, Saudades da Guanabara, Cabô, Meu Pai e o sucesso mais recente, Estranhou o Quê?. Nomes como Arlindo Cruz, Monarco e Moyseis Marques já apareceram para uma canja. Na apresentação de aniversário, o próprio Moacyr, com as cozinheiras do clube, vai preparar um prato de costela com batatas e servi-lo para os 100 primeiros a chegar.

Clube Renascença (800 lugares).

Rua Barão de São Francisco, 54, Vila Isabel, ☎ 99945-3244. Segunda (2), a partir das 16h30. R$ 15,00 (somente dinheiro). Bilheteria: a partir das 16h.

Publicidade